Pesquisar este blog

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

HONRANDO AO SENHOR COM A VIDA DE NOSSOS FILHOS

1 Sm 1: 26-28

26 E disse ela: Ah! Meu senhor, tão certo como vives, eu sou aquela mulher que aqui esteve contigo, orando ao SENHOR.27 Por este menino orava eu; e o SENHOR me concedeu a petição que eu lhe fizera.28 Pelo que também o trago como devolvido ao SENHOR, por todos os dias que viver; pois do SENHOR o pedi. E eles adoraram ali o SENHOR.

1 Sm 2:11

Então, Elcana foi-se a Ramá, a sua casa; porém o menino ficou servindo ao SENHOR, perante o sacerdote Eli.

Nos é conhecida a história do nascimento de Samuel. Samuel nasceu como resultado da oração de sua mãe Ana que era estéril. Ana, esposa de Elcana não podia ter filhos, por causa disso seu marido teve outra esposa chamada Penina a qual lhe dava filhos.

Ana um dia resolveu colocar sua situação diante de Deus, num dia que sua família foi ao tabernáculo servir a Deus, ela foi orar sozinha e disse: Cap 1.10-11

10 levantou-se Ana, e, com amargura de alma, orou ao SENHOR, e chorou abundantemente.11 E fez um voto, dizendo: SENHOR dos Exércitos, se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, e lhe deres um filho varão, ao SENHOR o darei por todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha.

Ana pediu um filho e de antemão resolveu consagrá-lo a Deus. Ela queria um filho, mas tinha certeza que esse filho era para a honra e glória do Senhor.

E no texto que lemos nessa noite vemos Ana indo ao tabernáculo , depois que o menino desmamou , o entregando ali para que ficasse o menino ali, sob o cuidado dos sacerdotes e de Eli o sumo-sacerdote, para que o menino servisse a Deus ali. Ana veio ao templo para honrar o Senhor com a vida de seu filho. Precisamos aprender com Ana, que nossos filhos são para a honra e glória do Senhor.

Ana e Elcana foram, um pai e uma mãe que, honraram ao Senhor com a vida de seu filho.

O que é preciso para honrarmos ao Senhor com a vida de nossos filhos?

1) É preciso reconhecer que os filhos são herança do Senhor ( v.27)

27 Por este menino orava eu; e o SENHOR me concedeu a petição que eu lhe fizera.

Ana havia clamado ao Senhor para que conseguisse engravidar, ela recebeu então do Senhor o filho que pedira. Nós vemos claramente no coração de Ana um reconhecimento, quando ela diz: “e o Senhor me concedeu a petição que eu lhe fizera”. Ana estava honrando ao Senhor com a gratidão de seu coração, ela estava o honrando com o reconhecimento, ela estava o honrando com alegria. Apesar de estar entregando Samuel ao cuidado de outras pessoas, por causa do voto que fizera, a alegria e a gratidão eram visíveis em suas palavras.

Qual era a causa de tanta alegria e gratidão no coração de Ana? O reconhecimento de que aquele filho era um presente do Senhor para ela. Quando reconhecemos as bênçãos do Senhor em nossas vidas não podemos conter a alegria. Mais tarde o rei Salomão no salmo 127 reconhece: Herança do SENHOR são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão.4 Como flechas na mão do guerreiro, assim os filhos da mocidade.5 Feliz o homem que enche deles a sua aljava; não será envergonhado, quando pleitear com os inimigos à porta.

Amados, é bem verdade que em muitos momentos teremos dificuldades em relação aos nossos filhos, outras vezes teremos alguns desprazeres. Mas, tudo isso não invalida a bênção relatada nesse salmo. Além disso ser uma afirmação, é também algo profético que devemos declarar sobre a vida de nossos filhos, enquanto crescem, como também na adolescência , juventude e vida adulta. Sendo assim, você pode afirmar que seu filho (seus filhos) são uma bênção em suas vidas. Elas são herança do Senhor.

A cultura atual tem trazido uma idéia de que se ter filhos, é um problema, muitos pensam que é um farto. Mas isso é um engano do Maligno. Os filhos são herança do Senhor.

Podemos ser gratos como Ana, podemos estar felizes como ela estava, pois Deus nos tem dado herança nessa terra.

2) É preciso devolver nossos filhos ao Senhor ( v.28)

28 Pelo que também o trago como devolvido ao SENHOR, por todos os dias que viver; pois do SENHOR o pedi. E eles adoraram ali o SENHOR.

É interessante neste texto que Ana reconhece que seu filho não era seu, mas de Deus. Deus a havia dado , mas ele devolveu ao Senhor.

Devolver os filhos ao Senhor é o reconhecimento de que apesar de eles estarem em nossas casas, eles não são nossos, mas de Deus. Também a atitude de Ana devolver seu filho a Deus nos fala da necessidade de consagrarmos nossos filhos ao Senhor. Consagração é um ato de santificação. Quando Ana consagra seu filho ao Senhor, ela o separa do mundo, ela o separa das paixões desta terra, ela o separa para o Senhor.

Honraremos ao Senhor com nossos filhos quando devolvermos nossos filhos ao Senhor.

Assim, eles são devolvidos a Deus, mas ainda estão debaixo da nossa orientação. Sendo assim o que é consagrarmos a Deus nossos filhos?

É os separarmos do pecado, os separarmos do mundo. É sermos firmes com eles, ensinando o caminho que devem andar e dizendo não ao erro, não ao pecado, não a desenhos televisivos que ensinam a violência, não para as más companhias e não para o pecado, para as ruas, para os namoros inconvenientes. Ser pai cristão é dizer não para o mundo na vida de nossos filhos e sim para Deus. Precisamos ensinar e também voltarmos a dizer não – Não ao pecado.

Nesse sentido temos honrado ao Senhor com nossos filhos?

Muitas vezes são os pais que estão sendo mandados e até orientados para fazer tudo o que os filhos desejam, e na hora da separação do pecado não tem autoridade pra dizer não. Os papéis estão se invertendo e a permissividade está entrando como uma arma do Maligno na vida de nossas crianças. É preciso devolvermos para o Senhor nossos filhos, pois eles estão conosco, mas são do Senhor.

Devolver através da oração

Devolvermos através da devoção

Devolvermos através da consagração, onde se diz não para o pecado e sim para Deus.

3) É preciso ter fé que nossos filhos servirão ao Senhor ( Cap 2. V11)

Então, Elcana foi-se a Ramá, a sua casa; porém o menino ficou servindo ao SENHOR, perante o sacerdote Eli.

Ana e Elcana deixaram seu filho Samuel no Tabernáculo , eles não se afligiram, eles sabiam que seu filho serviria ao Senhor , e o resultado foi que o menino realmente estava servindo ao Senhor. Ana tinha uma aliança com Deus. Nessa Aliança ela fez a parte que prometeu. Ela deu o menino ao Senhor, então pela fé sabia que o Senhor o faria crescer diante dele. E não afastou-se Samuel dos caminhos do Senhor.

Samuel tornou-se sacerdote diante de Deus, juiz de seu povo e profeta do Senhor.

Sabemos o que a bíblia nos diz sobre ensinarmos as crianças nos caminhos em que elas devem andar e quando forem velhos não se desviaram dele.

Provérbios
22.6 Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.

“Ensina” – nossa parte

“E quando for velho não se desviará” = promessa de Deus e toda a promessa exige fé.

Cremos que muitas vezes fazemos a nossa parte, mas falta-nos confiança nas promessas de Deus. E quando não temos fé nas promessas nós não recebemos as promessas.

A palavra nos diz:

2.18 Samuel ministrava perante o SENHOR, sendo ainda menino, vestido de uma estola sacerdotal de linho.

2.21 Abençoou, pois, o SENHOR a Ana, e ela concebeu e teve três filhos e duas filhas; e o jovem Samuel crescia diante do SENHOR.

2.26 Mas o jovem Samuel crescia em estatura e no favor do SENHOR e dos homens.

3.1 O jovem Samuel servia ao SENHOR, perante Eli.

Valeu a pena Elcana e Ana confiarem, valeu a pena Ana saber que o Senhor é poderoso e fiel para cumprir sua palavra na vida de seus filhos.

Precisamos confiar no Senhor e ter fé. Pois assim a bênção virá sobre nossos filhos.

Conclusão

Ana pediu um filho e de antemão resolveu consagrá-lo a Deus. Ela queria um filho, mas tinha certeza que esse filho era para a honra e glória do Senhor.

E no texto que lemos nessa noite vemos Ana indo ao tabernáculo , depois que o menino desmamou , o entregando ali para que ficasse o menino ali, sob o cuidado dos sacerdotes e de Eli o sumo-sacerdote, para que o menino servisse a Deus ali. Ana consagrou o menino ao Senhor e cumpriu seus fotos.

Da mesma forma, vemos como pais que nossos filhos precisam ser consagrados a Deus. Eles devem ser do Senhor .E nós devemos honrar ao Senhor com os nossos filhos.

Honrando ao Senhor com a vida de nossos filhos

O que é preciso para honrarmos ao Senhor com a vida de nossos filhos?

1) É preciso reconhecer que os filhos são herança do Senhor ( v.27)

2) É preciso devolver nossos filhos ao Senhor ( v.28)

3) É preciso ter fé que nossos filhos servirão ao Senhor

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Trazendo a Arca da Aliança





Como trarei a mim a arca de Deus?
Leonard Ravenhill (1907-1994) foi um escritor e evangelista cristão britânico que focalizava em assuntos como oração e avivamento. É mais conhecido por desafiar a igreja moderna e seu mais notável livro é “Por Que Tarda o Pleno Avivamento?” Através de seu ensino e de seus livros, Ravenhill abordou as disparidades que ele percebia entre a Igreja do Novo Testamento e a Igreja moderna e apelou para a adesão aos princípios do avivamento bíblico, transcrevo um dos capítulos do Livro “Por Que Tarda O Pleno Avivamento:
“Na igreja moderna, a reunião de oração é uma espécie de Cinderela. Essa serva do Senhor é desprezada e desdenhada porque não se adorna com as pérolas do intelectualismo, nem se veste com as sedas da Filosofia; nem se acha ataviada com o diadema da Psicologia. Mas se apresenta com a roupagem simples da sinceridade e da humildade, e por isso não tem receio de se ajoelhar.
O “mal” da oração é que ela não se acha necessariamente associada a grandes façanhas mentais. (Não quero dizer, porém, que se confunda com preguiça mental). A oração só exige um requisito: a espiritualidade. Ninguém precisa ser espiritual para pregar, isto é, a preparação e pregação de um sermão perfeito segundo as regras da homilética e com exatidão exegética, não requer espiritualidade. Qualquer um que possua boa memória, vasto conhecimento, forte personalidade, vontade, autoconfiança e uma boa biblioteca pode pregar em qualquer púlpito hoje em dia. E uma pregação dessas pode sensibilizar as pessoasmas a oração move o coração de Deus. A pregação toca o que é temporal; a oração, o que é eterno. O púlpito pode ser uma vitrine onde expomos nossos talentos; o aposento da oração, pelo contrário, desestimula toda a vaidade pessoal.
A grande tragédia de nossos dias é que existem muitos pregadores sem vida, no púlpito, entregando sermões sem vida, a ouvintes sem vida. Que lástima! Tenho constatado um fato muito estranho que ocorre até mesmo em igrejas fundamentalistas: a pregação sem unção. E o que é unção? Não sei. Mas sei muito bem o que é não ter unção (ou pelo menos sei quando não estou ungido). Uma pregação sem unção mata a alma do ouvinte, em vez de vivificá-la. Se o pregador não estiver ungido, a Palavra não tem vida. Pregador, com tudo que possuis, adquire unção.
Irmão, nós poderíamos ter a metade da capacidade intelectual que possuímos se fôssemos duas vezes mais espirituais. A pregação é uma tarefa espiritual. Um sermão gerado na mente só atinge a mente de quem a ouve. Mas gerada no coração, chega ao coração. Um pregador espiritual, sob o poder de Deus, produz mentalidade espiritual em seus ouvintes. A unção não é uma pombinha mansa esvoaçando à janela da alma do pregador; não. Pelo contrário; temos que batalhar por ela e conquistá-la. Também não é algo que se aprenda; é bênção que se obtém pela oração. Ela é o prêmio que Deus concede ao combatente da fé, que luta em oração, e consegue a vitória. E não é com piadinhas e tiradas intelectuais que se chega à vitória no púlpito, não. Essa batalha é ganha ou perdida antes mesmo de o pregador pôr os pés lá. A unção é como dinamite. Não é recebida pela imposição de mãos, nem tampouco cria mofo se o pregador for lançado numa prisão. Ela penetra e permeia a alma; abranda-a e tempera-a. E se o martelo da lógica e o fogo do zelo humano não conseguirem quebrar o coração de pedra, a unção o fará.
Que febre de construção de templos estamos presenciando hoje. No entanto, sem pregadores ungidos, o altar dessas igrejas não verá pecadores rendidos a Cristo. Suponhamos que todos os dias diversos pescadores saiam para o alto-mar com seus barcos, levando o mais moderno equipamento que existe para o exercício desse ofício, mas retornem sempre sem apanhar um só peixe. Que desculpa poderiam dar para tal fracasso? No entanto é isso que acontece nas igrejas. Milhares delas estão abrindo as portas dominicalmente, mas não vêem conversão. Depois tentam encobrir sua esterilidade interpretando textos bíblicos a seu bel-prazer. Mas a Bíblia diz: “Assim será a palavra que sair da minha boca; não voltará para mim vazia…”
E o mais triste em tudo isso é que o fogo que devia haver nesses altares encontra-se apagado ou arde em combustão muito lenta. A reunião de oração está morrendo ou já morreu. Com a atitude que temos em relação à oração, estamos dizendo ao Senhor que o que ele começou no Espírito, nós terminaremos na carne. Qual é a igreja que pergunta a um candidato ao ministério quanto tempo ele passa diariamente em oração? A verdade é que o pregador que não passa pelo menos duas horas por dia em oração, não vale um vintém, por mais títulos que possua.
A igreja hoje se acha como que postada na calçada assistindo, entre aflita e frustrada, à parada dos maus espíritos de Moscou, que marcham pomposamente no meio da rua respirando ameaças contra “tudo que é amável e de boa fama”. Além disso, no lugar da regeneração, o diabo colocou a reencarnação; no lugar do Espírito Santo, os espíritos-guias; no lugar do verdadeiro Cristo, o anticristo.
E o que a igreja tem para contrapor aos males do comunismo? Onde está o poder espiritual? A impressão que se tem é que, ultimamente, uma forte sonolência tomou o lugar da oposição religiosa, nos púlpitos e também nas publicações evangélicas. Quem hoje batalha “diligentemente pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos”? Onde estão os combatentes divinamente ungidos de nossos púlpitos? Os pregadores que deviam estar “pescando homens”, parecem estar pescando mais é o elogio deles. Os que costumavam espalhar a semente, agora estão colecionando pérolas intelectuais. (Imagine só, semear pérolas num campo!)
Chega dessa pregação estéril, espiritualmente vazia, que é ineficaz, porque foi gerada num túmulo e não num ventre, e se desenvolveu numa alma sem oração, sem fogo espiritual! É possível alguém pregar e ainda assim se perder; mas é impossível orar e perecer. Se Deus nos chamou para o seu ministério, então, prezados irmãos, insisto em que precisamos de unção. Com tudo que possuis, adquire a unção, senão os altares vazios de nossas igrejas serão exemplos vivos de nosso intelectualismo ressequido”.
A oração é o meio pelo qual buscamos a presença de Deus, é por ela que atraímos a unção de Deus, e nela que a onipresença dá lugar a manifestação da presença. Davi, foi uma das pessoas do Antigo Testamento que se destacou na prática da busca pela presença de Deus. Temos mais salmos de Davi, do que qualquer outra pessoa do Antigo Testamento, isso porque Davi almejava buscar a presença de Deus. Sua busca foi tão intensa que empreendeu por buscar a Arca da Aliança para perto de si, a qual havia sido tirada do tabernáculo pelos filhos de Eli, Hofni e Finéias. Enquanto, eles desperdiçaram seus ofícios sacerdotais e não buscaram a Deus, Davi esforçou-se ao máximo para atrair a Deus para si e para seu povo.
Vamos ver os seguintes textos bíblicos: 1Crônicas  13.5-14,15.11-16,25-28) e 1 Crônicas 13: 5-14)
Reuniu, pois, Davi a todo o Israel, desde Sior do Egito até à entrada de Hamate, para trazer a arca de Deus de Quiriate-Jearim.Então, Davi, com todo o Israel, subiu a Baalá, isto é, a Quiriate-Jearim, que está em Judá, para fazer subir dali a arca de Deus, diante da qual é invocado o nome do SENHOR, que se assenta acima dos querubins.Puseram a arca de Deus num carro novo e a levaram da casa de Abinadabe; e Uzá e Aiô guiavam o carro. Davi e todo o Israel alegravam-se perante Deus, com todo o seu empenho; em cânticos, com harpas, com alaúdes, com tamboris, com címbalos e com trombetas.Quando chegaram à eira de Quidom, estendeu Uzá a mão à arca para a segurar, porque os bois tropeçaram.Então, a ira do SENHOR se acendeu contra Uzá e o feriu, por ter estendido a mão à arca; e morreu ali perante Deus. Desgostou-se Davi, porque o SENHOR irrompera contra Uzá; pelo que chamou àquele lugar Perez-Uzá, até ao dia de hoje. Temeu Davi a Deus, naquele dia, e disse: Como trarei a mim a arca de Deus? Pelo que Davi não trouxe a arca para si, para a Cidade de Davi; mas a fez levar à casa de Obede-Edom, o geteu. Assim, ficou a arca de Deus com a família de Obede-Edom, três meses em sua casa; e o SENHOR abençoou a casa de Obede-Edom e tudo o que ele tinha.”
Crônicas 15.11-16:”Chamou Davi os sacerdotes Zadoque e Abiatar e os levitas Uriel, Asaías, Joel, Semaías, Eliel e Aminadabe  e lhes disse: Vós sois os cabeças das famílias dos levitas; santificai-vos, vós e vossos irmãos, para que façais subir a arca do SENHOR, Deus de Israel, ao lugar que lhe preparei. Pois, visto que não a levastes na primeira vez, o SENHOR, nosso Deus, irrompeu contra nós, porque, então, não o buscamos, segundo nos fora ordenado. Santificaram-se, pois, os sacerdotes e levitas, para fazerem subir a arca do SENHOR, Deus de Israel. Os filhos dos levitas trouxeram a arca de Deus aos ombros pelas varas que nela estavam, como Moisés tinha ordenado, segundo a palavra do SENHOR. Disse Davi aos chefes dos levitas que constituíssem a seus irmãos, os cantores, para que, com instrumentos músicos, com alaúdes, harpas e címbalos se fizessem ouvir e levantassem a voz com alegria. ” 25-28 :“ Foram Davi, e os anciãos de Israel, e os capitães de milhares, para fazerem subir, com alegria, a arca da Aliança do SENHOR, da casa de Obede-Edom. Tendo Deus ajudado os levitas que levavam a arca da Aliança do SENHOR, ofereceram em sacrifício sete novilhos e sete carneiros. Davi ia vestido de um manto de linho fino, como também todos os levitas que levavam a arca, e os cantores, e Quenanias, chefe dos que levavam a arca e dos cantores; Davi vestia também uma estola sacerdotal de linho.Assim, todo o Israel fez subir com júbilo a arca da Aliança do SENHOR, ao som de clarins, de trombetas e de címbalos, fazendo ressoar alaúdes e harpas.”
Nas peregrinações de Israel no deserto, a Arca era levada à frente do povo. O mais importante que destacamos em relação a Arca da Aliança era que ela representava a presença de Deus. Onde a Arca estava, ali a presença de Deus se manifestava.
Houve uma passagem na história do povo de Israel onde a arca da aliança foi retirada pelos filisteus do meio do povo sendo trazida de volta, somente no reinado do Rei Davi. Arca foi tirada do tabernáculo de Israel, único lugar onde Israel adorava o Senhor, e de onde ela não poderia sair, pelos filhos do Sumo sacerdote Eli, Hofni e Finéias e foi levada para a guerra contra os filisteus que a tomaram, a arca representava a presença de Deus, a glória de Deus, e os filisteus a tomaram na batalha. Ela ficou mais de 20 anos fora de Israel, fora do tabernáculo.
A arca da Aliança simbolizava a presença e poder de Deus, sendo assim, quando a arca foi retirada do meio do povo de Deus, houve um período de ausência da presença de Deus. Quando Davi assumiu o reinado, ele resolveu trazer a arca da aliança de volta porque sabia da importância da presença de Deus em meio ao povo. Para que isto acontecesse houve duas tentativas para trazer a arca, sendo que a primeira foi frustrada por não ter agido de acordo com Deus, porém na segunda tentativa, ele foi bem-sucedido. 
Na primeira tentativa, em 1Crônicas 13.7, puseram a arca de Deus em um carro novo, utilizaram a mesma maneira dos filisteus.  Em 1Crônicas 13.8, alegravam-se com música; no capítulo 13 verso 9, os bois tropeçaram e Uzá estendeu a mão para segurar a arca, então veio a ira do Senhor sobre ele, por causa de sua irreverência, e ali ele morreu. Em 1 Crônicas 13:12 lemos que temeu Davi ao Senhor e então perguntou: Como trarei a mim a arca de Deus?
Lições que podemos tirar deste texto:
1. O Senhor quer que façamos do “jeito Dele” e não a nossa maneira. Utilizar o carro, nos fala de transferirmos a nossa responsabilidade para uma estrutura que não envolve o nosso esforço, a Arca deveria ser carregada nos ombros humanos pelos varais.
2. Havia ali música e aparentemente tudo estava correto, porém eles não estavam caminhando em obediência;
3. A atitude de Uzá foi o reflexo da familiaridade e não da intimidade. A arca permaneceu durante anos na casa de Uzá, e então provavelmente pela sua familiaridade com a arca ele se sentiu no direito de dar uma “ajuda”. Não basta estarmos familiarizados com a presença de Deus, temos que viver em intimidade com Deus. Depois de haver uma tentativa frustrada aos moldes do “homem” Davi então resolveu se voltar para o Senhor e perguntar qual era a Sua maneira para o transporte da Arca. Neste ponto iniciou a maneira correta do transporte da Arca.
Hoje, através do Sacrifício de Jesus, a arca se perdeu, porém, o que nos dá acesso a presença de Deus hoje é o sacrifício de Jesus na cruz. Agora no Novo Testamento, nós podemos adentrar a presença de Deus, não mais pela Arca, mas pelo sangue de Jesus. Mas, ao falarmos da arca, estamos nos referindo à uma vida na presença de Deus,  vida de comunhão com o Senhor. Nesse sentido, dizemos que a Arca, da manifestação da presença de Deus não pode estar afastada de nossas vidas.
Onde está a Arca da Aliança em sua vida? Onde está a manifestação da presença de Deus em sua vida? Talvez esteja longe! Talvez você esteja vivendo longe da presença de Deus. Mas é preciso atrair a presença de Deus para nós. É preciso atrair a manifestação da glória de Deus novamente para nossas vidas. 

Como podemos trazer de volta a presença de Deus em nossas vidas? 

1- Com santidade (Cap.15.11 e 12 e 14)

“Chamou Davi os sacerdotes Zadoque e Abiatar e os levitas Uriel, Asaías, Joel, Semías, Eliel e Aminadabe  e lhes disse: Vós sois os cabeças das famílias dos levitas; santificai-vos, vós e vossos irmãos, para que façais subir a ARCA do SENHOR, Deus de Israel, ao lugar que lhe preparei”.“Santificaram-se, pois, os sacerdotes e levitas, para fazerem subir a arca do SENHOR, Deus de Israel.”( v.14) 
Davi havia se frustrado na primeira tentativa em trazer a Arca, essa tentativa frustrada culminou com o fato de Uzá tentar segurar a Arca e morrer. A arca estava sendo trazida na primeira tentativa de maneira humana, conforme os intentos do coração de Davi. Isso revela que muitas vezes temos lidado com Deus da forma que nós queremos e não do jeito que a palavra de Deus nos ensina sobre esse relacionamento. Davi, então reconheceu a primeira necessidade para se trazer a presença de Deus de volta para nossas vidas: Santidade. 
Ele chamou os cabeças das famílias para o trabalho de trazer a Arca, mas a primeira exigência era a santidade: “Santificai-vos, vós e vossos irmãos, para que façais subir a ARCA do SENHOR, Deus de Israel, ao lugar que lhe preparei.” 
Para atrairmos e entrarmos na presença de Deus é preciso santidade, uma vida que não abrigue o pecado. Para servirmos a Deus, primeiramente deveremos começar pela santidade, o que é contrário à vontade do Senhor precisa ser eliminado de nossas vidas, para que aquilo que agrada ao Senhor seja feito.  O primeiro serviço prestado a Deus é a santidade. Não tem sentido algum eu tentar fazer algo para agradar ao Senhor e viver uma vida que o desagrade totalmente. 
Para trazer a arca esses levitas precisavam passar por uma auto avaliação, ver o que estava errado, abandonar o pecado; aí sim, estariam aptos para trazer ao povo a arca da Aliança, que representava a presença de Deus. 
A presença de Deus não pode habitar com o pecado. Quando Israel estava mergulhando na idolatria, ao ponto de sacerdotes como Hofni e Finéias, filhos de Eli, cultuarem a Baal com prostitutas as portas do tabernáculo, a Arca da presença de Deus foi tirada. Quando nos tempos do profeta Jeremias e outros profetas, o povo estava mais uma vez mergulhado no pecado da idolatria e imoralidade, a Babilônia, com Nabucodonosor, tirou o povo de perto do templo e da Arca, pois ali estava a presença de Deus, e neste período o Senhor removeu seu povo para a Babilônia. Pois Deus não habita com o pecado. 
Precisamos fazer como aqueles levitas. Examinarmos a nós mesmos, vermos se em nós há coisas desagradáveis ao Senhor e retirar de nosso comportamento, linguajar, pensamentos e atitudes, tudo o que para o Senhor não é agradável, pois a presença de Deus só é manifesta em nossas vidas, quando o pecado é abandonado.  Essa santificação nos é efetuada quando temos uma vida na palavra de Deus. É a leitura bíblica que nos levará a entender atitudes que estão erradas e não condizem com  Deus. Nossos Senhor Jesus orou ao Pai em Jo 17:17 : “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.” Sendo assim, nós jamais teremos uma vida de santidade sem nos apegarmos a leitura e prática da palavra de Deus. Sem a leitura bíblica, torna-se difícil apra você evitar o pecado.
Parece que o pecado é mais forte que você, parece que você não vai conseguir abandonar o erro. Abandonar o pecado, não é carnal, intensão mental ou pensamento positivo, abandonar o pecado é ESPIRITUAL,  e a palavra de Deus também é assim; além de ela te ensinar o que é o erro, ela vai trazer o fluir do Espírito Santo sobre você, e naturalmente você não irá mais desejar o pecado. A presença de Deus será real em nossas vidas , na sua vida e muitos milagres surgirão, pois Deus está presente e você está se santificando. 

2- Com obediência ( Cap 15. 15)
“Os filhos dos levitas trouxeram a arca de Deus aos ombros pelas varas que nela estavam, como Moisés tinha ordenado, segundo a palavra do Senhor.
Lembre-se, na primeira tentativa de trazer a Arca, a assentaram num carro novo, um carro novo de boi, aparentemente era o melhor que eles poderiam fazer para Deus, mas não era o que a lei de Deus dizia, pois a lei orientava que a Arca deveria ser carregada em ombros humanos, por meio dos varais (cabos) que ela tinha para isso. O Senhor quer que façamos do “jeito Dele” e não a nossa maneira. Na primeira vez, Davi fez do seu jeito, mas agora ele buscou na palavra o jeito que Deus queria que sua arca fosse transportada. E o versículo que lemos nesse ponto nos diz que eles fizeram tudo conforme Moisés tinha ordenado, segundo a palavra do Senhor que já havia sido ensinada através de Moisés.
A presença de Deus só será manifesta quando passarmos a fazer as coisas do jeito de Deus. Conforme a palavra e vontade de Deus, seguindo os preceitos divinos. Fazermos as coisas do jeito de Deus é vivermos uma vida de conformidade com a bíblia. Não praticarmos o famoso “jeitinho” que é a maneira de nos beneficiarmos de maneira ilegal. Fazer as coisas do jeito de Deus é fazermos aquilo que ele deseja em sua palavra. Só assim estaremos aptos a trazer novamente a glória de Deus, a Arca da Aliança. 
3     -Com o louvor ( Cap 15.16)
Disse Davi aos chefes dos levitas que constituíssem a seus irmãos, os cantores, para que, com instrumentos músicos, com alaúdes, harpas e címbalos se fizessem ouvir e levantassem a voz com alegria. ”
Para trazerem a Arca, nessa segunda tentativa, houve também a música. Davi foi quem ensinou sobre a necessidade de se adorar a Deus com músicas no Antigo Testamento. Foram designados cantores e instrumentistas para que levantassem a voz com alegria, ou seja, houve música de celebração ali. Salmos 22.3 Contudo, tu és santo, entronizado entre os louvores de Israel.Salmos  (RC)22.3 Porém tu és Santo, o que habitas entre os louvores de Israel. 
sNão é possível trazer a presença do Senhor sem louvores, se você o louva ele se manifesta, se você o cultua ele vem ao seu encontro. Então, Davi sabia disso e por isso, para trazer a Arca da Aliança ao seu lugar preparado. A presença de Deus é atraída com louvores. 
Assim, se você deseja a presença de Deus em sua vida, você a busca nos louvores.
Para nos enchermos do Espírito Santo, o apóstolo Paulo nos dá a receita:  Efésios  5.18-20: “ E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito,19 falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, 20 dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, “ 
4- Com reverência ( Cap 15.26 e 27) 
26 Tendo Deus ajudado os levitas que levavam a arca da Aliança do SENHOR, ofereceram em sacrifício sete novilhos e sete carneiros.27 Davi ia vestido de um manto de linho fino, como também todos os levitas que levavam a arca, e os cantores, e Quenanias, chefe dos que levavam a arca e dos cantores; Davi vestia também uma estola sacerdotal de linho”.
O texto diz no verso 26, que os levitas para levar a Arca da Aliança antecipadamente sacrificaram ao Senhor, esse era também o louvor que prestavam. O verso 27 nos diz que os levitas levavam a arca estavam usando um manto ( roupa) especial para aquele fim, e Davi não estava vestido como Rei, mas colocou-se entre os levitas. 
Deus não se manifesta onde ele não é honrado, ou onde sua honra está abaixo da honra que damos a nós mesmos. 
Davi tirou a coroa, e vestiu o manto e esteve entre os levitas. É necessário tirarmos nossas coroas, que dizem respeito a honra que damos a nós mesmos e honrarmos ao Senhor mais do que tudo em nossas vidas. Isso é reverência. 

Talvez temos andado longe da presença de Deus, não vemos sua manifestação em nossas vidas. 
Davi assumiu ali sua posição de sacerdote diante do Senhor, e se envolveu com todas as suas forças. 
Toda esta passagem tem algo muito precioso a nos ensinar. Precisamos entender que não é a respeito de um modelo de homens que a presença de Deus vai ser atraída quando nos reunimos diante do Senhor e sim a maneira de Deus. Quando nos reunimos diante do Senhor é necessário que assumamos a nossa posição de sacerdotes diante Dele e que haja uma vida de santidade, entrega e sacrifício. A adoração atrai a presença de Deus, e para isto, ela deve ser verdadeira, em espírito e em verdade. Não simplesmente oferecer música para ele, mas rendição de coração.
Trazer a Arca, é desejar, almejar e amar a presença de Deus, o Senhor declarou através de Jeremias:
E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração”.
Jeremias 29:13










Referências: Bíblia On-line -Bìblia Almeida Revista e Atualizada, SBB , Bíblia Almeida Revista e corrigida ,SBB

Tristão, Christie - "Trazendo a Arca" www.adorando.com.br www.adorando.com.br/novo/MostraEstudo.aspx?codigo=548

BOYER Orlando - Pequena Enciclopédia Bíblica - Editora Vida.

























quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Resgatando os valores perdidos no lar











Lucas 15.8-10
8 Ou qual é a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma, não acende a candeia, varre a casa e a procura diligentemente até encontrá-la?
9 E, tendo-a achado, reúne as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque achei a dracma que eu tinha perdido.10 Eu vos afirmo que, de igual modo, há júbilo diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.
A parábola (ilustração) da dracma perdida faz parte do conjunto de parábolas que Jesus contou em Lucas 15 para ilustrar o amor de Deus pelos pecadores, a parábola da ovelha perdida, do dracma perdida e do filho pródigo. Nas três parábolas, Deus busca o que estava perdido, encontra o que estava perdido e celebra com grande alegria a recuperação do que estava perdido. Uma Dracma era uma moeda. Observa-se que a mulher descrita é uma camponesa pobre, e as dez moedas de prata, "provavelmente representam a poupança da família." [2] As moedas também poderião ser o dote da mulher, vestida como um ornamento, como um colar[3][4] Isso explica o valor que essa dracma tinha para essa mulherexplica a urgência da busca da mulher, e a extensão da sua alegria quando a moeda que falta é encontrada.
A mulher perdeu essa dracma dentro de sua própria casa. Essa parábola além de revelar a busca de Deus pelo perdido e por aquele que se perdeu da sua vontade, também fala daquilo que foi perdido dentro de casa. De coisas que são perdidas dentro da família, no relacionamento familiar e no relacionamento com Deus. Entendemos que a dracma era algo de valor. Há muitos valores em nossas vidas, há muitas dracmas em nossas vidas, por exemplo: As dracmas em nossa vida:

• Casamento: No casamento pode-se perder, o amor, o respeito, a confiança, a unidade,...
• Os Filhos: é possível perder a amizade, o carinho, a cumplicidade, o respeito mútuo, a responsabilidade, a hierarquia familiar.
• Espiritual: É possível que se tenha perdido a intimidade com Deus busca temor, adoração, santidade.
A minha pergunta pra você hoje é: O que você perdeu dentro de casa?
Qual é o dote de valor que foi extraviado, quais são os valores que foram perdidos?

1. Resgate os valores perdidos no lar
A mulher perdeu algo de valor dentro de casa – Ela perdeu uma moeda de sua coleção. A mulher que perdeu a décima dracma não se conformou de desistir dela nem se contentou pelo fato de ter ainda em segurança as outras nove. Das dez dracmas, a mulher perdeu uma e a perdeu dentro de casa.
Mais importante do que valores são os relacionamentos. Mais precioso do que bens são as pessoas. Muitas vezes, por descuido, nós também, perdemos verdadeiros tesouros dentro de casa. Perdemos a comunicação, perdemos a alegria da comunhão, perdemos o brilho do amor com que devemos amar uns aos outros.
Não desista dos valores do lar:
Talvez no seu lar está faltando atitudes de amor
Talvez em seu lar está faltando sorrisos
Talvez em seu lar esteja faltando comunicação
Talvez em seu lar esteja faltando o respeito. Todos esses valores são achados quando passamos a viver o amor de Deus em nossas famílias.
Decida ser usado por Deus para resgatar os valores perdidos, coloque-se na posição de alguém escolhido por Deus para cuidar desta casa, desta família e mãos à obra.

VALORIZE OS PEQUENOS DETALHES: - A mulher tinha dez dracmas, perdeu uma. Antes que perdesse mais alguma parou para procurar aquela que tinha perdido e não deixou que se perdesse mais nenhuma, porque sabia que se por acomodação pensasse “tenho mais nove, que diferença faz uma a mais, uma a menos”, acabaria perdendo as outras e ficando sem nenhuma.
PENSE...A falta de um “bom Dia” ao se levantar, de um “parabéns pela boa nota” ou um “Como foi o seu dia hoje?”, de uma declaração de amor, iniciam a falta de diálogo, e um ambiente sem diálogo é um ambiente onde as coisas se perdem e ficam por isso mesmo o que pode fazer um estrago bem grande no ambiente familiar.

2.Não se conforme com os valores perdidos no lar
A mulher não se conformou com a perda – A mulher poderia ter se conformado com a perda da moeda. Afinal, ela ainda tinha nove delas guardadas em segurança. Mas, essa mulher não aceitou passivamente a perda. Ela não se conformou com a derrota. Ela não desistiu de recuperar a moeda perdida. Ela nos ensinou a não nos conformarmos com o possível fracasso, e lutarmos e vencermos .
Muitas vezes, nós somos descuidados em guardar os tesouros que temos e quando os perdemos somos vagarosos e até desanimados para procurar o que se perdeu. Nos conformamos facilmente com a derrota . Preferimos desistir do casamento, dos relacionamentos, do que lutar para recuperar o que se perdeu.
Não se conforme, vá à luta e busque os valores perdidos.



3.Os valores são achados quando há luz (Salmo 119:105)
119.105 “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos.”

A mulher acendeu a candeia para procurar o que havia perdido – As casas na Palestina não possuíam janelas. Eram ambientes escuros e ensombreados. Era impossível procurar algo perdido sem acender a candeia. Se queremos reencontrar o que perdemos dentro da nossa casa, precisamos de igual forma acender a candeia. A candeia é a luz, um símbolo da Palavra de Deus. Precisamos iluminar nossas mentes, nossos corações e nossos relacionamentos pela luz da Palavra se de fato queremos encontrar esses tesouros perdidos dentro da nossa casa.
Nenhum lar será bem sucedido em seus valores se não buscar a palavra de Deus. É na bíblia que você encontrará as orientações necessárias para dirigir a sua casa.
Salmo 127:1e2
Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.2 Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão que penosamente granjeastes; aos seus amados ele o dá enquanto dormem.
De nada vai adiantar o seu esforço em resgatar os valores do lar, se você tomar uma séria decisão de servir a Deus e dedicar seu lar a ele. Busque, leia de Genesis até apocalipse a palavra de Deus , ouça a pregação, venha mais a igreja, reconheça que você precisa de luz, precisa de orientação e você vai descobrindo princípios básicos para se viver bem em família.
Ascenda a Candeia, deixe a palavra de Deus brilhar.
4- Os valores são achados quando os problemas são tratados
A mulher varreu a casa para procurar o que se havia perdido.
v.8 Ou qual é a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma, não acende a candeia, varre a casa e a procura diligentemente até encontrá-la?
- A mulher teve coragem de mexer e remover do lugar muita coisa. Ela teve iniciativa e esforço. Ela enfrentou o desconforto da desinstalação. Ela levantou muita poeira ao varrer cada canto da casa à procura do seu tesouro perdido.
Se queremos a restituição desses tesouros perdidos dentro da nossa casa, precisamos de igual forma procurá-los diligentemente. Não podemos ser omissos nem acomodados. Não podemos ter medo de mexer em algumas coisas já sedimentadas, problemas que já fazem parte comum da nossa convivência familiar. É preciso tratar sério de problemas que ainda estão atrapalhando nossas famílias. Não podemos ter medo de desconforto.
Há muitos indivíduos que desistem de procurar o que se perdeu em sua vida, em seu casamento, em sua família. Preferem encontrar justificativas para as perdas a investir tempo na busca do que se perdeu. Não devemos desistir jamais, pois o desconforto da busca não deve nos privar da alegria do encontro.
Trate com seus filhos o que está errado na vida deles.
Converse com seu cônjuge a respeito das poeiras que estão tirando o brilho no casamento, e pratique o perdão.
Trate com a família a respeito da economia no lar.
Acerte as contas;
Pague as dividas.
Resolva as preocupações
Varra ainda hoje a sua casa

5.Comemore os valores encontrados.


E, tendo-a achado, reúne as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque achei a dracma que eu tinha perdido (v.9)
A mulher comemorou com grande alegria o encontro daquilo que estava perdido - A mulher perdeu a moeda no interior do lar sozinha, mas ela celebrou o encontro da dracma publicamente .
Nossas conquistas e bênçãos devem ser conhecidas e proclamadas. As outras pessoas devem conhecer nossas vitórias e participar das nossas alegrias. Há festa no céu quando um pecador se arrepende e quando o perdido é encontrado; também há alegria diante dos homens quando os tesouros que perdemos dentro da nossa casa são encontrados. É tempo de acendermos a candeia e pegarmos a vassoura. É tempo de procurarmos diligentemente aquilo que perdemos. É tempo de celebrarmos com os nossos irmãos as vitórias que vêm de Deus e a restituição das bênçãos de outrora!

Conclusão
Talvez muitos valores tenham sido perdidos na sua família.
A mulher perdeu essa dracma dentro de sua própria casa. Essa parábola além de revelar a busca de Deus pelo perdido e por aquele que se perdeu da sua vontade, também fala daquilo que foi perdido dentro de casa. De coisas que são perdidas dentro da família, no relacionamento familiar e no relacionamento com Deus. Entendemos que a dracma era algo de valor. Há muitos valores em nossas vidas, há muitas dracmas em nossas vidas, por exemplo: As dracmas em nossa vida:

• Casamento: No casamento pode-se perder, o amor, o respeito, a confiança, a unidade,...
• Os Filhos: é possível perder a amizade, o carinho, a cumplicidade, o respeito mútuo, a responsabilidade, a hierarquia familiar.
• Espiritual: É possível que se tenha perdido a intimidade com Deus busca temor, adoração, santidade.
Quem sabe em seu lar não há oração, união, culto e nem amor, mas é preciso resgatar esses valores que foram perdidos.

1-Resgate os valores perdidos no lar
2-Não se conforme com os valores perdidos no lar
3-Os valores são achados quando há luz (Salmo 119:105)
119.105 “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos.”
4- Os valores são achados quando os problemas são tratados
A mulher varreu a casa para procurar o que se havia perdido.
5-Comemore os valores encontrados.
Baseado em Hernandes Dias Lopes:

http://hernandesdiaslopes.com.br/2009/09/procure-o-que-foi-perdido-dentro-da-sua-casa/