Pesquisar este blog

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Amar o próximo

Mt 5. 38-48


38 - Ouvistes que foi dito: Olho por olho, dente por dente.
39 Eu, porém, vos digo: não resistais ao perverso; mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra; 40 e, ao que quer demandar contigo e tirar-te a túnica, deixa-lhe também a capa.
41 Se alguém te obrigar a andar uma milha, vai com ele duas.
42 Dá a quem te pede e não voltes as costas ao que deseja que lhe emprestes.
43 Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo.
44 Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; 45 para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos. 46 Porque, se amardes os que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem os publicanos também o mesmo? 47 E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os gentios também o mesmo? 48 Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.

               Continuaremos hoje a observar alguns aspectos do sermão do monte, e neste texto temos a essência de um verdadeiro viver Cristão. Aqui Jesus, não está contradizendo o AT como alguns pensam, mas está resgatando o verdadeiro valor da lei que havia sido perdido.

O principio que foi citado por Jesus foi, também, declarado em Lv 24.20 e Dt 19.21:

Levítico24.20:" fratura por fratura, olho por olho, dente por dente; como ele tiver desfigurado a algum homem, assim se lhe fará.

Deuteronômio19.21 "Não o olharás com piedade: vida por vida, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé." Esse realmente era o regimento de comportamento do povo do AT. Essa era uma instrução dos juízes de Israel.Mas, anteriormente a esse versículo, temos no AT um mandamento que está em Lv 19.18: "Não te vingarás, nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o SENHOR."
            O mandamento de amar o próximo, inclusive os inimigos, estabeleceu esse principio de uma retribuição justa, que tinha um duplo propósito: fazer justiça, especificando a punição que o malfeitor merecia, e impedir a vitima de estabelecer uma vingança cometendo outro crime pior, assim o malfeitor teria que pagar o equivalente ao seu erro e não mais que isso.
           O problema é que nos tempos de Jesus, os escribas e fariseus tentaram usar esse principio para justificar a vingança pessoal, embora em Lv 19. 18 a lei explicitamente proibia a vingança.
           Então, esse principio de retribuição judicial estava sendo usado como pretexto para exercer a vingança que foi proibida pela lei. Os fariseus usavam esse princípio não só nos tribunais de justiça ( que era o local adequado), mas também no âmbito dos relacionamentos pessoais, e isso era a aplicação errada da lei.
             Sobre a frase citada por Jesus no verso 43 “ Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo.” Essa segunda parte, não está no AT, mas era uma falsa conclusão derivada do ensino dos escribas, pois, pensavam eles, que a palavra “próximo” era referindo-se apenas à um outro Judeu. Jesus mostrou que o próximo é qualquer pessoa, incluindo até o inimigo.
         Então, esse texto que lemos, proíbe a vingança e nos convida ao amor àqueles que se levantam contra nós. Amarmos aqueles que nos perseguem e se fazem nossos inimigos.
Algumas lições:
1ª Lição: Amar o próximo é um mandamento que nos transforma (v.39 e 40). 

"39 Eu, porém, vos digo: não resistais ao perverso; mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra; 40 e, ao que quer demandar contigo e tirar-te a túnica, deixa-lhe também a capa. "
          Jesus dá uma orientação incomum em relação a pregação dos religiosos do seu tempo. Uma pregação que nos leva à um verdadeiro cristianismo, onde o amor de Deus é revelado através de seus discípulos em todas as circunstâncias e a todo o tipo de pessoa. O mais incrível não é tanto o poder que esse mandamento tem em relação àquele que nos fere a face, mas sim o poder que tem para transformar aquele que é ferido e dá a outra face, pois esse mandamento nos assemelha a Cristo, que deu a vida por nós pecadores.
          Martin Luther King Jr, foi um pastor protestante e ativista político Norte Americano, ele tornou-se um dos mais importantes líderes do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos e no mundo, com uma campanha de não violência e de amor ao próximo; esse homem conhecia o significado do sofrimento e do dar a outra face: Teve sua casa bombardeada, viveu treze anos debaixo de ameaças de morte, foi acusado de ser cumunista, esfaqueado por alguém da sua própria raça pelo qual lutava por seus direitos, agredido, preso mais de vinte vezes; mas viveu intensamente nesse mundo pregando contra a violência e falando do poder libertador do amor. Lutou, mas apesar disso, teve que enfrentar o não reconheciemnto humano, lutou uma causa justa e foi perseguido por causa da justiça.
         Dar a outra face é, apesar de não reconhecidos, amarmos. Apesar, de não valorizados pelo empenho que fazemos pelas pessoas, continuarmos nos empenhando. Apesar de não reconhecidos nossos atos de amor, continuarmos amando. Apesar de feridos, perdoarmos 70 vezes 7 vezes e continuarmos perdoando.
Obedecer esse mandamento nos torna como filhos do nosso Pai celeste. Mt 5. 44 nos diz:  "Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; 45 para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste,..."
2ª Lição: Amar o próximo é agirmos a seu favor  (v.44).
44 Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem;
          Jesus não apenas refere-se a um amor de palavras e sentimentos aos a inimigos, mas fala de uma ação em favor deles “orai pelos que vos perseguem”.
Vers. 47:  "E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os gentios também o mesmo?"
         O que Jesus está enfatizando é que o verdadeiro amor não é apenas um sentimento, como também é obra – prática, humilde e sacrificial.
          Então, se nossos inimigos procuram nosso mal; precisamos procurar o bem deles. Da mesma forma como Deus nos tratou, pois quando éramos inimigos de Deus por causa do pecado, Cristo morreu para nos reconciliar com ele. Ele fez algo em nosso favor. E, seguindo o exemplo de Cristo devemos proceder da mesma forma com nossos inimigos.
Romanos 12.20 : "Pelo contrário, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça."
        As palavras também podem expressar o nosso amor; tanto as palavras dirigidas aos nossos inimigos como, igualmente, as palavras dirigidas a Deus em favor deles. Lucas 6.28 ( referindo-se ao mesmo sermão) nos diz: “abençoem os que os amaldiçoam, orem por aqueles que os maltratam”.
       Então , se essas pessoas rogarem que venham desgraças sobre nós, vamos vencer rogando que as maiores bênçãos do Senhor venham sobre eles. Assim, declarando em palavras que não desejamos nada de mal na vida deles, e não há em nós desejo de vingança, mas que desejamos que recebam todo bem.
Amarmos o próximo é agirmos a seu favor.
3ª Lição : Amar o próximo é lançar fora a discriminação (v. 47).

47 E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os gentios também o mesmo?
            Não podemos discriminar, fazer acepção, separação entre pessoas. O amor de Deus é um amor que não discrimina ninguém. Não podemos saudar apenas nossos irmãos. Não podemos tratar bem apenas aqueles que pensam como nós. Deus manifesta o seu amor à pessoas boas e más, apesar de reconhecerem ou não o seu amor. No entanto o amor humano, carnal , está sempre contaminado de alguma forma pelas impurezas do interesse pessoal.
          Amarmos pessoas sem termos interesses pessoais é algo que só pode acontecer pela ação sobrenatural de Deus em nós. Amarmos aqueles que não são do nosso grupo, aqueles que não se interessam por nós, aqueles que socialmente nos discriminam só é possível pela ação do Espírito Santo em nossas vidas.
      A questão proposta por Jesus no verso 47 é: “ se saudarem apenas vossos irmãos, o que vocês fazem de diferente do resto do mundo?”. Então, não basta aos cristãos serem iguais aos não cristãos, nosso chamado é superá-los em suas virtudes.
      As vezes no mundo, enquanto a pessoa pode dar algum lucro ela é bem tratada, quando não se vê vantagens para se tirar da vida da pessoa, ela é esquecida. O cristão é chamado a viver um amor que não é interesseiro, nem sequer é discriminatório.

Conclusão
       O texto que lemos, proíbe a vingança e nos convida ao amor àqueles que se levantam contra nós. Amarmos aqueles que nos perseguem e se fazem nossos inimigos.Amar o próximo.
Vimos no texto algumas lições:
1ª Lição: Amar o próximo é um mandamento que nos transforma.

2ª Lição: Amar o próximo é agirmos a seu favor.

3ª Lição : Amar o próximo é lançar fora a discriminação.

Que Deus nos ajude em nossa vida cristã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário