Pular para o conteúdo principal

O compromisso de seguirmos a Cristo


Jo 8.31 Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos;
Lc 9.23: Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me.
A falta de compromisso atinge muitas áreas de nossa vida.
O compromisso é importante. O dicionário Aurélio define "comprometer" como: implicar, envolver, dar como garantia, empenhar, e "comprometer-se" como assumir responsabilidade, obrigar-se. Isso quer dizer que devemos comprometer nossas vidas com Cristo Jesus. Dando-lhe nossas vidas em totalidade.
Quando comprometemos nossa vida com Deus, estamos submetidos à sua vontade. Aos judeus que tinham crido nele, Jesus disse: "Se vocês obedece­rem às minhas palavras, serão de fato meus seguidores" (Jo 8.31). E a todos Nós Jesus declarou o que está em Lucas 9.23 “ Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome sua cruz e siga-me” essas duas palavras de Jesus são expressões diferentes do mesmo assunto: Compromisso. Seguir a Jesus envolve plenamente essa duas palavras, obediência a palavra e a negação da nossa prórpia vontade, o tomar a cruz, e viver como Jesus viveu.
O que envolve o compromisso de seguirmos a Cristo?
1)Envolve vencermos nossas barreiras pessoais. Lucas 9.57-62
57 Indo eles caminho fora, alguém lhe disse: Seguir-te-ei para onde quer que fores.
58 Mas Jesus lhe respondeu: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça. 59 A outro disse Jesus: Segue-me! Ele, porém, respondeu: Permite-me ir primeiro sepultar meu pai. 60 Mas Jesus insistiu: Deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos. Tu, porém, vai e prega o reino de Deus.
61 -Outro lhe disse: Seguir-te-ei, Senhor; mas deixa-me primeiro despedir-me dos de casa.
62 Mas Jesus lhe replicou: Ninguém que, tendo posto a mão no arado, olha para trás é apto para o reino de Deus.
Neste texto do evangelho de Lucas notamos que Jesus encontra-se na sua caminhada com algumas pessoas que são de alguma forma colocadas diante do compromisso de seguir a Jesus, mas que diante das barreiras pessoais acabaram por não seguir a Cristo.
O 1º deles, chega-se a Jesus e parece que ele está realmente disposto para seguir a Jesus: Seguir-te-ei para onde quer que fores.
Mas, quando Jesus lhe descreve as condições do seu ministério, ele simplesmente sai de cena e deixa a Jesus, Jesus afirma: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça. O ministério de Jesus não apresentava luxo ou conforto, por muitas vezes dormiu ao relento, ou em grutas, ou em campos, muitas noites no monte orando, depois de um cansativo dia de curas, pregações e milagres. E aquele que afirmava querer seguir a Jesus, logo abre mão, pois seu coração estava preso no conforto e naquilo que era material em sua vida.
A 2ª pessoa deste relato tem no seu coração a barreira da tradição, e quando Jesus o convida para seguir, ele quer cumprir primeiramente uma tradição de sua cultura, que o impedia de sair de casa antes de falecer o seu pai. É a barreira da tradição.
A 3ª pessoa deste relato, também se oferece para seguir a Jesus, mas primeiramente pede para despedir-se dos de casa, esse poderia até mesmo seguir a Cristo , mas seu coração sempre colocaria em primeiro lugar o desejo de sua família – É a barreira familiar.Há outras barreiras pessoais que nos impedem de ter com Jesus um verdadeiro compromisso. Como o buscar primeiramente as riquezas e depois a Deus, como aquele jovem rico que chegou a Jesus, conhecendo a lei, os mandamentos, mas não estava disposto a abrir mão do seu dinheiro para ter Jesus em 1º lugar e herdar a vida eterna.
Que barreiras estão dentro de nós, nos impedindo de ter um verdadeiro compromisso com Jesus?
A barreira material?
A Barreira das nossas tradições?
A barreira de fazer a vontade de familiares que não servem a Deus; em vez de fazermos a vontade de Deus?
A barreira das riquezas?
Quem sabe outras barreiras pessoais, como comodismos, desinteresse, amizades, prazeres do mundo?

Quando Jesus apresentou as condições do discipulado, não temos mais notícia desses que queri­am ser seus seguidores.
O que envolve o compromisso de seguirmos a Cristo?
2) Envolve disposição de sofrermos por Cristo (1 Pe 4.1)
“Ora, tendo Cristo sofrido na carne, armai-vos também vós do mesmo pensamento; pois aquele que sofreu na carne deixou o pecado”.
NVI :” Portanto, uma vez que Cristo sofreu corporalmente
armem-se também do mesmo pensamento(de sofrer corporalmente) pois aquele que sofreu em seu corpo rompeu com o pecado”.
Estamos dipostos a sofer por amor a Cristo? Por defender sua causa, pele nossa fé?
O texto nos ensina que assim como Cristo sofreu , também devemos nos armar do pensamento que também sofreremos por Cristo.
Isso é parte de nossa armadura e é tão essencial para nós como a armadura sobre a qual lemos em Efésios 6. Por não termos essa disposição ou mentalidade é que constatamos que o inimigo penetra e nos derrota justa­mente quando não queremos sofrer. Em decorrência, fa­zemos o possível para quebrar nosso compromisso.
Frank Dietz conta em seu livro : “A pessoa que Deus usa” que certa jovem aderiu há uma missão em um navio durante dois anos. Havia sido muito ativa em sua igreja e tinha feito um trabalho responsável. Enquanto estava no na­vio, teve de passar um bom tempo lavando pratos.Todas as noites, no quarto, ela se lamentava das mãos de lavadora de pratos. Reclamava que não entrara no navio para lavar pratos etc. Uma noite, quando se queixava a Deus a respei­to de suas mãos, de como estavam vermelhas e machucadas, e pensava como poderia escapar do com­promisso, o Senhor falou com ela: "Olhe para as minhas mãos..."
Foi esse um momento de virada na vida dela. Ela deu-se conta de como o Senhor tinha sofrido em favor dela.
A mensagem do Senhor sempre tem sido: Morri na cruz por ti, que fazes tu por mim?”
O que envolve o compromisso de seguirmos a Cristo?
3) Envolve Sabermos o que realmente é seguirmos a Cristo 1 Coríntios 4.8-13.

8 Já estais fartos, já estais ricos; chegastes a reinar sem nós; sim, tomara reinásseis para que também nós viéssemos a reinar convosco.
9 Porque a mim me parece que Deus nos pôs a nós, os apóstolos, em último lugar, como se fôssemos condenados à morte; porque nos tornamos espetáculo ao mundo, tanto a anjos, como a homens. 10 Nós somos loucos por causa de Cristo, e vós, sábios em Cristo; nós, fracos, e vós, fortes; vós, nobres, e nós, desprezíveis. 11 Até à presente hora, sofremos fome, e sede, e nudez; e somos esbofeteados, e não temos morada certa, 12 e nos afadigamos, trabalhando com as nossas próprias mãos. Quando somos injuriados, bendizemos; quando perseguidos, suportamos; 13 quando caluniados, procuramos conciliação; até agora, temos chegado a ser considerados lixo do mundo, escória de todos.
Temos IDÉIAS ERRADAS DO QUE SIGNIFICA SEGUIR A CRISTO
Parece que pensamos que, ao seguirmos a Cristo, não teremos nenhum problema. Não compreendemos como o Senhor constrói o caráter em nós. Não é assim que não teremos problemas, porque os temos. Na reali­dade, provavelmente passamos por mais problemas (por­que Satanás é contra nós), mas temos uma solução para nossos problemas. É isso que faz a diferença.
Há uma tendência para pensar que, se seguimos a Cristo e as coisas são duras e não se resolvem, isso não pode ser de Deus. É essa forma de pensamento que conduz a muitas idéias errôneas sobre o discipulado.
"Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imi­tadores" (1 Co 4.16, ARA).
Neste texto Paulo nos está dando uma idéia do que significa seguir a Cristo, Depois de descrever tudo pelo que ele e os outros apóstolos passaram, ele tem a audácia de dizer, no v. 16, que insiste para que os coríntios o imitem.
Sabemos que temso aflições nessa terra, mas o que dizer de nossos irmãos e irmãs em algumas das regiões difíceis do mundo, como o Sudão,Eritréia, Azerbajão, Pazaquistão onde atu­almente estão sendo martirizados por amor a Cristo? São tirados das casas e lançados no deserto sem comida, água ou proteção das intempéries, outros presos , maltratados e mortos.
Não... Temos de compreender o que significa se­guir a Cristo. Agora temos sofrido . Mais tarde ha­veremos de reinar, mas agora, como ao apóstolo Pau­lo, cabe-nos completar os sofrimentos de Cristo. Cristo sofreu e morreu na cruz. Agora ele reina. É assim que ocorre no presente com a igreja. Sofremos agora, mas mais tarde reinaremos.
O verso 13 diz em seu final: “ temos chegado a ser considerados lixo do mundo, escória de todos.”
Ser Cristão implica muitas vezes em ser considerado lixo do mundo, escória de todos – Isso diante dos homens desta terra, mas você quem você é diante de Deus? Uma jóia, que dinheiro nenhum pode comprar, nem prata nem ouro equivalem ao teu valor diante de Deus, mas você vale o sangue de Jesus, que foi derramado para comprar-te do pecado para ser dele.
Então, o que você prefere- Eu prefiro ser lixo pro mundo, mas precioso pra Deus, comprado com sangue de Jesus.
Concluindo
Quando olho para o cenário evangélico atual, vejo uma grande ausência de compromisso. Aos judeus que tinham crido nele, Jesus disse: "Se vocês obedece­rem às minhas palavras, serão de fato meus seguidores" (Jo 8.31). E a todos Nós Jesus declarou o que está em Lucas 9.23 “ Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome sua cruz e siga-me”.
Tema: O Compromisso de seguirmos a Cristo
O que envolve o compromisso de seguirmos a Cristo?
1)Envolve vencermos nossas barreiras pessoais. Lucas 9.57-62
2) Envolve disposição de sofrermos por Cristo (1 Pe 4.1)
3)Envolve Sabermos o que realmente é seguirmos a Cristo



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trazendo a Arca da Aliança

Como trarei a mim a arca de Deus? Leonard Ravenhill(1907-1994) foi um escritor e evangelista cristão britânico que focalizava em assuntos como oração e avivamento. É mais conhecido por desafiar a igreja moderna e seu mais notável livro é “Por Que Tarda o Pleno Avivamento?” Através de seu ensino e de seus livros, Ravenhill abordou as disparidades que ele percebia entre a Igreja do Novo Testamento e a Igreja moderna e apelou para a adesão aos princípios do avivamento bíblico, transcrevo um dos capítulos do Livro “Por Que Tarda O Pleno Avivamento: “Na igreja moderna, a reunião de oração é uma espécie de Cinderela. Essa serva do Senhor é desprezada e desdenhada porque não se adorna com as pérolas do intelectualismo, nem se veste com as sedas da Filosofia; nem se acha ataviada com o diadema da Psicologia. Mas se apresenta com a roupagem simples da sinceridade e da humildade, e por isso não tem receio de se ajoelhar. O “mal” da oração é que ela não se acha necessariamente associada a grandes f…

Resgatando os valores perdidos no lar

Lucas 15.8-10
8 Ou qual é a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma, não acende a candeia, varre a casa e a procura diligentemente até encontrá-la?
9 E, tendo-a achado, reúne as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque achei a dracma que eu tinha perdido.10 Eu vos afirmo que, de igual modo, há júbilo diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.
A parábola (ilustração) da dracma perdida faz parte do conjunto de parábolas que Jesus contou em Lucas 15 para ilustrar o amor de Deus pelos pecadores, a parábola da ovelha perdida, do dracma perdida e do filho pródigo. Nas três parábolas, Deus busca o que estava perdido, encontra o que estava perdido e celebra com grande alegria a recuperação do que estava perdido. Uma Dracma era uma moeda. Observa-se que a mulher descrita é uma camponesa pobre, e as dez moedas de prata, "provavelmente representam a poupança da família." [2] As moedas também poderião ser o dote da mulher, vestida como um ornamento, como u…

Mantendo o fogo de Deus aceso.

1 Samuel 3.1-4
3.1 O jovem Samuel servia ao SENHOR, perante Eli. Naqueles dias, a palavra do SENHOR era mui rara; as visões não eram freqüentes.
2 Certo dia, estando deitado no lugar costumado o sacerdote Eli, cujos olhos já começavam a escurecer-se, a ponto de não poder ver,
3 e tendo-se deitado também Samuel, no templo do SENHOR, em que estava a arca, antes que a lâmpada de Deus se apagasse, 4 o SENHOR chamou o menino: Samuel, Samuel! Este respondeu: Eis-me aqui!
Existia no tabernáculo, onde se adorava a Deus, um candelabro , com sete lâmpadas que deveriam sempre estar acessas. E também havia o altar de holocaustos, onde o fogo não poderia se apagar.
· Ex 27.20“Ordenarás aos filhos de Israel que te tragam azeite puro de oliveiras, batido, para o candeeiro, para manter uma lâmpada acesa continuamente” (Êxodo 27:20). –falando do candelabro
· Lv6 .12 e 13:“O fogo que está sobre o altar arderá nele, não se apagará; mas o sacerdote acenderá lenha nele cada manhã, e sobre ele porá em ordem o h…