quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Sofrimento e aflição

“Considera as minhas aflições e o meu sofrimento e perdoa todos os meus pecados”( Salmo 25.18).
Conta-se uma ilustração que certa mulher havia perdido seu único filho, seu sofrimento foi profundo e ela se sentia inconsolável. Então ela procurou conselho com um homem sábio. Ele lhe disse: “Eu lhe devolverei seu filho se você me trouxer algumas sementes de mostarda, mas há uma condição: As sementes têm que vir de um lar onde nunca tenha existido qualquer sofrimento”. Então, com ansiedade a mulher começou a sua procura. Ela foi de casa em casa, em todas elas lhe foi dito que lá também se experimentou sofrimento e dor. Ela voltou ao sábio e disse: ”O sofrimento é comum a todas as pessoas”.
Aquela mulher aprendeu uma valiosa verdade! O sofrimento atinge a todos. Todos sofrem, embora os sofrimentos não sejam iguais para todos.
O salmista Davi também percebia essa realidade do sofrimento em sua vida, porém, sabia com quem contar e a quem descrever suas aflições. No texto acima, Davi faz um clamor a Deus, para que Ele considerasse as suas aflições e os seus sofrimentos e perdoasse seus pecados. O sofrimento é um fato real na vida de todos nós, mas, mais real que o sofrimento, é a grande verdade que temos alguém conosco em todos os momentos de nossa existência. Alguém que se importa conosco, e Davi sabia que Deus olharia para suas aflições e sofrimentos e consideraria suas lutas. Essa mesma certeza de Davi, deve conduzir nossos sentimentos a segurança que existe em Jesus Cristo o Salvador. Que segurança podemos ter em Jesus, pois nele gozamos, mesmo que exista o sofrimento, paz vida e luz.
Por isso, mesmo em meio às aflições e sofrimentos: “Lança o teu cuidado sobre o Senhor, e Ele te susterá” ( Salmo 55.22). E ainda: “Lançai sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós”(I Pe 5.7).
Deus te abençoe muito!
Pastor Welinton Mehret

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coloque-se na brecha

“E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro, e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruí...