Pular para o conteúdo principal

A ressurreição de Cristo



1Co 15: 14,17 e 20 e21
“E, se Cristo não ressuscitou , é vã a nossa pregação , e vã, a nossa fé;” – v.14
“E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados.” V.17
20-21“ Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. 21 Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos.” (v.20-21).
No capitulo 15 de 1 aos Coríntios, Paulo fala da importância da ressurreição de Cristo. Nos versículos 3 a 8 Paulo apresenta algumas evidências dessa ressurreição:
“3 Antes de tudo, vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, 4 e que foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.
5 E apareceu a Cefas e, depois, aos doze.
6 Depois, foi visto por mais de quinhentos irmãos de uma só vez, dos quais a maioria sobrevive até agora; porém alguns já dormem.
7 Depois, foi visto por Tiago, mais tarde, por todos os apóstolos
8 e, afinal, depois de todos, foi visto também por mim, como por um nascido fora de tempo”.
Uma heresia estava no meio da igreja de Corinto, diziam alguns que não existia a ressurreição de mortos.
A doutrina da ressurreição é o fato que no dia do arrebatamento da igreja os mortos em Cristo ressuscitarão, os corpos serão feitos novamente e haverá o encontro da igreja e daqueles que ressuscitarem e que tem suas almas no céu. Depois dos 7 anos de tribulação, os mortos sem Cristo ressuscitarão também, para comparecer diante do trono de Deus, onde receberão a sentença de seus pecados e a condenação eterna.
Dentro da igreja de Corinto havia um grupo que não cria nisso v.12 -17:
“12 Ora, se é corrente pregar-se que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como, pois, afirmam alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos? 13 E, se não há ressurreição de mortos, então, Cristo não ressuscitou.
14 E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé;
15 e somos tidos por falsas testemunhas de Deus, porque temos asseverado contra Deus que ele ressuscitou a Cristo, ao qual ele não ressuscitou, se é certo que os mortos não ressuscitam. 16 Porque, se os mortos não ressuscitam, também Cristo não ressuscitou.
17 E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados.”
Paulo contra-argumenta aqueles que não criam na ressurreição . A ressurreição de Cristo é o sinal que mostra que há ressurreição dos mortos. Pensar que não existe ressurreição dos mortos é negar a ressurreição de Cristo. Aquele que não crê na ressurreição dos mortos, não crê que Cristo venceu a morte. O fato de Cristo ter vencido a morte pela sua ressurreição é também a nossa vitória sobre a morte física e eterna, física – morte do corpo, eterna – inferno. Cristo ressuscitou para que a morte fosse vencida e pudéssemos também ser ressuscitados. Os corpos dos cristãos estão reservados para o dia da ressurreição.
O grande pregador evangelista Billy Grahan escreveu: “Na pregação dos primeiros apóstolos a cruz e a ressurreição eram temas concordantes. A cruz e a ressurreição estavam ligadas. Sem a ressurreição a cruz não tem sentido. Separada da ressurreição, a cruz foi uma tragédia e uma derrota. Se os ossos de Cristo jazem corroídos num túmulo, nesse caso não há boa nova, a treva do mundo é realmente negra e a vida não tem significado. O NT torna-se um mito, o cristianismo uma fábula e milhões de pessoas, vivas e mortas, são vítimas da gigantesca mistificação”.
Irmãos, a morte e ressurreição de Cristo não são uma fábula, mas uma história real e significativa. Precisamos aprender o que nos revela a ressurreição de Cristo, qual é a importância dela para nossas vidas.
O que nos revela a ressurreição de Cristo?
1) A ressurreição de Cristo nos revela que viveremos outra vez.
“ Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos.”v.21
A morte entrou no mundo pela desobediência de Adão, sendo o salário do pecado a morte, e considerando que a partir de Adão todo homem é pecador. O perdão dos pecados e a ressurreição entraram no mundo por Jesus que ressuscitou e vive eternamente. Ele é a primicia dos que ressuscitarão.
Muitos olham para a vida após a morte, mas estão cheios de pessimismo.
A )Mas, qual é o ensino de Jesus Cristo sobre a ressurreição ?
Quando ressuscitou Lázaro, Jesus disse em Jo 11:25-26: “ Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; 26 e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto?”
Ele fala ser a própria ressurreição, e todo o que nele crer não permanecerá para sempre morto.
Leia Jo 14: 19: “Ainda por um pouco, e o mundo não me verá mais; vós, porém me vereis; porque eu vivo, vós também vivereis.”
Antes de ser crucificado, ele dirige essas palavras, garantindo que nossas vida, tanto no céu, como na ressurreição dos mortos é garantida pela sua vida: “ porque eu vivo, vós também vivereis.”
b) Qual é o ensino de Paulo sobre a ressurreição?
1 Co 15: 51-57:
“51 Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos, .52 num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. 53 Porque é necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que o corpo mortal se revista da imortalidade.
54 E, quando este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir de imortalidade, então, se cumprirá a palavra que está escrita: Tragada foi a morte pela vitória. 55 Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão?
56 O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. 57 Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo.”
A morte foi tragada pela vitória da ressurreição de Cristo. Porque ele ressuscitou, temos vida eterna e a ressurreição do corpo.
Vimos esse primeiro ponto: A ressurreição de Cristo nos revela que viveremos outra vez.
2) A ressurreição de Cristo nos revela sua presença conosco.
Mateus 28: 20 b: “ E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século”.
Quando não vivemos na presença de Jesus, o medo , o pavor, a angustia, a frustração e a derrota tomam conta de nossos sentimentos. Mas a certeza, a experiência desta presença cria um novo ambiente.
Jesus dirigiu essas palavras após sua ressurreição, na grande comissão, antes de subir ao céu. São palavras do Cristo ressurreto. Do Cristo que vive. Tais palavras nos ajudam a viver em um mundo hostil, pecaminoso e difícil. Uma das maiores bênçãos da ressurreição de Cristo consiste em podermos desfrutar da sua bendita presença conosco sejam quais forem as circunstâncias. Salmo 23 v 4: “ Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam”.
Ele é o divino companheiro em todas as horas certas e incertas, alegres e tristes, fáceis e difíceis, na saúde ou na enfermidade, quando somos aplaudidos e quando somos desprezados pelos homens, não importa o momento ele está conosco.
Ele não está morto, ele está comigo.
Muitas pessoas queridas morreram e não podem estar hoje conosco. Mas, o Senhor Jesus, está conosco.
Hebreus 13: 5 b “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei.”
3) A ressurreição de Cristo nos revela a esperança de sua volta gloriosa
Atos 1:9-11
Ditas estas palavras, foi Jesus elevado às alturas, à vista deles, e uma num o encobriu dos seus olhos. 10 E, estando eles com os olhos fitos no céu, enquanto Jesus subia, eis que dois varões vestidos de branco se puseram ao lado deles 11 e lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para as alturas? Esse Jesus que dentre vós foi assunto ao céu virá do modo como o vistes subir.”
O texto fala da ascensão de Jesus. O Jesus ressurreto subiu ao Céu. Mas virá novamente , do mesmo modo como foi visto subir. Os anjos proclamaram isso aos discípulos. Desde o Antigo Testamento, temos ensinos claros a respeito da segunda vinda de Cristo. No Novo Testamento temos em todos os evangelhos ensinos que mostram que Cristo voltará. E o apocalipse inteiro fala do retorno de Jesus .
Cristo ressuscitou, foi ao Céu, ao mesmo tempo que espiritualmente está conosco, nos arrebatará e voltará.
Aguardamos a volta de Jesus Cristo. A mais gloriosa verdade do mundo inteiro é a segunda vinda de Jesus. Não é possível a comemoração da páscoa se não testemunharmos esta verdade. É a certeza, a expectativa, a esperança e o anseio pela volta de Jesus que nos faz mais firmes em nossa fé e mais ousados em nosso testemunho cristão.
Podemos exclamar: Maranata – “O Senhor vem”.

Conclusão
No capitulo 15 de 1 aos Coríntios, Paulo fala da importância da ressurreição de Cristo .
A ressurreição de Cristo é o sinal que mostra que há ressurreição dos mortos. Mas, aquele que não crê na ressurreição dos mortos, não crê que Cristo venceu a morte. O fato de Cristo ter vencido a morte pela sua ressurreição é também a nossa vitória sobre a morte física e eterna, física – morte do corpo, eterna – inferno. Cristo ressuscitou para que a morte fosse vencida e pudéssemos também ser ressuscitados. Os corpos dos cristãos estão reservados para o dia da ressurreição.
A ressurreição de Cristo
O que nos revela a ressurreição de Cristo?
1)A ressurreição de Cristo nos revela que viveremos outra vez.
2) A ressurreição de Cristo nos revela sua presença conosco.
3) A ressurreição de Cristo nos revela a esperança de sua volta gloriosa

Creiamos nessa gloriosa ressurreição.
Feliz páscoa a todos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trazendo a Arca da Aliança

Como trarei a mim a arca de Deus? Leonard Ravenhill(1907-1994) foi um escritor e evangelista cristão britânico que focalizava em assuntos como oração e avivamento. É mais conhecido por desafiar a igreja moderna e seu mais notável livro é “Por Que Tarda o Pleno Avivamento?” Através de seu ensino e de seus livros, Ravenhill abordou as disparidades que ele percebia entre a Igreja do Novo Testamento e a Igreja moderna e apelou para a adesão aos princípios do avivamento bíblico, transcrevo um dos capítulos do Livro “Por Que Tarda O Pleno Avivamento: “Na igreja moderna, a reunião de oração é uma espécie de Cinderela. Essa serva do Senhor é desprezada e desdenhada porque não se adorna com as pérolas do intelectualismo, nem se veste com as sedas da Filosofia; nem se acha ataviada com o diadema da Psicologia. Mas se apresenta com a roupagem simples da sinceridade e da humildade, e por isso não tem receio de se ajoelhar. O “mal” da oração é que ela não se acha necessariamente associada a grandes f…

Resgatando os valores perdidos no lar

Lucas 15.8-10
8 Ou qual é a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma, não acende a candeia, varre a casa e a procura diligentemente até encontrá-la?
9 E, tendo-a achado, reúne as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque achei a dracma que eu tinha perdido.10 Eu vos afirmo que, de igual modo, há júbilo diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.
A parábola (ilustração) da dracma perdida faz parte do conjunto de parábolas que Jesus contou em Lucas 15 para ilustrar o amor de Deus pelos pecadores, a parábola da ovelha perdida, do dracma perdida e do filho pródigo. Nas três parábolas, Deus busca o que estava perdido, encontra o que estava perdido e celebra com grande alegria a recuperação do que estava perdido. Uma Dracma era uma moeda. Observa-se que a mulher descrita é uma camponesa pobre, e as dez moedas de prata, "provavelmente representam a poupança da família." [2] As moedas também poderião ser o dote da mulher, vestida como um ornamento, como u…

Mantendo o fogo de Deus aceso.

1 Samuel 3.1-4
3.1 O jovem Samuel servia ao SENHOR, perante Eli. Naqueles dias, a palavra do SENHOR era mui rara; as visões não eram freqüentes.
2 Certo dia, estando deitado no lugar costumado o sacerdote Eli, cujos olhos já começavam a escurecer-se, a ponto de não poder ver,
3 e tendo-se deitado também Samuel, no templo do SENHOR, em que estava a arca, antes que a lâmpada de Deus se apagasse, 4 o SENHOR chamou o menino: Samuel, Samuel! Este respondeu: Eis-me aqui!
Existia no tabernáculo, onde se adorava a Deus, um candelabro , com sete lâmpadas que deveriam sempre estar acessas. E também havia o altar de holocaustos, onde o fogo não poderia se apagar.
· Ex 27.20“Ordenarás aos filhos de Israel que te tragam azeite puro de oliveiras, batido, para o candeeiro, para manter uma lâmpada acesa continuamente” (Êxodo 27:20). –falando do candelabro
· Lv6 .12 e 13:“O fogo que está sobre o altar arderá nele, não se apagará; mas o sacerdote acenderá lenha nele cada manhã, e sobre ele porá em ordem o h…