Pular para o conteúdo principal

A igreja de Éfeso

Ef 1.15-23
Por isso, também eu, tendo ouvido a fé que há entre vós no Senhor Jesus e o amor para com todos os santos,
16 não cesso de dar graças por vós, fazendo menção de vós nas minhas orações, 17 para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele,
18 iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos
19 e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder;
20 o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais,
21 acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referir não só no presente século, mas também no vindouro.
22 E pôs todas as coisas debaixo dos pés e, para ser o cabeça sobre todas as coisas, o deu à igreja, 23 a qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as coisas.
A igreja de Éfeso
Éfeso era a cidade mais importante da província romana de Ásia.
Em Éfeso estava o templo da deusa Diana dos Efésios, era considerado uma das sete maravilhas do mundo antigo. Quando o apóstolo Paulo foi a Éfeso, perto do fim da sua segunda viagem missionária no primeiro século EC, a cidade tinha uns 300 mil habitantes. (Atos 18:19-21)
Em Éfeso também estava uma fabrica de ídolos de Diana, que movia a economia da cidade. A igreja de Éfeso nasceu em meio a esse contexto de grande idolatria, muitos praticantes do ocultismo se converteram a Cristo nessa igreja. Mas, a perseguição e a luta constante contra os ataques malignos marcaram a vida dessa igreja, a qual foi convocada para a perseverança.
Essa igreja deveria perseverar num contexto de idolatria.
Paulo, quando escreve aos Efésios estava preso em Roma, a beira da sentença de morte. Mas, a prisão não o impediu de escrever, e as cadeias não o impediram de orar e exercer o ministério da intercessão em favor da igreja que estava livrfe, porém sofrendo perseguição.
Nesses versículos, Paulo, com coração devoto, está lembrando-se de seus leitores, orando e agradecendo a Deus por eles, numa demonstração do seu espírito altruísta e intercessório. Nos versos 3 a 14 do mesmo capítulo, nossa posição em Cristo é assegurada pelas três bênçãos principais que emanam de Deus: fomos eleitos em Cristo para sermos santos e irrepreensíveis; fomos remidos pelo seu sangue; e fomos selados com o Espírito Santo até o dia em que corpo, alma e espírito sejam plenamente livres para o gozo eterno, o dia de Cristo.
Na carta aos efésio vemos a intercessão de Paulo em favor dessa igreja, e de suas dificuldades. Também em apocalipse, o Senhor Jesus revela uma carta destinada a essa igreja.
E nós veremos hoje:
Duas características marcantes da igreja de Éfeso.
1ª característica: Uma igreja que começou bem, mas esfriou-se no amor (vs.15 e 16)“Por isso, também eu, tendo ouvido a fé que há entre vós no Senhor Jesus e o amor para com todos os santos, 16 não cesso de dar graças por vós, fazendo menção de vós nas minhas orações,”
Paulo agradece a Deus pela vida dessa igreja, uma vida, que embora houvesse perseguições e estivesse inserida no meio de uma cidade idolatra, mantinha-se firme na fé, e amavam-se verdadeiramente.
Porém, esta igreja começou a esfriar-se.
Ap 2.1-4
1 Ao anjo da igreja em Éfeso escreve: Estas coisas diz aquele que conserva na mão direita as sete estrelas e que anda no meio dos sete candeeiros de ouro:
2 Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos; 3 e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste esmorecer.
4 Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor.

Dentre as sete igrejas da Ásia a igreja de Éfeso se destacava como uma comunidade aparentemente perfeita. Jesus disse que conhecia suas obras e seu trabalho. Comentou a respeito de sua perseverança, uma virtude rara e necessária.

Falou também que aquela igreja não podia suportar os maus. Outra grande virtude da igreja de Éfeso era o fato de aborrecerem a obra dos nicolaítas. Essas pessoas eram aquelas que gostam de dominar, de dar ordens, de ter a superioridade. Isto por causa da conotação grega da palavra “nicolaíta” que significa “vitória” ou “domínio” sobre os leigos.
Parece, até, que nada faltava àquela igreja. Mas, faltava algo, sim, e algo muito sério, algo que provavelmente encobria todas as virtudes citadas na carta.

Jesus disse: “Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor”.
Em resumo, a igreja de Éfeso perdeu o rumo. Entrou pelo caminho da apostasia, da apatia, da indiferença, da insensibilidade. De uma igreja cheia de vida passou a ser uma igreja cheia de marasmo e preguiça.

Perdeu a vivacidade, o entusiasmo, o ânimo, o alento, a coragem, a força, a seiva do Evangelho puro. “A energia primitiva havia desaparecido. O ardor evangelístico tinha se ido. A paixão pelas almas se esvaecera. A inspiração das mensagens declinara. A chama viva do ensino virou rotina. A influência na comunidade já não era a mesma. Provavelmente já haviam substituído a graça pela lei, o amor pelas exigências, a vida graciosa pelas regras espartanas.
Não podemos ser uma igreja que começa bem, mas depois perde o primeiro amor, uma igreja que perde o amor uns pelos outros, o amor por se estar nos cultos, o amor pela palavra de Deus.
2ª Característica: Uma igreja que precisava crescer no conhecimento de Deus.( Ef 1.18-19)
“18 iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos
19 e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder; “
No versículo 18 somos possibilitados a conhecer essas riquezas da sua glória. Já o versículo 19 indica o conhecimento da "suprema grandeza do seu poder sobre nós". Paulo nos dá a impressão de ter penetrado nas riquezas dos mistérios divinos e, então, quando usa o vocábulo "suprema", nos leva para dentro desses mistérios gloriosos. A palavra "suprema", dá o sentido literal de ultrapassar, ir além, lançar além. Dentro do contexto bíblico, a palavra fala daquilo que é extraordinário, ou fora de medida ou incomparável e sem medida. Isso indica que "as riquezas da glória da sua herança" (v. 18) ou "a suprema grandeza do seu poder" não se podem medir pelos cálculos humanos. Tudo em Deus é grandioso.
Paulo ora para que a igreja cresça em três conhecimentos essenciais:
1) Qual é a esperança do seu chamamento
2) Qual é a riqueza da sua glória
3) Qual é a grandeza do poder de Deus
1 – Qual é a esperança do seu chamamento - a esperança do nosso chamado é a garantia de que vamos habitar nos céus- devemos crescer nessa esperança.
2- Qual é a riqueza da sua glória – a igreja deve olhar para cima, e não para a terra, voltar os olhos ao céu, e não simplesmente viver buscando as coisas limitadas e corruptas que esta terra nos oferece.
3- Qual é a grandeza do poder de Deus – A igreja deve crescer dia após dia no poder de Deus, dia a dia ser cheio do Espírito Santo, e dia a dia ver mais das manifestações desse poder no seu cotidiano. Se hoje tivemos experiências com o poder de Deus, amanhã devemos ter experiências maiores. Se hoje amamos o poder de Deus, amanhã devemos amar mais a Deus do que hoje, e ver mais do seu poder em nossa existência.
A igreja de Éfeso, em apocalipse retrocedeu, mas o desejo de Deus, que foi expresso na carta de Paulo é cresçamos sempre mais e mais em Deus.
Concluindo: Vimos hoje um pouco sobre a igreja de Éfeso, e destacamos duas características dessa igreja:
1ª característica: Uma igreja que começou bem, mas esfriou-se no amor (vs.15 e 16)
2ª Característica: Uma igreja que precisava crescer no conhecimento de Deus.( Ef 1.18-19)
1) Qual é a esperança do seu chamamento
2) Qual é a riqueza da sua glória
3) Qual é a grandeza do poder de Deus

Veja também:

Mil Ilustrações para sermões

Cinco dicas para preparar uma boa pregação

Comentários

  1. maravilhoso este estudo. Parabéns Pastor welinton. Não sei quanto tempo faz que escreveu, mas em fev 2017, me edificou demais, e me auxiliará fortemente a pregar no retiro de minha congegação.
    Wagner Medeiros.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Trazendo a Arca da Aliança

Como trarei a mim a arca de Deus? Leonard Ravenhill(1907-1994) foi um escritor e evangelista cristão britânico que focalizava em assuntos como oração e avivamento. É mais conhecido por desafiar a igreja moderna e seu mais notável livro é “Por Que Tarda o Pleno Avivamento?” Através de seu ensino e de seus livros, Ravenhill abordou as disparidades que ele percebia entre a Igreja do Novo Testamento e a Igreja moderna e apelou para a adesão aos princípios do avivamento bíblico, transcrevo um dos capítulos do Livro “Por Que Tarda O Pleno Avivamento: “Na igreja moderna, a reunião de oração é uma espécie de Cinderela. Essa serva do Senhor é desprezada e desdenhada porque não se adorna com as pérolas do intelectualismo, nem se veste com as sedas da Filosofia; nem se acha ataviada com o diadema da Psicologia. Mas se apresenta com a roupagem simples da sinceridade e da humildade, e por isso não tem receio de se ajoelhar. O “mal” da oração é que ela não se acha necessariamente associada a grandes f…

Resgatando os valores perdidos no lar

Lucas 15.8-10
8 Ou qual é a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma, não acende a candeia, varre a casa e a procura diligentemente até encontrá-la?
9 E, tendo-a achado, reúne as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque achei a dracma que eu tinha perdido.10 Eu vos afirmo que, de igual modo, há júbilo diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.
A parábola (ilustração) da dracma perdida faz parte do conjunto de parábolas que Jesus contou em Lucas 15 para ilustrar o amor de Deus pelos pecadores, a parábola da ovelha perdida, do dracma perdida e do filho pródigo. Nas três parábolas, Deus busca o que estava perdido, encontra o que estava perdido e celebra com grande alegria a recuperação do que estava perdido. Uma Dracma era uma moeda. Observa-se que a mulher descrita é uma camponesa pobre, e as dez moedas de prata, "provavelmente representam a poupança da família." [2] As moedas também poderião ser o dote da mulher, vestida como um ornamento, como u…

Mantendo o fogo de Deus aceso.

1 Samuel 3.1-4
3.1 O jovem Samuel servia ao SENHOR, perante Eli. Naqueles dias, a palavra do SENHOR era mui rara; as visões não eram freqüentes.
2 Certo dia, estando deitado no lugar costumado o sacerdote Eli, cujos olhos já começavam a escurecer-se, a ponto de não poder ver,
3 e tendo-se deitado também Samuel, no templo do SENHOR, em que estava a arca, antes que a lâmpada de Deus se apagasse, 4 o SENHOR chamou o menino: Samuel, Samuel! Este respondeu: Eis-me aqui!
Existia no tabernáculo, onde se adorava a Deus, um candelabro , com sete lâmpadas que deveriam sempre estar acessas. E também havia o altar de holocaustos, onde o fogo não poderia se apagar.
· Ex 27.20“Ordenarás aos filhos de Israel que te tragam azeite puro de oliveiras, batido, para o candeeiro, para manter uma lâmpada acesa continuamente” (Êxodo 27:20). –falando do candelabro
· Lv6 .12 e 13:“O fogo que está sobre o altar arderá nele, não se apagará; mas o sacerdote acenderá lenha nele cada manhã, e sobre ele porá em ordem o h…