Pular para o conteúdo principal

No dia da angustia


Salmos50.15 : “ Invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás.”
Assistindo o noticiário a respeito da tragédia na região serrana do Rio, escutei um dos entrevistados contando que apesar de sua casa desabar, todos os que estavam na casa sobreviveram, e no final da entrevista ele declarou o seguinte:
“Foi um milagre, eu pude sentir a presença de Deus muito forte na minha vida”.
Com certeza os dias de tragédia no Rio de Janeiro, não foram momentos de angustia apenas, mas foram momentos de grande tribulação, ainda mais, de grandes livramentos de Deus. Muitas vidas que sobreviveram, exclamavam nas entrevistas dizendo: “graças a Deus”, ou” Deus me ajudou”, ou, “só Deus para me livrar daquela situação”. Então notei que, na verdade o ser humano, quando passa pelo meio da angustia e do sofrimento, consegue colocar-se na melhor posição: Dependência total de Deus.
No salmo 50, temos Deus, através de Asafe, convocando os céus e a terra para julgar o seu povo (v.4):”Intima os céus lá em cima e a terra para julgar o seu povo” E no salmo Deus confronta o culto de Israel, que compunha-se do que a lei exigia, mas não expressava ações de graças a Deus. O culto de Israel que é confrontado neste texto, é aquele culto extremamente religioso, porém sem gratidão. Um culto falso, apenas de aparências. Mas, Deus, ainda estava estendendo mais uma chance à Israel, a chance de prestar ao Senhor ações de graças, mesmo que essas ações de graças venham depois do dia da angustia (v.15):”eu te livrarei e tu me glorificarás”.
O texto fala do dia da angustia, esse “ dia da angustia” pode ser que não seja apenas um dia, ou uma hora, pode ser grandes tempos de aflição, ou pequenas provações, mas em todos os momentos, o texto deixa claro, se invocarmos ao Senhor, ele nos livrará.
Na vida há determinados dias que podem ser definidos como dias de angustia. E os filhos de Deus não estão isentos da tremenda experiência da angustia. Salmos 34.19: "Muitas são as aflições do justo, mas o SENHOR de todas o livra".

Vejamos algumas importantes lições:
1)Invoca-me no dia da angustia
“Invoca-me no dia da angustia”.
Invocar é o mesmo que implorar o auxilio de alguém. Neste texto o Senhor está a nos dizer nestas palavras:”Filho meu no dia que você estiver angustiado chame por mim”.
Essa é a experiência dos filhos de Deus, na hora da angustia eles tem clamado pelo Senhor.
Salmos107.6 Então, na sua angústia, clamaram ao SENHOR, e ele os livrou das suas tribulações.
O povo de Deus que estava no deserto, clamou ao Senhor e o Senhor o livrou das tribulações.
Sl 86.7 No dia da minha angústia, clamo a ti, porque me respondes
Em Atos 4, lemos que Pedro e João são presos, porque anunciavam a Jesus, e são levados ao Sinédrio ( ao julgamento dos Judeus), e as autoridades judaicas os ordenaram que não mais anunciassem o nome de Jesus. Quando soltos, procuraram a igreja, e a igreja orou louvando a Deus e clamaram o seguinte:" 29 agora, Senhor, olha para as suas ameaças e concede aos teus servos que anunciem com toda a intrepidez a tua palavra, 30 enquanto estendes a mão para fazer curas, sinais e prodígios por intermédio do nome do teu santo Servo Jesus. 31 Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus".(Atos 4.29-31)
Eles clamaram ao Senhor, e o Senhor manifestou-se sobrenaturalmente, mostrando que estava ouvindo as orações da igreja, com um terremoto, no lugar onde estavam reunidos, e houve um grande derramar do Espírito Santo sobre toda a igreja.
Mesmo que a igreja estivesse passando por perseguições em Atos, o Senhor estava com eles.
Mesmo em meio as angustias podemos e devemos confiar no Senhor, pois ele está conosco. Talvez isso seja anunciado por um terremoto, talvez isso seja notado num sinal, ou simplesmente o Senhor mostra-se a nós, no dia da angustia, enchendo nossos corações de paz.
Sl 108.12” Presta-nos auxílio na angústia, pois vão é o socorro do homem.”
Tristemente temos visto tantas pessoas que “ no dia da angustia” tomam atitudes que levam a uma situação ainda pior. Quantos partem para os vícios, o crime, as drogas e até mesmo o suicídio. Aqui está um sábio conselho: “ invoca-me no dia da angustia”
Então, o que devemos fazer no dia da angustia? Invocar ao Senhor. Pois é ele que nos presta auxilio no dia da angustia.
2)Eu te livrarei no dia da angustia
Eu te livrarei”
O Deus da bíblia é o Deus da libertação. Ele é o Deus que quando clamamos nos livra da angustia e da tribulação. O rei Ezequias havia recebido uma mensagem através do profeta Isaías, que ele deveria colocar sua casa em ordem, porque certamente morreria e Isaías 38 vers. 2 e 3 nos conta:” Então, virou Ezequias o rosto para a parede e orou ao SENHOR. 3 E disse: Lembra-te, SENHOR, peço-te, de que andei diante de ti com fidelidade, com inteireza de coração e fiz o que era reto aos teus olhos; e chorou muitíssimo. “
Diante de uma mensagem angustiante, vinda de Deus, Ezequias orou e chorou, ele invocou ao Senhor no dia da angustia. E Deus o livrou da angustia, dando a ele mais quinze anos de vida. A palavra do Senhor, vem a Isaías enquanto Ezequias orava: “Vai e dize a Ezequias: Assim diz o SENHOR, o Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração e vi as tuas lágrimas; acrescentarei, pois, aos teus dias quinze anos.”(Is 38.5).
Esta palavra “Eu te livrarei” é muito rica e soa gostosa aos nossos corações e em nossos ouvidos. “Eu te livrarei”. Imaginemos alguém que está preso sem nenhuma esperança de libertação , e num certo dia surge alguém e o diz:”Eu vou libertá-lo”. Mas a bíblia diz que o homem se tornou um prisioneiro, mas também afirma que em Cristo há libertação.
Jo 8.34-36:” 8.34 Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: todo o que comete pecado é escravo do pecado. 35 O escravo não fica sempre na casa; o filho, sim, para sempre. 36 Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.
Que tipo de problema hoje está angustiando o seu coração? Esteja certo de que Deus pode libertá-lo.
3) Tu me glorificarás livre da angustia

Eu te livrarei e tu me glorificarás”
O resultado do livramento proporcionado por Deus deve ser sempre a gratidão e o louvor de seu nome. Toda a provação seguida de posterior livramento deve resultar na nossa gratidão a Deus e na glorificação do seu santo nome.
Após um grande livramento os nossos lábio se abrem em louvor e glorificação ao Senhor. Após passar Israel pelo mar vermelho, assim sendo livre do Faraó e seu exército, Miriã pegou um tamborim e todas as mulheres de Israel saíram atrás dela com tamborins e com danças ( Ex 15.20). Elas glorificaram ao Senhor pelo seu grande livramento.
Infelizmente nós, os filhos de Deus, nem sempre temos glorificado ao Senhor após um grande livramento. Podemos lembrar aqui o exemplo dos dez leprosos curados por Jesus, desses dez um voltou para agradecer a cura, somente um voltou para dar glória a Deus.
Em nossos lábios sempre deve existir uma expressão de glorificação , de louvor, de cultos e de exaltação ao Senhor.
Salmo 34.1-4:” Bendirei o SENHOR em todo o tempo, o seu louvor estará sempre nos meus lábios. 2 Gloriar-se-á no SENHOR a minha alma; os humildes o ouvirão e se alegrarão. 3 Engrandecei o SENHOR comigo, e todos, à uma, lhe exaltemos o nome. 4 Busquei o SENHOR, e ele me acolheu; livrou-me de todos os meus temores. “
Conclusão
Um dos entrevistados, da tragédia do Rio, contando que apesar de sua casa desabar, todos os que estavam na casa sobreviveram, e no final da entrevista ele declarou o seguinte:“Foi um milagre, eu pude sentir a presença de Deus muito forte na minha vida”.
Esse homem bendisse ao Senhor a todo tempo.
No Salmo 50 Deus confronta o culto de Israel, que compunha-se do que a lei exigia, mas não expressava ações de graças a Deus. Mas, Deus, ainda estava estendendo mais uma chance a Israel, a chance de prestar ao Senhor ações de graças, mesmo que essas ações de graças venham depois do dia da angustia (v.15):”eu te livrarei e tu me glorificarás”.
No dia da angustia
1)Invoca-me no dia da angustia
2)Eu te livrarei no dia da angustia
3) Tu me glorificarás livre da angustia
Sl 50.15 “ invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás.”


Pastor Welinton Mehret , baseado em "Do Pulpito 5" - Pastor Messias Anacleto Rosa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trazendo a Arca da Aliança

Como trarei a mim a arca de Deus? Leonard Ravenhill(1907-1994) foi um escritor e evangelista cristão britânico que focalizava em assuntos como oração e avivamento. É mais conhecido por desafiar a igreja moderna e seu mais notável livro é “Por Que Tarda o Pleno Avivamento?” Através de seu ensino e de seus livros, Ravenhill abordou as disparidades que ele percebia entre a Igreja do Novo Testamento e a Igreja moderna e apelou para a adesão aos princípios do avivamento bíblico, transcrevo um dos capítulos do Livro “Por Que Tarda O Pleno Avivamento: “Na igreja moderna, a reunião de oração é uma espécie de Cinderela. Essa serva do Senhor é desprezada e desdenhada porque não se adorna com as pérolas do intelectualismo, nem se veste com as sedas da Filosofia; nem se acha ataviada com o diadema da Psicologia. Mas se apresenta com a roupagem simples da sinceridade e da humildade, e por isso não tem receio de se ajoelhar. O “mal” da oração é que ela não se acha necessariamente associada a grandes f…

Resgatando os valores perdidos no lar

Lucas 15.8-10
8 Ou qual é a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma, não acende a candeia, varre a casa e a procura diligentemente até encontrá-la?
9 E, tendo-a achado, reúne as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque achei a dracma que eu tinha perdido.10 Eu vos afirmo que, de igual modo, há júbilo diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.
A parábola (ilustração) da dracma perdida faz parte do conjunto de parábolas que Jesus contou em Lucas 15 para ilustrar o amor de Deus pelos pecadores, a parábola da ovelha perdida, do dracma perdida e do filho pródigo. Nas três parábolas, Deus busca o que estava perdido, encontra o que estava perdido e celebra com grande alegria a recuperação do que estava perdido. Uma Dracma era uma moeda. Observa-se que a mulher descrita é uma camponesa pobre, e as dez moedas de prata, "provavelmente representam a poupança da família." [2] As moedas também poderião ser o dote da mulher, vestida como um ornamento, como u…

Mantendo o fogo de Deus aceso.

1 Samuel 3.1-4
3.1 O jovem Samuel servia ao SENHOR, perante Eli. Naqueles dias, a palavra do SENHOR era mui rara; as visões não eram freqüentes.
2 Certo dia, estando deitado no lugar costumado o sacerdote Eli, cujos olhos já começavam a escurecer-se, a ponto de não poder ver,
3 e tendo-se deitado também Samuel, no templo do SENHOR, em que estava a arca, antes que a lâmpada de Deus se apagasse, 4 o SENHOR chamou o menino: Samuel, Samuel! Este respondeu: Eis-me aqui!
Existia no tabernáculo, onde se adorava a Deus, um candelabro , com sete lâmpadas que deveriam sempre estar acessas. E também havia o altar de holocaustos, onde o fogo não poderia se apagar.
· Ex 27.20“Ordenarás aos filhos de Israel que te tragam azeite puro de oliveiras, batido, para o candeeiro, para manter uma lâmpada acesa continuamente” (Êxodo 27:20). –falando do candelabro
· Lv6 .12 e 13:“O fogo que está sobre o altar arderá nele, não se apagará; mas o sacerdote acenderá lenha nele cada manhã, e sobre ele porá em ordem o h…