Pesquisar este blog

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Famílias fortes

Texto: II Reis 4:8-37


8 Certo dia, passou Eliseu por Suném, onde se achava uma mulher rica, a qual o constrangeu a comer pão. Daí, todas as vezes que passava por lá, entrava para comer. 9 Ela disse a seu marido: Vejo que este que passa sempre por nós é santo homem de Deus.

10 Façamos-lhe, pois, em cima, um pequeno quarto, obra de pedreiro, e ponhamos-lhe nele uma cama, uma mesa, uma cadeira e um candeeiro; quando ele vier à nossa casa, retirar-se-á para ali.  11 Um dia, vindo ele para ali, retirou-se para o quarto e se deitou. 12 Então, disse ao seu moço Geazi: Chama esta sunamita. Chamando-a ele, ela se pôs diante do profeta.  13 Este dissera ao seu moço: Dize-lhe: Eis que tu nos tens tratado com muita abnegação; que se há de fazer por ti? Haverá alguma coisa de que se fale a teu favor ao rei ou ao comandante do exército? Ela respondeu: Habito no meio do meu povo.
14 Então, disse o profeta: Que se há de fazer por ela? Geazi respondeu: Ora, ela não tem filho, e seu marido é velho. 15 Disse Eliseu: Chama-a. Chamando-a ele, ela se pôs à porta.
16 Disse-lhe o profeta: Por este tempo, daqui a um ano, abraçarás um filho. Ela disse: Não, meu senhor, homem de Deus, não mintas à tua serva. 17 Concebeu a mulher e deu à luz um filho, no tempo determinado, quando fez um ano, segundo Eliseu lhe dissera.  18 Tendo crescido o menino, saiu, certo dia, a ter com seu pai, que estava com os segadores. 19 Disse a seu pai: Ai! A minha cabeça! Então, o pai disse ao seu moço: Leva-o a sua mãe.
20 Ele o tomou e o levou a sua mãe, sobre cujos joelhos ficou sentado até ao meio-dia, e morreu.
21 Subiu ela e o deitou sobre a cama do homem de Deus; fechou a porta e saiu.
22 Chamou a seu marido e lhe disse: Manda-me um dos moços e uma das jumentas, para que eu corra ao homem de Deus e volte. 23 Perguntou ele: Por que vais a ele hoje? Não é dia de Festa da Lua Nova nem sábado. Ela disse: Não faz mal.
24 Então, fez ela albardar a jumenta e disse ao moço: Guia e anda, não te detenhas no caminhar, senão quando eu to disser.
25 Partiu ela, pois, e foi ter com o homem de Deus, ao monte Carmelo. Vendo-a de longe o homem de Deus, disse a Geazi, seu moço: Eis aí a sunamita;
26 corre ao seu encontro e dize-lhe: Vai tudo bem contigo, com teu marido, com o menino? Ela respondeu: Tudo bem. 27 Chegando ela, pois, ao homem de Deus, ao monte, abraçou-lhe os pés. Então, se chegou Geazi para arrancá-la; mas o homem de Deus lhe disse: Deixa-a, porque a sua alma está em amargura, e o SENHOR mo encobriu e não mo manifestou.
28 Disse ela: Pedi eu a meu senhor algum filho? Não disse eu: Não me enganes?
29 Disse o profeta a Geazi: Cinge os lombos, toma o meu bordão contigo e vai. Se encontrares alguém, não o saúdes, e, se alguém te saudar, não lhe respondas; põe o meu bordão sobre o rosto do menino.
30 Porém disse a mãe do menino: Tão certo como vive o SENHOR e vive a tua alma, não te deixarei. Então, ele se levantou e a seguiu.31 Geazi passou adiante deles e pôs o bordão sobre o rosto do menino; porém não houve nele voz nem sinal de vida; então, voltou a encontrar-se com Eliseu, e lhe deu aviso, e disse: O menino não despertou.
32 Tendo o profeta chegado à casa, eis que o menino estava morto sobre a cama. 33 Então, entrou, fechou a porta sobre eles ambos e orou ao SENHOR.
34 Subiu à cama, deitou-se sobre o menino e, pondo a sua boca sobre a boca dele, os seus olhos sobre os olhos dele e as suas mãos sobre as mãos dele, se estendeu sobre ele; e a carne do menino aqueceu.
35 Então, se levantou, e andou no quarto uma vez de lá para cá, e tornou a subir, e se estendeu sobre o menino; este espirrou sete vezes e abriu os olhos. 36 Então, chamou a Geazi e disse: Chama a sunamita. Ele a chamou, e, apresentando-se ela ao profeta, este lhe disse: Toma o teu filho. 37 Ela entrou, lançou-se aos pés dele e prostrou-se em terra; tomou o seu filho e saiu.”



Quando estudamos as famílias bíblicas, observamos que muitas delas enfrentaram crises gravíssimas.

A primeira família na Bíblia a enfrentar uma grande crise foi a de Adão. A crise surgiu com a entrada do pecado na vida deles e conseqüentemente, entre os seus filhos Caim e Abel. Caim começou a encher o seu coração com ciúme e inveja. Ciúme e inveja são sentimentos profundamente destrutivos.

Na família de Jacó houve um serio problema de relacionamento entre os seus filhos. José era objeto de ciúme e inveja. Seus irmãos rejeitavam os seus sonhos e se revoltavam contra o pai, por este ter preferência por José. E mais tarde o venderam como escravo para o Egito.

Na família de Abraão, houve uma grave crise entre Sara e uma serva chamada Hagar. Deus havia prometido a Sara um filho. Sara não espera o cumprimento da promessa de Deus, e pede a Abraão que tenha um filho da escrava.

Ao lembrarmos da família de Ana, mãe de Samuel, recordamos dos conflitos que ela enfrentou dentro da sua casa com Penina. Ana era humilhada por não poder ter filhos. Mas, Deus a honra e abre a sua madre.

Todas estas famílias venceram seus conflitos porque estavam firmadas sobre a rocha.

Conforme Jesus alertou em Mateus 7 os ventos podem soprar contra a casa do homem prudente e contra a casa do homem insensato. Em suma, os tempos de crise podem vir sobre todos nós, tementes a Deus ou não. Todos nós sofremos ataques do maligno com objetivo de matar, roubar e destruir nossos lares.

Mas, a casa forte é aquela edificada sobre a rocha, é a que ouve e pratica a palavra de Jesus.

O capitulo 4 de II Rs descreve alguns milagres no ministério do profeta Eliseu: o primeiro, quando o azeite da viúva pobre foi multiplicado por Deus, outro milagre, o do texto lido, foi quando o Senhor deu para família que hospedava Elizeu um filho, e este menino morreu, mas através da fé de Eliseu esse menino foi ressuscitado, e ainda outro milagre, foi quando os discípulos dos profetas estavam vivendo um período de necessidades, então um dos discípulos colheu um fruto que não conheciam, e que era venenoso, quando estavam para comer desse fruto, alguém exclamou que havia “morte na panela”, mas Eliseu colocou farinha na panela e o fruto deixou de ser venenoso, e ainda nesse texto 20 pães de cevada são multiplicados para alimentar cem homens.

No texto que lemos encontramos uma família, que tomamos como exemplo de uma família forte, que resistiu às provações, enfrentou desafios e conquistou vitórias mesmo estando diante de um quadro de morte.

- Quais são as provações que sua família tem vivido? Há alguma dificuldade no seu lar? Elas serão vencidas, em nome de Jesus, através do ensino de hoje.

Vamos aprender neste texto algumas marcas de uma família forte, que devemos cultivar também em nossas famílias. E assim, vencermos as diversas lutas que passamos como família.


QUAIS SÃO AS MARCAS DAS FAMÍLIAS FORTES?

I – FAMÍLIAS FORTES SE RELACIONAM PROFUNDAMENTE COM DEUS (V.8-11)

8 Certo dia, passou Eliseu por Suném, onde se achava uma mulher rica, a qual o constrangeu a comer pão. Daí, todas as vezes que passava por lá, entrava para comer. 9 Ela disse a seu marido: Vejo que este que passa sempre por nós é santo homem de Deus.

10 Façamos-lhe, pois, em cima, um pequeno quarto, obra de pedreiro, e ponhamos-lhe nele uma cama, uma mesa, uma cadeira e um candeeiro; quando ele vier à nossa casa, retirar-se-á para ali.

11 Um dia, vindo ele para ali, retirou-se para o quarto e se deitou



De acordo com o vs 08 a 11, a mulher sunamita percebeu que aquele homem que passava por ali era um “santo homem de Deus”, então procurou meios para que o relacionamento com ele se aprofundasse. Construindo um quarto para ele, com certeza ela o constrangeria a se demorar mais ali.

Ela sabia que Eliseu era um santo homem de Deus, um profeta que ministraria a palavra do Senhor em sua casa, um profeta que abençoaria a sua casa. Por isso, ela faz questão de hospedá-lo em sua casa, para ter um relacionamento com o Deus que Eliseu servia.

No AT, o Espírito Santo era dado a reis, sacerdotes e profetas, no NT o Espírito Santo é dado para aquele que crê em Jesus. O profeta Eliseu, era um homem cheio do Espírito Santo, e era bom tê-lo em casa. Aquela família, queria ouvir mais de Deus através de Eliseu, queria conhecer mais da vontade de Deus para vida deles, e quem poderia falar disso era o profeta Eliseu. Hospedando Eliseu, se estava hospedando o portador da palavra de Deus. Hospedando Eliseu, estava se hospedando o portador da bênção de Deus.

Mesmo num tempo de superficialidade nos relacionamentos uma família forte, faz do seu lar, um lugar da habitação permanente de Deus. Uma família forte compreende que o relacionamento com Deus deve ser cultivado todos os dias e não apenas nas reuniões de domingo na igreja.

Uma família forte é composta por pessoas que desejam ouvir a Deus todos os dias, e que se relacionam com sua palavra e com seus servos. Uma família forte é aquela que quer um relacionamento cada vez mais profundo com Deus.

( I – Famílias fortes se relacionam profundamente com Deus).

II – FAMILIAS FORTES CULTIVAM SONHOS VINDOS DE DEUS (V.14-17)

14 Então, disse o profeta: Que se há de fazer por ela? Geazi respondeu: Ora, ela não tem filho, e seu marido é velho. 15 Disse Eliseu: Chama-a. Chamando-a ele, ela se pôs à porta.

16 Disse-lhe o profeta: Por este tempo, daqui a um ano, abraçarás um filho. Ela disse: Não, meu senhor, homem de Deus, não mintas à tua serva. 17 Concebeu a mulher e deu à luz um filho, no tempo determinado, quando fez um ano, segundo Eliseu lhe dissera.



A mulher sunamita tinha o sonho de ter filhos, mas humanamente, era impossível realizar seu sonho, uma vez que seu marido já era velho. Porém quando Deus habita em nosso lar os sonhos nunca morrem. O profeta anunciou que Deus estava restaurando o sonho daquela família. “Daqui a um ano, abraçaras um filho.” Vs 16

Ela, porém nem queria acreditar, ela diz:”Não mintas à tua serva”, para ela era um sonho muito grande, que humanamente ela não poderia receber , mas Deus ressuscitou através do profeta Eliseu o sonho dessa família e “concebeu a mulher e deu a luz um filho, no tempo determinado, quando fez um ano, segundo Eliseu lhe dissera.”vs 17

Uma família forte faz do seu lar um incubatório de sonhos. Um lugar onde a esperança triunfa sobre o desanimo e o fracasso. A esperança em Deus é o oxigênio da alma de uma família.

Quem sabe existam famílias tão complicadas e difíceis que os membros, nem sequer tenham mais sonhos juntos. Desistiram de sonhar, a situação é difícil, o esposo desistiu dos projetos com a esposa, o pai desistiu da libertação do filho dos vícios, ou ainda, a esposa desistiu do marido viciado. Quem sabe existam famílias que tem desistido de servir a Deus juntos na casa do Senhor.

A sunamita, havia desistido de ser mãe, humanamente era impossível, mas Deus não desiste dos sonhos que nós mesmos já desistimos.

( I – Famílias fortes se relacionam profundamente com Deus; II – Famílas fortes cultivam sonhos vindos de Deus ).



III - FAMILIAS FORTES ENFRENTAM OS DESAFIOS AJUDADOS POR DEUS (V.18-20)

18 Tendo crescido o menino, saiu, certo dia, a ter com seu pai, que estava com os segadores. 19 Disse a seu pai: Ai! A minha cabeça! Então, o pai disse ao seu moço: Leva-o a sua mãe.

20 Ele o tomou e o levou a sua mãe, sobre cujos joelhos ficou sentado até ao meio-dia, e morreu.

Conforme os versos 18 a 20, o filho tão esperado adoeceu e veio a morrer. Agora diante da crise que se estabelece em seu lar, vendo seu sonho desmoronar, a mulher sunamita não se entregou. Ela decidiu firmemente ir ao encontro do homem de Deus para buscar a solução. Elias estava no monte Carmelo, e ela foi ao seu encontro.

V22-24:

22 Chamou a seu marido e lhe disse: Manda-me um dos moços e uma das jumentas, para que eu corra ao homem de Deus e volte. 23 Perguntou ele: Por que vais a ele hoje? Não é dia de Festa da Lua Nova nem sábado. Ela disse: Não faz mal. 24 Então, fez ela albardar a jumenta e disse ao moço: Guia e anda, não te detenhas no caminhar, senão quando eu to disser.

25 Partiu ela, pois, e foi ter com o homem de Deus, ao monte Carmelo. Vendo-a de longe o homem de Deus, disse a Geazi, seu moço: Eis aí a sunamita;

As expressões “guia e anda, não te detenhas no caminhar…” mostram a determinação e perseverança da mulher sunamita.

Ao enfrentar desafios Famílias fortes cultivam a perseverança. Não se rendem diante dos obstáculos que se postam no caminho para a realização dos sonhos de Deus.

Hebreus 12.1 Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, 2 olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus.

Quais são os desafios que estão diante de sua família?

Decida enfrentá-los e resolve-los olhando firmemente para Jesus. Vá a luta, não se conforme com a triste situação, creia no milagre e busque o socorro que só vem das mãos do Senhor.

( I – Famílias fortes se relacionam profundamente com Deus; II – Famílas fortes cultivam sonhos vindos de Deus III - FAMILIAS FORTES ENFRENTAM OS DESAFIOS AJUDADOS POR DEUS )



IV - FAMILIAS FORTES SE AUTO AVALIAM NA VONTADE DE DEUS (V 25-26)

25 Partiu ela, pois, e foi ter com o homem de Deus, ao monte Carmelo. Vendo-a de longe o homem de Deus, disse a Geazi, seu moço: Eis aí a sunamita;

26 corre ao seu encontro e dize-lhe: Vai tudo bem contigo, com teu marido, com o menino? Ela respondeu: Tudo bem.

Ao se aproximar do Monte Carmelo onde estava o “homem de Deus” a mulher sunamita é conduzida por Deus a pensar sobre sua vida familiar em três níveis: Vai tudo bem contigo, com teu marido e com o menino?

E mesmo com o menino morto, ela não se desespera e declara com fé: tudo bem.

Famílias fortes têm coragem de examinar a si mesmas em relação a vontade de Deus e quando necessário dirigidas pelo Espírito Santo fazerem mudanças. E, por mais que a situação familiar não esteja bem, pela fé você pode declarar: “Tudo bem”. Mas, muitas vezes somos convidados a refletir o real estado de nossas famílias, e pela fé crer que tudo estará bem.

Davi o “homem segundo o coração” orou dizendo “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.” Sl 139 – é preciso uma avaliação pessoal e uma avaliação se vai tudo bem com nossas famílias.

( I – Famílias fortes se relacionam profundamente com Deus; II – Famílas fortes cultivam sonhos vindos de Deus III - FAMILIAS FORTES ENFRENTAM OS DESAFIOS AJUDADOS POR DEUS ;IV - FAMILIAS FORTES SE AUTO AVALIAM NA VONTADE DE DEUS (V 25-26



V - FAMILIAS FORTES CREEM NO PODER DE DEUS (v.34-36)

O texto nos fala sobre o profeta Eliseu:

34-Subiu à cama, deitou-se sobre o menino e, pondo a sua boca sobre a boca dele, os seus olhos sobre os olhos dele e as suas mãos sobre as mãos dele, se estendeu sobre ele; e a carne do menino aqueceu. 35 Então, se levantou, e andou no quarto uma vez de lá para cá, e tornou a subir, e se estendeu sobre o menino; este espirrou sete vezes e abriu os olhos. 36 Então, chamou a Geazi e disse: Chama a sunamita. Ele a chamou, e, apresentando-se ela ao profeta, este lhe disse: Toma o teu filho.

Mesmo diante de um quadro de morte a mulher sunamita não desistiu de crer na ação sobrenatural de Deus em seu lar. Sua perseverança foi segundo a graça de Deus recompensada. Através do profeta Eliseu, Deus ressuscitou seu filho.

Famílias fortes esperam a ação sobrenatural de Deus diante da impossibilidade humana. A mulher sunamita creu e sua fé foi recompensada com o milagre que Deus operou em sua casa.

É impossível, espere e creia no milagre!

Conclusão

Quando estudamos as famílias bíblicas, observamos que muitas delas enfrentaram crises gravíssimas, desde Adão até o dia de hoje, todas as famílias tem suas dificuldades. Mas a família forte é aquela que é como a casa edificada na rocha, é a que ouve e pratica a palavra de Deus.

No texto que lemos encontramos uma família, que tomamos como exemplo de uma família forte, que resistiu às provações, enfrentou desafios e conquistou vitórias, mesmo estando diante de um quadro de morte.

Famílias fortes



QUAIS SÃO AS MARCAS DAS FAMÍLIAS FORTES?



I – FAMÍLIAS FORTES SE RELACIONAM PROFUNDAMENTE COM DEUS (V.8-11)

II – FAMILIAS FORTES CULTIVAM SONHOS VINDOS DE DEUS (V.16-17)

III - FAMILIAS FORTES ENFRENTAM OS DESAFIOS AJUDADOS POR DEUS (V.18-20)

IV - FAMILIAS FORTES SE AUTO AVALIAM NA VONTADE DE DEUS (V 25-26)

V - FAMILIAS FORTES CREEM NO PODER DE DEUS (v.34-36)













Nenhum comentário:

Postar um comentário