Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2017

David Brainerd

Heróis da Fé - Orlando Boyer Um arauto aos peles-vermelhas (1718-1747)Certo jovem, franzino de corpo, mas tendo na alma o fogo do amor aceso por Deus, encontrou-se na floresta, para ele desconhecida. Era tarde e o sol já declinava até quase desaparecer no horizonte, quando o viajante, enfadado da longa viagem, avistou a fumaça das fogueiras dos índios "peles-vermelhas". Depois de apear e amarrar seu cavalo, deitou-se no chão para passar a noite, agonizando em oração.               Sem ele o saber, alguns dos silvícolas o haviam seguido silenciosamente, como serpentes, durante a tarde. Agora estacionavam atrás dos troncos das árvores para contemplar a cena misteriosa de um vulto de cara pálida, sozinho, prostrado no chão, clamando a Deus.             Os guerreiros da vila resolveram matá-lo, sem demora, pois, diziam, os brancos davam uma aguardente aos peles-vermelhas, para, enquanto bêbados, levar-lhes as cestas e as peles de animais, e roubar-lhes as terras. Mas depois de cer…

Serviço Farisaico e o verdadeiro serviço

 Extraído de Celebração da Disciplina, Richard J. Foster 

Jesus declarou: “Sabeis que os governadores dos povos os dominam e que os maiorais exercem autoridade sobre eles. Não é assim entre vós.” Ele rejeitou total e completamente os sistemas de ordem de importância de seu tempo. Como, pois, devia ser entre eles? “Quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva... tal como o Filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir” (Mateus 20:25-28). Portanto, a autoridade espiritual a que Jesus se referia não era uma autoridade que se encontrava numa posição, num título, mas numa toalha.           Se o verdadeiro serviço deve ser entendido e praticado, é preciso distingui-lo claramente do “serviço farisaico”.           O serviço farisaico é prestado pelo esforço humano. Ele gasta somas imensas de energia calculando e planejando como prestar o serviço. Gráficos e mapas sociológicos podem ser projetados de modo que podemos “ajudar essas pessoas”. O verdadeiro servi…

John Wesley

Tocha tirada do fogo (1703-1791) Extraído de Orlando Boyer- Heróis da Fé O céu, à meia-noite, era iluminado pelo reflexo sombrio das chamas que devoravam vorazmente a casa do pastor Samuel Wesley. Na rua, ouviam-se os gritos: "Fogo! Fo­go!" Contudo, a família do pastor continuava a dormir tranqüilamente, até que os escombros ardentes caíram sobre a cama de uma filha, Hetty. A menina acordou sobressaltada e correu para o quarto do pai. Sem poder sal­var coisa alguma das chamas, a família foi obrigada a sair casa a fora, vestindo apenas as roupas de dormir, numa temperatura gélida.A ama, ao ser despertada pelo alarme, arrebatou a criança menor, Carlos, do berço. Chamou os outros meni­nos, insistindo que a seguissem, desceu a escada; porém, João, que então contava cinco anos e meio, ficou dormin­do.Três vezes a mãe, Susana Wesley, que se achava doen­te, tentou, debalde, subir a escada. Duas vezes o pai ten­tou, em vão, passar pelo meio das chamas, correndo. Sentindo o perigo, a…

Freedom

Liberdade “Portanto, agora não há nenhuma condenação para os que estão em Cristo Jesus”. (Rm 8.1). O sistema religioso de nosso tempo, tem atribuído aos homens  um sistema de severas cobranças, onde em nome do “IDE,” se reprime os dons, os chamados e as capacitações de cada cristão. As personalidades são agredidas, a cobrança sempre é a respeito de um pastor perfeito que tenha habilidade em todos os dons, cristãos  que obrigatoriamente têm que exercer uma liderança, um cargo, um serviço, mesmo que não sintam paz ou capacidade para exercer tal compromisso, tendo, muitas vezes, suas personalidades atropeladas em nome da visão estabelecida em seu determinado ministério, tantas vezes tendo que passar por cima do seu convívio familiar para cumprir um chamado que já não é mais o “IDE” de Jesus, mas a agenda e o sistema de um ministério. Não temos nada contra as visões de crescimento, mas sim contra a escravidão ministerial, as cobranças condenatórias e a “rebelião”, quando na verdade, não est…

Visão pela fé

 “1   Pôr-me-ei na minha torre de vigia, colocar-me-ei sobre a fortaleza e vigiarei para ver o que Deus me dirá e que resposta eu terei à minha queixa. 2   O SENHOR me respondeu e disse: Escreve a visão, grava-a sobre tábuas, para que a possa ler até quem passa correndo.  3   Porque a visão ainda está para cumprir-se no tempo determinado, mas se apressa para o fim e não falhará; se tardar, espera-o, porque, certamente, virá, não tardará. 4   Eis o soberbo! Sua alma não é reta nele; mas o justo viverá pela sua fé.”                                                                       ( Habacuque 2.1-4)  É necessário pararmos para fazer uma avaliação. Só podemos direcionar a nossa caminhada se soubermos onde queremos chegar. Você não pode ser uma pessoa que anda sem rumo, pois não chegará à lugar algum. O rumo a se tomar fala da visão de onde se quer chegar. Quando você vai para a cidade vizinha, vai com um alvo estabelecido, resolver algum negócio, acertar algum documento, fazer compras…