Pular para o conteúdo principal

PALAVRAS DE DEUS QUE NOS RESTAURAM


 
Is 40.1-5 

"1 Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus.

2 Falai ao coração de Jerusalém, bradai-lhe que já é findo o tempo da sua milícia, que a sua iniqüidade está perdoada e que já recebeu em dobro das mãos do SENHOR por todos os seus pecados.

3 Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda a nosso Deus. 4 Todo vale será aterrado, e nivelados, todos os montes e outeiros; o que é tortuoso será retificado ,e os lugares escabrosos, aplanados. 5 A glória do SENHOR se manifestará, e toda a carne a verá, pois a boca do SENHOR o disse."

 

         O texto lido é uma palavra de restauração . Deus quer mudar nossa história de sofrimento, restaurar nossas forças e nos levar a fazer sua  vontade, isso ele faz através de sua palavra, a qual é útil para ensinar, corrigir educar na justiça e aperfeiçoar o homem ( mulher) de Deus para toda a boa obra. ( conf. 2 Tm 3.16 e 17)

*    Antes de passarmos por um quebrantamento, Deus em sua palavra já nos consola e promete restaurar.

®  Quantos, nos momentos de angustia, já tiveram a experiência  de  ler um texto bíblico, ouvir um texto ou uma pregação e aquele texto, leitura bíblica ou pregação se encaixava exatamente no momento que você estava vivendo ou sofrendo?

®  Porém, o consolo de Deus vem, muitas vezes a nós, antes de passarmos pelas lutas. Antes dos discípulos enfrentarem as perseguições e as lutas que viriam Jesus os avisou , Jo 16.33 Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.”  Jo 14.1 “ Não se turbe o vosso coração, crede em Deus, crede também em mim”.

        

 

*    Antes do sofrimento, Deus nos fala de seu consolo.

*    Durante o sofrimento, Deus nos prepara para manifestar sua glória e seus milagres.

*    Após o sofrimento, experimentamos o consolo e glória de Deus.

Isaías profetizou antes do sofrimento de seu povo, e a  palavra de Deus que ele deveria anunciar era de consolo. Antes de Judá passar pelo sofrimento do exílio , Deus já avisou o profeta que ele deveria consolar seu povo.

·                A história de Israel é marcada por uma divisão entre reino do Sul e reino do Norte, e posteriormente é marcada pelo cativeiro do reino do Sul, Jerusalém, que foi levado para a babilônia, período que vamos denominar de exílio babilônico e pela dispersão do reino do Norte que foi levado ao cativeiro da Assíria e de lá não voltou . O exílio babilônico consistiu num período onde o povo do sul foi levado em três etapas para a babilônia e lá permaneceram setenta anos até que aprendessem a buscar a Deus de todo o coração, e deixassem seus ídolos.

·        Em Isaías vemos  referências ao exílio de Jerusalém, uma delas podemos ver claramente : Is 5.13:” Portanto, o meu povo será levado cativo, por falta de entendimento; os seus nobres terão fome, e a sua multidão se secará de sede.

·        Foi a  idolatria  do povo de Israel que levou o Senhor a trazer o império babilônico sobre o povo de Judá (tribos: Benjamim, Juda e Simeão) e posteriormente o império da Assíria veio sobre os restante de Israel (Efraim, Dã, Manassés, Isaacar, Zabulon, Naftali, Aser, Gad e Ruben.). Apesar do restante de Israel ser dissipado, e outros povos serem colocados no Norte pela Assíria , o povo de Judá recebeu promessas de restauração através dos profetas, e depois de 70 anos retornaram do exílio. Então em Isaías temos essas promessas, bem como nos demais profetas. As profecias de Isaías começaram 150 anos antes do exílio babilônico, e terminaram por volta de 90 anos do antes do exílio, contudo contém informações claras sobre esse período.

       

No texto lido hoje, as primeiras palavras expressam, com ternura e urgência,  a maravilhosa mensagem que está reservada para Israel. Com o pronome possessivo “vosso” o profeta se dirige àqueles a quem o Senhor chama de “meu povo”. Mais tarde esse povo é chamado de “Israel” ou “Jacó” (v. 27), mas a referência especial é a Judá. Isto já se torna evidente mediante a referência a “Jerusalém” e “às cidades de Judá” .

O fato de o verbo dominante ser “consolai” dá a entender que o povo está vivendo em um estado de aflição e opressão, e segundo o que se segue torna-se claro que esta é a opressão do exílio babilónico. A maior parte do povo geme sob as condições de vida que sofre em terra estranha, e Jerusalém e as cidades  de Judá estão abandonadas, seus moradores não podiam habitar lá, estavam presos na babilônia. Era um tempo de provas, mas um tempo em que Deus os consolava.

Esta profecia, portanto, proclama libertação de um estado de angústia que o povo viveria.

 Antes do povo passar pelo exílio, Deus já havia dado palavras de consolo.

A profecia no texto lido refere-se a uma época em que o reino do sul, mais  especificamente os habitantes de Jerusalém estariam sofrendo o exílio, especialmente quando Judá e Jerusalém já haviam experimentado muito sofrimento, e aos olhos do Senhor isso já fora o suficiente, de forma que chegara a hora da redenção (v. 2).

.

O texto lido também é uma mensagem de restauração. O povo iria ao cativeiro, mas depois voltaria pra viver um tempo de restauração, fala também do tempo de João Batista, é uma profecia referente a ele no verso 3 “3 Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda a nosso Deus.”  Também fala do tempo da igreja, do nosso tempo, que precisamos ser consolados de nossos sofrimentos para anunciar a palavra e a glória do Senhor, a qual a de se manifestar a toda a carne.

         Nesse texto Deus fala de consolar seu povo e impulsioná-lo para  obra dele e manifestar a ele a sua glória. É a restauração de um povo caído, sofrido e que restaurado iria manifestar o seu poder na terra.

Vemos nesse texto palavras que Deus traz a nós para que sejamos restaurados afim de manifestarmos em nossas vidas a sua glória, vejamos as seguintes palavras:

 

1ª palavra: Uma palavra de consolação (vs 1e 2 )

1 Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus.

2 Falai ao coração de Jerusalém, bradai-lhe que já é findo o tempo da sua milícia, que a sua iniqüidade está perdoada e que já recebeu em dobro das mãos do SENHOR por todos os seus pecados.

 

          A palavra que vem  ao profeta para a época do exílio, de maneira enfática é “consolai, consolai”. Tantas vezes vemos na leitura dos profetas palavras duras de admoestação e correção, mas esse texto nos chama a atenção, porque Deus não está mandando o profeta corrigir, nem sequer ser duro com Jerusalém, mas Deus está dizendo que o profeta deveria consolar Jerusalém.

a)    Somos consolados com o fim de nosso exílio      :

         A razão da consolação de Jerusalém era que o exílio estaria no fim.

         Deus estava dizendo, e diz a nós também, que haveria um tempo de  exílio, um tempo difícil, mas o profeta já poderia consolar Jerusalé por que o tempo de milícia, o tempo de guerra estava terminando: “2 Falai ao coração de Jerusalém, bradai-lhe que já é findo o tempo da sua milícia,..”.

®  Muitas vezes a provação vem, mas ela não durará a vida inteira, ele terminará. A nossa luta não é eterna, nosso exílio não é permanente, mas Deus nos consola dizendo que vem um tempo de paz sobre nós. Antes de Jerusalém passar pelas provas, Deus já havia falado que essas provas terminariam.

         Salmo 46.9-11

9 Ele põe termo à guerra até aos confins do mundo, quebra o arco e despedaça a lança; queima os carros no fogo. 10 Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra. 11 O SENHOR dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio”

Essas palavras de Deus nos falam de  consolação pois afirmam que nossa luta não é eterna, que o exílio terá um fim, mas também nos trazem uma maior consolação, e esta é eterna:

b)Somos consolados com o perdão de nossos pecados.

2 Falai ao coração de Jerusalém, bradai-lhe que já é findo o tempo da sua milícia, que a sua iniqüidade está perdoada e que já recebeu em dobro das mãos do SENHOR por todos os seus pecados.

         O povo iria ao exílio por causa de sua idolatria, mas chegaria um tempo de arrependimento, onde o povo voltaria para Deus e receberia o perdão de seus pecados.

         A maior consolação que temos é o perdão de nossos pecados. O arrependimento gera esse perdão, e esse perdão está estendido gratuitamente a nós em Jesus, quando na cruz ele pagou pelos nossos pecados.

1 João 2.12” Filhinhos, eu vos escrevo, porque os vossos pecados são perdoados, por causa do seu nome.”

         Somos consolados hoje, porque o Senhor nos promete que nossa aflição terá um fim e que nossos pecados são perdoados.

 

2ª palavra: Uma palavra de preparo ( vs 3 e 4)

3 Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda a nosso Deus. 4 Todo vale será aterrado, e nivelados, todos os montes e outeiros; o que é tortuoso será retificado, e os lugares escabrosos, aplanados.

         Em João 1.23, João Batista se declara: “Eu sou a voz do que clama no deserto, endireitai o caminho do Senhor”.

         A profecia de Isaías se cumpre em João Batista. Mas, como ele prepararia o caminho do Senhor ?

         Mateus 3.1-3: Naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia e dizia:2 Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.3 Porque este é o referido por intermédio do profeta Isaías: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.

         Isaías profetiza a palavra de João Batista :”Preparai o caminho do Senhor”, e como João Batista preparou o caminho do Senhor ? pregando o arrependimento: v. 2” 2 Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.”

Nessa palavra de arrependimento de João Batista  as pessoas eram preparadas para o reino dos céus, para a visitação de Jesus Cristo. Só estaria preparado para o reino dos céus, só estaria preparado para o agir de Jesus na terra os que passassem por arrependimento.

O texto de Isaías ao povo exilado, que lemos nessa noite, proclamava um arrependimento, onde todos os impedimentos no coração humano para o agir de Deus deveriam ser removidos. “. 4 Todo vale será aterrado, e nivelados, todos os montes e outeiros; o que é tortuoso será retificado, e os lugares escabrosos, aplanados.” 

         Para que o povo fosse restaurado , deveria haver preparação.

         Deus está nos chamando também a preparação, assim como João Batista provocou no coração do povo de seu tempo uma preparação, Deus também nos chama a nos prepararmos da mesma forma como João preparou o povo para o ministério de Cristo. De que forma seremos preparados?

Mateus 3.1-3: Naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia e dizia:2 Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.

 

Precisamos  retirar os impedimentos que nos afastem de Cristo, precisamos nos chegar a ele com o coração preparado.

Só estaremos preparados para ver os milagres de Cristo e coisas maravilhosas acontecerem na igreja, se passarmos pelo caminho da preparação, pelo caminho do arrependimento.

 

3ª palavra: Uma palavra da manifestação de Deus ( v.5)

.

 5 A glória do SENHOR se manifestará, e toda a carne a verá, pois a boca do SENHOR o disse.

 

         No final do exílio a glória do Senhor se manifestaria de forma maravilhosa retirando Jerusalém do exílio. Cremos que Deus tem poder para nos restaurar de forma maravilhosa a manifestar a sua glória. A palavra de Deus nessa noite para nós e de restauração.

         Quando o povo de Jerusalém foi levado ao cativeiro, o templo do Senhor onde a glória de Deus se manifestava foi destruído, mas quando voltaram do exílio e começaram a reconstruir a casa , Deus promete Ageu 2.9 A glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz o SENHOR dos Exércitos; e, neste lugar, darei a paz, diz o SENHOR dos Exércitos.”

- Deus promete manifestar sua glória no segundo templo, após o exílio de forma mais maravilhosa do que no primeiro templo construído por Salomão.

         Deus promete nos restaurar como igreja, como servos, como cristãos, mas também promete que manifestará a sua glória de forma mais forte que antes.

 

         Essa glória se manifesta ao ouvirmos o consolo do Senhor, quando nosso exílio se finda e nos arrependemos de nossos pecados , sendo preparados, então a glória se manifesta nas obras milagrosas de Deus em nossas vidas.

         - A glória se manifesta nos milagres-

As pessoas do tempo de João Batista só estariam preparados para verem a glória de Deus em Jesus, verem seus sinais e milagres, conhecerem sua salvação se passassem por arrependimento.

         Muitos perguntam, onde estão os milagres?

         Veremos milagres, sinais, as pessoas conhecerão a salvação se nos arrependermos de nossos pecados.

3 Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda a nosso Deus. 4 Todo vale será aterrado, e nivelados, todos os montes e outeiros; o que é tortuoso será retificado (corrigido), e os lugares escabrosos, aplanados. 5 A glória do SENHOR se manifestará, e toda a carne a verá, pois a boca do SENHOR o disse.

         È tempo de arrependimento, para que a glória do senhor se manifeste.

 

         Conclusão

Nesse texto Deus fala de consolar seu povo e impulsioná-lo para  obra dele e manifestar a ele a sua glória. É a restauração de um povo caído, sofrido e que restaurado iria manifestar o seu poder na terra.

 

         Tema: Palavras de Deus que nos restauram

 

1ª palavra: Uma palavra de consolação (vs 1e 2 )

2ª palavra: Uma palavra de preparo ( vs 3 e 4)

3ª palavra: Uma palavra da manifestação de Deus ( v.5)

.

 5 A glória do SENHOR se manifestará, e toda a carne a verá, pois a boca do SENHOR o disse.

         Receba o consolo de Deus, o exílio terá um fim, prepare-se para ver o reino dos céus, arrependei-vos, e você verá Deus se manifestar com glória na sua vida.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trazendo a Arca da Aliança

Como trarei a mim a arca de Deus? Leonard Ravenhill(1907-1994) foi um escritor e evangelista cristão britânico que focalizava em assuntos como oração e avivamento. É mais conhecido por desafiar a igreja moderna e seu mais notável livro é “Por Que Tarda o Pleno Avivamento?” Através de seu ensino e de seus livros, Ravenhill abordou as disparidades que ele percebia entre a Igreja do Novo Testamento e a Igreja moderna e apelou para a adesão aos princípios do avivamento bíblico, transcrevo um dos capítulos do Livro “Por Que Tarda O Pleno Avivamento: “Na igreja moderna, a reunião de oração é uma espécie de Cinderela. Essa serva do Senhor é desprezada e desdenhada porque não se adorna com as pérolas do intelectualismo, nem se veste com as sedas da Filosofia; nem se acha ataviada com o diadema da Psicologia. Mas se apresenta com a roupagem simples da sinceridade e da humildade, e por isso não tem receio de se ajoelhar. O “mal” da oração é que ela não se acha necessariamente associada a grandes f…

Resgatando os valores perdidos no lar

Lucas 15.8-10
8 Ou qual é a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma, não acende a candeia, varre a casa e a procura diligentemente até encontrá-la?
9 E, tendo-a achado, reúne as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque achei a dracma que eu tinha perdido.10 Eu vos afirmo que, de igual modo, há júbilo diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.
A parábola (ilustração) da dracma perdida faz parte do conjunto de parábolas que Jesus contou em Lucas 15 para ilustrar o amor de Deus pelos pecadores, a parábola da ovelha perdida, do dracma perdida e do filho pródigo. Nas três parábolas, Deus busca o que estava perdido, encontra o que estava perdido e celebra com grande alegria a recuperação do que estava perdido. Uma Dracma era uma moeda. Observa-se que a mulher descrita é uma camponesa pobre, e as dez moedas de prata, "provavelmente representam a poupança da família." [2] As moedas também poderião ser o dote da mulher, vestida como um ornamento, como u…

Mantendo o fogo de Deus aceso.

1 Samuel 3.1-4
3.1 O jovem Samuel servia ao SENHOR, perante Eli. Naqueles dias, a palavra do SENHOR era mui rara; as visões não eram freqüentes.
2 Certo dia, estando deitado no lugar costumado o sacerdote Eli, cujos olhos já começavam a escurecer-se, a ponto de não poder ver,
3 e tendo-se deitado também Samuel, no templo do SENHOR, em que estava a arca, antes que a lâmpada de Deus se apagasse, 4 o SENHOR chamou o menino: Samuel, Samuel! Este respondeu: Eis-me aqui!
Existia no tabernáculo, onde se adorava a Deus, um candelabro , com sete lâmpadas que deveriam sempre estar acessas. E também havia o altar de holocaustos, onde o fogo não poderia se apagar.
· Ex 27.20“Ordenarás aos filhos de Israel que te tragam azeite puro de oliveiras, batido, para o candeeiro, para manter uma lâmpada acesa continuamente” (Êxodo 27:20). –falando do candelabro
· Lv6 .12 e 13:“O fogo que está sobre o altar arderá nele, não se apagará; mas o sacerdote acenderá lenha nele cada manhã, e sobre ele porá em ordem o h…