Pesquisar este blog

terça-feira, 21 de setembro de 2010

A Necessidade de uma bênção


II Reis 5:1-18
5.1 Naamã, comandante do exército do rei da Síria, era grande homem diante do seu senhor e de muito conceito, porque por ele o SENHOR dera vitória à Síria; era ele herói da guerra, porém leproso.
2 Saíram tropas da Síria, e da terra de Israel levaram cativa uma menina, que ficou ao serviço da mulher de Naamã.
3 Disse ela à sua senhora: Tomara o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria; ele o restauraria da sua lepra.
4 Então, foi Naamã e disse ao seu senhor: Assim e assim falou a jovem que é da terra de Israel. 5 Respondeu o rei da Síria: Vai, anda, e enviarei uma carta ao rei de Israel. Ele partiu e levou consigo dez talentos de prata, seis mil siclos de ouro e dez vestes festivais.
6 Levou também ao rei de Israel a carta, que dizia: Logo, em chegando a ti esta carta, saberás que eu te enviei Naamã, meu servo, para que o cures da sua lepra.
7 Tendo lido o rei de Israel a carta, rasgou as suas vestes e disse: Acaso, sou Deus com poder de tirar a vida ou dá-la, para que este envie a mim um homem para eu curá-lo de sua lepra? Notai, pois, e vede que procura um pretexto para romper comigo.
8 Ouvindo, porém, Eliseu, homem de Deus, que o rei de Israel rasgara as suas vestes, mandou dizer ao rei: Por que rasgaste as tuas vestes? Deixa-o vir a mim, e saberá que há profeta em Israel. 9 Veio, pois, Naamã com os seus cavalos e os seus carros e parou à porta da casa de Eliseu.
10 Então, Eliseu lhe mandou um mensageiro, dizendo: Vai, lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será restaurada, e ficarás limpo. 11 Naamã, porém, muito se indignou e se foi, dizendo: Pensava eu que ele sairia a ter comigo, pôr-se-ia de pé, invocaria o nome do SENHOR, seu Deus, moveria a mão sobre o lugar da lepra e restauraria o leproso.
12 Não são, porventura, Abana e Farfar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? Não poderia eu lavar-me neles e ficar limpo? E voltou-se e se foi com indignação.
13 Então, se chegaram a ele os seus oficiais e lhe disseram: Meu pai, se te houvesse dito o profeta alguma coisa difícil, acaso, não a farias? Quanto mais, já que apenas te disse: Lava-te e ficarás limpo.
14 Então, desceu e mergulhou no Jordão sete vezes, consoante a palavra do homem de Deus; e a sua carne se tornou como a carne de uma criança, e ficou limpo. 15 Voltou ao homem de Deus, ele e toda a sua comitiva; veio, pôs-se diante dele e disse: Eis que, agora, reconheço que em toda a terra não há Deus, senão em Israel; agora, pois, te peço aceites um presente do teu servo.
16 Porém ele disse: Tão certo como vive o SENHOR, em cuja presença estou, não o aceitarei. Instou com ele para que o aceitasse, mas ele recusou.
17 Disse Naamã: Se não queres, peço-te que ao teu servo seja dado levar uma carga de terra de dois mulos; porque nunca mais oferecerá este teu servo holocausto nem sacrifício a outros deuses, senão ao SENHOR. 18 Nisto perdoe o SENHOR a teu servo; quando o meu senhor entra na casa de Rimom para ali adorar, e ele se encosta na minha mão, e eu também me tenha de encurvar na casa de Rimom, quando assim me prostrar na casa de Rimom, nisto perdoe o SENHOR a teu servo. (Mas que o Senhor me perdoe por uma única coisa: quando meu senhor vai adorar no templo de Rimom, eu também tenho que me ajoelhar ali, pois ele se apóia em meu braço. Que o Senhor perdoe o teu servo por isso".)

Deus não prometeu providenciar ou suprir todos os nossos desejos, mas sim todas as nossas necessidades.
Na verdade, quando entendemos que Deus pode suprir as nossas necessidades, desejamos buscar dele as suas bênçãos.
No texto lido vemos um homem que tinha uma grande necessidade e resolveu suprir sua necessidade com a bênção de Deus. Ele era leproso e necessitava de uma cura imediata.
Este homem se chamava Naamã, ele era um homem que possuía um cargo elevado na Síria, era comandante do exército, mas ao mesmo tempo era exposta a todos sua enfermidade, pois era leproso.
Sua esposa tinha uma serva que era israelita e conhecia o profeta Eliseu. Então ela sugeriu que Naamã fosse procurar Eliseu para receber a cura de Deus através de Eliseu. Então Naamã pediu autorização do rei da Síria para ir a Israel, e o rei o enviou ao rei de Israel. O rei de Israel, não entendeu o que estava acontecendo, então Eliseu, mandou um recado, ao rei, pedindo que Naamã fosse até ele, para que Deus realizasse mais um milagre através da vida de Eliseu. Sabemos que o maior desejo de alguém doente é a cura e com Naamã não foi diferente. Assim que soube de alguém em Israel que pudesse curá-lo, dirigiu-se para lá. Ao chegar na casa do profeta Eliseu, recebe a mensagem de banhar-se no rio Jordão. Naamã, resistiu essa ordem, porém após o convencimento de seus servos, resolve obedecer, banhando-se 7 vezes naquele rio e assim ficou curado.
A necessidade da cura, de uma bênção levou Naamã a tomar alguns passos necessários para o reconhecimento do Senhorio de Deus em sua vida.
O que essa história nos ministra?

À que nos leva a necessidade de uma bênção?

1) Nos leva a aprendermos a vontade de Deus ( 8 a 10 )
8 Ouvindo, porém, Eliseu, homem de Deus, que o rei de Israel rasgara as suas vestes, mandou dizer ao rei: Por que rasgaste as tuas vestes? Deixa-o vir a mim, e saberá que há profeta em Israel. 9 Veio, pois, Naamã com os seus cavalos e os seus carros e parou à porta da casa de Eliseu. 10 Então, Eliseu lhe mandou um mensageiro, dizendo: Vai, lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será restaurada, e ficarás limpo
Naamã vai a Israel, primeiramente ao rei, para depois ser chamado por Eliseu. Naamã esperava uma atitude simples e prática da parte de Eliseu, esperava que ele apenas orasse e assim, fosse curado da sua lepra.
Mas a vontade de Deus na vida de Naamã era diferente do que ele queria, ao invés disso acontecer, Eliseu mandou banhar-se sete vezes no rio Jordão para ser curado.
A necessidade de uma bênção nos leva a entender que os pensamentos de Deus não são como os nossos. Muitas vezes achamos que a forma como Deus irá operar será a que imaginamos, mas vemos pela história de Naamã que não foi assim. Possivelmente Naamã achava que receberia uma oração do profeta e sairia curado, no entanto, ele nem ao menos foi recebido pelo profeta.
Nós queremos as bênçãos do Senhor, mas na maioria das vezes queremos que Deus nos abençoe na forma que queremos, as vezes de maneira mais simples, sem precisarmos passar por um processo de oração, de quebrantamento e de espera.
Mas, enquanto nós não entendermos a vontade Deus, a aceitando, embora ela seja de maneira diferente do que esperávamos, não estaremos capacitados a receber a bênção que buscamos.
Então primeiramente Naamã teve que aprender a vontade de Deus.
A necessidade de uma bênção
À que nos leva a necessidade de uma bênção
Nos leva a aprender a vontade de Deus.

2)Nos leva a submeter-mo-nos à uma posição de humilhação. (v 12-14)
Veja o que Naamã respondeu
12 Não são, porventura, Abana e Farfar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? Não poderia eu lavar-me neles e ficar limpo? E voltou-se e se foi com indignação.
13 Então, se chegaram a ele os seus oficiais e lhe disseram: Meu pai, se te houvesse dito o profeta alguma coisa difícil, acaso, não a farias? Quanto mais, já que apenas te disse: Lava-te e ficarás limpo.
Veja a atitude de Naamã:
14 Então, desceu e mergulhou no Jordão sete vezes, consoante a palavra do homem de Deus; e a sua carne se tornou como a carne de uma criança, e ficou limpo
Então desceu.”
A necessidade de uma bênção quebrou o orgulho desse homem, ele a principio não admite a orientação de Deus através de Eliseu, mas depois notou que a necessidade que tinha era maior que seu orgulho, e ele desceu.
Lavar-se no Jordão era sinônimo de se humilhar. Naamã precisou expor sua nudez, sua lepra diante daqueles que estavam sob sua autoridade e tudo isso num rio considerado sujo.
Deus nunca perde tempo. Ele sempre quer nos ministrar algo. Podemos ter uma imagem a nosso respeito de que somos bons e humildes, mas será essa a visão de Deus ao nosso respeito? Naamã era capitão da guarda, tinha um cargo importante, talvez se considerasse superior por isso. O fato de ele ser leproso não era por acaso, isso ministrava algo que estava dentro dele e se expressava em seu exterior. Deus, no seu infinito amor, queria mostrar a Naamã quem ele era por dentro.
Naamã até chegar à casa de Eliseu parecia um homem manso, humilde e obediente. Vemos, no entanto, que quando lhe foi dada a ordem do que deveria fazer para ser curado, muita indignação e fúria saíram dele. Ele se rebelou contra a ordenança que Deus havia dado através do profeta. Isso revelou quem ele realmente era. Um homem rebelde e orgulhoso. Nenhum orgulhoso gosta de ser humilhado, de ser exposto, mas foi o que Naamã precisou fazer. Ele precisou mostrar a todos a sua lepra indo banhar-se e, além disso, no Jordão, um rio sujo. No entanto, sua cura se processou quando ele obedeceu.
O orgulho é sinônimo de independência de Deus e desobediência.
O que aconteceu quando Naamã ficou curado? Seu interior foi transformado. Ele discerniu que em toda terra não havia outro Deus, a não ser o Deus de Israel. Deus conseguiu mostrar a este homem quem ele era e quem Deus era, coisa que não aconteceria se Naamã não tivesse passado por aquela situação.
3) Nos leva obedecer mos a ordem de Deus (v 14)
14 Então, desceu e mergulhou no Jordão sete vezes, consoante a palavra do homem de Deus; e a sua carne se tornou como a carne de uma criança, e ficou limpo

O importante não era ele banhar-se no Jordão, mas obedecer. Obediência é sinônimo de humildade, pois obedecer inclui ter de fazer qualquer coisa que Deus mande,inclusive banhar-se nos Jordões da vida.
O importante é que a obediência tem que estar acima de nossas sugestões: quando Naamã descobre que deve ir ao Jordão, sugere outros rios mais limpos do que aquele para banhar-se. O rio Jordão não era o que Naamã poderia visualizar como fonte de cura, no entanto, o Senhor queria ministrar a este homem que a obediência está acima de tudo
Os pensamentos de Deus não são os nossos. Talvez hoje você ache que tenha alguma idéia genial para apresentar a Deus e talvez crê que os milagres de que necessitas virão apenas dos lugares que você considera bons e melhores. No entanto, a história de Naamã nos mostra que Deus opera por meios e formas que muitas vezes não nos agrada e que não esperamos.
.
Conclusão

Deus não prometeu providenciar ou suprir todos os nossos desejos, mas sim todas as nossas necessidades.
E Naamã pode evidenciar isso em sua vida, quando foi levado pela sua necessidade de cura a reconhecer o Senhorio de Deus em sua vida. Depois de curado da lepra ele pede a Deus perdão do pecado que havia cometido, apoiando o rei Síria fisicamente quando o rei cultuava o falso Deus Rimon. Naamã reconhece Deus como o único Senhor de sua vida.
A necessidade de uma bênção o levou a :
· Aprender a vontade de Deus.
· Submeter-nos à uma posição de humilhação
· Obedecer a ordem de Deus

Nenhum comentário:

Postar um comentário