Pular para o conteúdo principal

João Marcos, quando o fracasso não tem a ultima palavra


At 12.12
Considerando ele a sua situação, resolveu ir à casa de Maria, mãe de João, cognominado Marcos, onde muitas pessoas estavam congregadas e oravam.
Você nunca será um fracasso até que desista. (Rick Warren, em "Poder Para Ser Vitorioso")
Há pessoas que começam bem, mas terminam mal. Elas têm um brilhante começo, mas um fim trágico. Assim foi a história de Demas. Ele é citado apenas três vezes no Novo Testamento. A primeira vez que Demas aparece, ele é apresentado como um cooperador de Paulo
(Fm v.24) “Marcos, Aristarco, Demas e Lucas, meus cooperadores”.
Da segunda vez, nada se acrescenta a seu respeito; apenas seu nome é mencionado (Cl 4.14)-“Saúda-vos Lucas, o médico amado, e também Demas”
. Da última vez, porém, nos é dito que ele abandonou Paulo (2Tm 4.10)”Porque Demas, tendo amado o presente século, me abandonou e se foi para Tessalônica”.
Há muitas pessoas cuja vida é uma descida ladeira a baixo. Há muitos indivíduos que em vez de caminhar para frente, recuam; em vez de subir, descem; em vez de crescerem no conhecimento e na graça de Deus, retrocedem na fé. Esse é o caso desse cooperador, Demas.
Mas gostaríamos de falar a respeito de outro cooperador, que também teve seu momento de fracasso, mas não deu ao fracasso a ultima palavra. O versículo lido no inicio nos cita o nome dele:”João, cognominado Marcos” – João Marcos.
. Marcos era sobrinho de Barnabé (Colossenses 4:10). Estava com Paulo e Barnabé na primeira viagem missionária que fizeram (Atos 13:5), mas, quando chegaram a Panfília, deixou a companhia deles e retornou a Jerusalém. Essa falta da sua parte fez que Paulo o recusasse quando começou a segunda viagem missionária (Atos 15:37 e 38).” E Barnabé queria levar também a João, chamado Marcos. 38 Mas Paulo não achava justo levarem aquele que se afastara desde a Panfília, não os acompanhando no trabalho.”
Apesar de ter desistido na primeira viajem, graças a Deus João Marcos voltou a ser um missionário e viajou com Barnabé na segunda viajem missionária . Ele tornou-se o escritor do primeiro evangelho a ser escrito, o evangelho segundo Marcos. Graças a Deus, muitos fazem o caminho inverso ao de Demas. Esses caminham para frente. Esses aprendem com os fracassos e se levantam na força do onipotente para prosseguirem firmes e resolutos nas veredas da justiça. Citamos, aqui, o exemplo do jovem João Marcos. E veremos quem foi esse jovem?
Em primeiro lugar, João Marcos foi um cooperador(At 13.1-5).
13.1 Havia na igreja de Antioquia profetas e mestres: Barnabé, Simeão, por sobrenome Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço de Herodes, o tetrarca, e Saulo.2 E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Separai-me, agora, Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado.
3 Então, jejuando, e orando, e impondo sobre eles as mãos, os despediram.
4 Enviados, pois, pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre.
5 Chegados a Salamina, anunciavam a palavra de Deus nas sinagogas judaicas; tinham também João como auxiliar
A igreja Cristã estava começando, em meio da perseguição dos judeus e dos romanos a igreja com a graça de Deus crescia, o perseguidor Saulo havia se convertido e tornava-se no apóstolo Paulo. E no texto que lemos, vemos que a igreja de Antioquia buscou a Deus em oração , e o Espírito Santo separou para viajarem pregando o Evangelho Barnabé e Saulo, então desceram para para Selêucia, navegaram para Chipre e chegaram a Salamina, e no vers. 5 temos uma ênfase “ Tinham também João como auxiliar”
João Marcos era um jovem humilde e prestativo. Ele foi auxiliar de Barnabé e Paulo (At 13.5). Nesse tempo, João Marcos era ainda muito jovem e inexperiente, mas sentiu o desejo de acompanhar os dois missionários rumo à região da Galácia. Seu propósito era servir aos dois missionários separados por Deus para tão sublime tarefa. Nesse tempo João Marcos era um jovem idealista e corajoso. Dispôs-se a deixar o conforto da sua casa em Jerusalém (At 12.12), para enfrentar as dificuldades de uma viagem missionária por regiões difíceis e perigosas.
Temos a aprender com João Marcos, ainda jovem se dispôs a auxiliar Barnabé e Saulo.
Há muitos crentes que tem essa disposição, há muitas pessoas que se levantam para ajudar, pessoas que deixam suas próprias vidas para trás visando o reino, visando o evangelho. Olhamos nesse 1º ponto a essa característica de João Marcos, e nos perguntamos se estamos dispostos a abrir de muitas coisas, do nosso comodismo e até de nosso bem estar pessoal para servirmos a esse Deus e auxiliarmos sua obra.
Na missão de Barnabé e Saulo havia um espaço para aquele jovem bem disposto, havia um lugar para aquele moço, ele ocupou o espaço de auxiliar , de cooperador. Meu amigo, na missão desta igreja a esapaço para você. Há uma função para você na missão de levarmos o evangelho a Nova Aurora e no mundo, há espaço para você fazer a obra, basta a sua disposição.
Em segundo lugar, João Marcos foi um desertor
(At 13.13).
Atos 13.13 E, navegando de Pafos, Paulo e seus companheiros dirigiram-se a Perge da Panfília. João, porém, apartando-se deles, voltou para Jerusalém.
João Marcos nos deu um exemplo a ser seguido, porém notamos em sua caminhada uma falha que nos faz refletirmos sobre nosso entusiasmo e motivação, é um exemplo que nos leva a correção. Não sabemos os motivos, mas no meio do caminho, João Marcos desistiu da viagem, apartou-se de Paulo e Barnabé e voltou para sua casa em Jerusalém. Faltou-lhe coragem e maturidade para prosseguir. Faltou-lhe perseverança para não retroceder. Faltou-lhe forças para continuar servindo aos dois missionários da igreja. Aquele foi um capítulo sombrio na vida desse jovem. Ele foi um desertor. Ele desistiu diante das dificuldades. Ele não teve coragem de seguir adiante.
Creio que diante de muitos obstáculos somos tentados a desistir. Diante do chamado de Deus para sua vida, diante de seu propósito de oração, você pode ser tentado a desistir. Mas a desistência não é o nosso caminho, somos chamados para viver o propósito de Deus- perseverança.
Então, se nossos olhos estiverem voltados apenas para os problemas, para as dificuldades, para nossos próprios medos, com certeza iremos desistir. Mas se nossos olhos estiverem voltados para a caminhada de Jesus, carregando sua cruz e sendo por causa de nossos pecados humilhado, e olhando para o fato de que ele carregou a cruz até o fim, e que ele não desistiu por amor a nós, chegamos a conclusão que não iremos desistir. O chamado de Deus é que não abandonemos a nossa caminhada cristã.
Em terceiro lugar, João Marcos foi um missionário
(At 15.36-39)
36 Alguns dias depois, disse Paulo a Barnabé: Voltemos, agora, para visitar os irmãos por todas as cidades nas quais anunciamos a palavra do Senhor, para ver como passam.
37 E Barnabé queria levar também a João, chamado Marcos.
38 Mas Paulo não achava justo levarem aquele que se afastara desde a Panfília, não os acompanhando no trabalho.
39 Houve entre eles tal desavença, que vieram a separar-se. Então, Barnabé, levando consigo a Marcos, navegou para Chipre.
Houve a necessidade de voltar pelas cidades onde já se havia anunciado o evangelho, consolidando a palavra pregada para aqueles novos cristãos. Barnabé queria levar João Marcos, Paulo já não acreditava no ministério de João Marcos, e quis ir com Silas. Enquanto Barnabé entendeu que Deus ainda tinha um propósito de usar esse cooperador e missionário.
João havia desistido, mas na missão de Deus ainda há espaço para aqueles que já desistiram, mas que resolveram voltar. Talvez você, como João Marcos já desistiu, mas o fracasso não pode ter a ultima palavra. Era tempo de voltar à segunda viagem missionária. Barnabé, porém, queria levar consigo a João Marcos (At 15.37). Paulo, porém se recusou terminantemente dar uma segunda chance ao jovem desertor. Barnabé contendeu com Paulo, mas não desistiu de João Marcos (At 15.38,39). Levou-o consigo para Chipre e fez dele um missionário. João Marcos tornou-se um homem valoroso nas mãos de Deus. Além de Barnabé, o apóstolo Pedro também investiu na vida de João Marcos, a ponto de chamá-lo de filho (1Pe 5.13). Esse jovem mais tarde tornou-se o escritor do primeiro evangelho a ser escrito, o evangelho segundo Marcos, destacando nessa obra preciosa as gloriosas obras de Cristo, apresentando-o como servo perfeito.
Há espaço para você que desistiu e deseja voltar, Deus quer usar você.
Em quarto lugar, João Marcos foi um homem útil (2Tm 4.11).
2 Timóteo4.11 Somente Lucas está comigo. Toma contigo Marcos e traze-o, pois me é útil para o ministério.
Paulo estava preso numa masmorra romana. A hora do seu martírio havia chegado. Do interior do cárcere, Paulo escreve a seu filho na fé Timóteo, rogando que ele fosse rápido vê-lo em Roma. Chama-nos atenção, uma recomendação do apóstolo a Timóteo: “Toma contigo Marcos e traze-o, pois me é útil para o ministério” (2Tm 4.11). O jovem rejeitado por Paulo, é agora prezado por ele. Aquele que um dia desertou e foi rejeitado, é agora desejado. Paulo muda de opinião acerca de João Marcos e deseja tê-lo ao seu lado antes de morrer.
Conclusão
João Marcos fracassou um dia na vida, mas se levantou. Ele nos prova que é possível recomeçar, quando colocamos nossa vida nas mãos de Deus.
O fracasso não teve a ultima palavra na vida desse jovem. Talvez alguma vez tenhamos fracassado em alguma área de nossas vidas, em algum propósito ou desejo.
João Marcos foi cooperador, depois desistiu do ministério, mas levantou-se novamente como missionário , tornando-se em um servo útil nas mãos de Deus.
Nunca aceite o fracasso, levante-se e retorne sua caminhada.
( Pr Welinton, adaptado de Hernandes Dias Lopes.)

Veja:

Comentários

  1. Será que devemos entender a desistência de Marcos de ir com eles como uma deserção? A Palavra não fala dos seus motivos, porque desejou ele voltar a Jerusalém, qual era a necessidade que ele tinha no momento; Como acontece conosco sempre. O fato de Paulo e Barnabé discordarem sobre o retornou de Marcos, mostra de certa forma que Paulo pode ter sido duro demais, afinal ele, Paulo sempre foi um missionário muito independente. Então creio que falar de deserção, é uma palavra forte. Mas a mensagem é linda e com certeza exorta o coração. Graça e Paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por suas consideraçãoes irmão Aristarco!

      Excluir
  2. AMEI O CONHECIMENTO A RESPEITO DE JOÃO MARCOS MUITO ME AJUDOU.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Trazendo a Arca da Aliança

Como trarei a mim a arca de Deus? Leonard Ravenhill(1907-1994) foi um escritor e evangelista cristão britânico que focalizava em assuntos como oração e avivamento. É mais conhecido por desafiar a igreja moderna e seu mais notável livro é “Por Que Tarda o Pleno Avivamento?” Através de seu ensino e de seus livros, Ravenhill abordou as disparidades que ele percebia entre a Igreja do Novo Testamento e a Igreja moderna e apelou para a adesão aos princípios do avivamento bíblico, transcrevo um dos capítulos do Livro “Por Que Tarda O Pleno Avivamento: “Na igreja moderna, a reunião de oração é uma espécie de Cinderela. Essa serva do Senhor é desprezada e desdenhada porque não se adorna com as pérolas do intelectualismo, nem se veste com as sedas da Filosofia; nem se acha ataviada com o diadema da Psicologia. Mas se apresenta com a roupagem simples da sinceridade e da humildade, e por isso não tem receio de se ajoelhar. O “mal” da oração é que ela não se acha necessariamente associada a grandes f…

Resgatando os valores perdidos no lar

Lucas 15.8-10
8 Ou qual é a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma, não acende a candeia, varre a casa e a procura diligentemente até encontrá-la?
9 E, tendo-a achado, reúne as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque achei a dracma que eu tinha perdido.10 Eu vos afirmo que, de igual modo, há júbilo diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.
A parábola (ilustração) da dracma perdida faz parte do conjunto de parábolas que Jesus contou em Lucas 15 para ilustrar o amor de Deus pelos pecadores, a parábola da ovelha perdida, do dracma perdida e do filho pródigo. Nas três parábolas, Deus busca o que estava perdido, encontra o que estava perdido e celebra com grande alegria a recuperação do que estava perdido. Uma Dracma era uma moeda. Observa-se que a mulher descrita é uma camponesa pobre, e as dez moedas de prata, "provavelmente representam a poupança da família." [2] As moedas também poderião ser o dote da mulher, vestida como um ornamento, como u…

Mantendo o fogo de Deus aceso.

1 Samuel 3.1-4
3.1 O jovem Samuel servia ao SENHOR, perante Eli. Naqueles dias, a palavra do SENHOR era mui rara; as visões não eram freqüentes.
2 Certo dia, estando deitado no lugar costumado o sacerdote Eli, cujos olhos já começavam a escurecer-se, a ponto de não poder ver,
3 e tendo-se deitado também Samuel, no templo do SENHOR, em que estava a arca, antes que a lâmpada de Deus se apagasse, 4 o SENHOR chamou o menino: Samuel, Samuel! Este respondeu: Eis-me aqui!
Existia no tabernáculo, onde se adorava a Deus, um candelabro , com sete lâmpadas que deveriam sempre estar acessas. E também havia o altar de holocaustos, onde o fogo não poderia se apagar.
· Ex 27.20“Ordenarás aos filhos de Israel que te tragam azeite puro de oliveiras, batido, para o candeeiro, para manter uma lâmpada acesa continuamente” (Êxodo 27:20). –falando do candelabro
· Lv6 .12 e 13:“O fogo que está sobre o altar arderá nele, não se apagará; mas o sacerdote acenderá lenha nele cada manhã, e sobre ele porá em ordem o h…