Pesquisar este blog

terça-feira, 29 de junho de 2010

Caminhos do coração!

Jeremias 17.9
“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá? “
Na maioria das vezes tomamos decisões conforme os nossos sentimentos, sem averiguar se realmente estamos certos.
O texto que lemos nos faz uma advertência, quanto aos nossos sentimentos, quanto aos nossos pensamentos, dizendo que nossos corações são enganosos. Muitas vezes somos enganados por nós mesmos, achamos que a nossa decisão é a melhor. Que as orientações que a Bíblia nos dá, não correspondem ao que queremos.
· Quantos casais se separam, por acharem que o amor acabou – sendo que a Bíblia diz em 1 Co 13, que o amor jamais acaba- se separam, pois foram enganados pelo próprio coração.
· Outros sentem que determinado problema não tem solução, quando na verdade, Deus tem a resposta; e movidos pelo sentimento se desesperam.
· Outros tomam decisões, achando que, estão agindo certo. Decidem pelas festas que esse mundo oferece; jovens que decidem pela bebida e pelas drogas; outros que decidem pela fraude e pelo crime, achando que é o melhor caminho.
Mas, veja o que a palavra de Deus nos diz: Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte. (PV 14.12)
Há caminhos que parece direito – a pessoa pensa que é a melhor coisa a ser feita- mas está enganada pelo seu coração, enganada pela emoção, pois não percebe que colherá consequências de suas decisões.
Quantas vezes estamos agindo conforme o nosso desejo, sendo que ele é perigoso. Sendo que, por aquilo que queremos podemos nos distanciar de Deus e encontrar até a morte?
Antes de tomar qualquer decisão, devemos analisar, se o que estamos querendo é da vontade do Senhor. O que é da vontade do SENHOR- é aquilo que nos aproximará mais de Deus. Mas a decisão errada- é aquela que nos afastará de Deus, nos afastará da oração, da palavra , da casa de Deus.
Então, nunca haja por impulso, mas verifique se o caminho a ser tomado vai te levar pra perto de Deus, ou vai te afastar, te levando a destruição.
Então busque em 1º lugar o reino de Deus e sua justiça- que essa seja a nossa vontade, que seja esse o desejo do nosso coração.
Há uma orientação para nós na palavra do Senhor, sobre que decisão tomar, sobre que caminho andar. Jo 14.6:Disse Jesus: “ Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao pai a não ser por mim”.
Que no seu coração haja o desejo de andar por esse caminho, que é o caminho da SALVAÇÃO- JESUS!

Quando o nosso orgulho precisa ser quebrado por Jesus!



Mateus 15:21-28“21 Partindo Jesus dali, retirou-se para os lados de Tiro e Sidom.
22 E eis que uma mulher cananéia, que viera daquelas regiões, clamava: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de mim! Minha filha está horrivelmente endemoninhada. 23 Ele, porém, não lhe respondeu palavra. E os seus discípulos, aproximando-se, rogaram-lhe: Despede-a, pois vem clamando atrás de nós.
24 Mas Jesus respondeu: Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel. 25 Ela, porém, veio e o adorou, dizendo: Senhor, socorre-me! 26 Então, ele, respondendo, disse: Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. 27 Ela, contudo, replicou: Sim, Senhor, porém os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos. 28 Então, lhe disse Jesus: Ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se contigo como queres. E, desde aquele momento, sua filha ficou sã.”

“Toda vez que uma pessoa é quebrantada por Deus, o ego perde o grande controle sobre a vida.” Quando não quebramos nosso orgulho, alguém terá que quebrá-lo.
A soberba e o orgulho barram de recebermos as bênçãos de Deus.Tiago 4.6 e7 nos diz:
Antes, ele dá maior graça; pelo que diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. 7 Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.
Antes de resistirmos a Satanás, há um processo de sujeição e humilhação debaixo da mão de Deus. Para resistir e vencer o Diabo é preciso trilhar o caminho da humildade, sujeitando-se a Deus. A grande questão em nossa luta espiritual é que Deus resiste aos soberbos, antes de Deus resistir ao Diabo ele resiste à soberba do homem. Deus não age a favor do homem soberbo.
Deus certamente irá confrontar a nossa soberba, a nossa independência, a nossa justiça própria e todo julgamento que vem do orgulho ferido.
Mas, depois de resistir aos soberbos, Deus dá graça aos humildes. A humildade é a chave que abre a porta da graça . Este processo de sujeitar-se a Deus exige de nós a capacidade de enfrentar com humildade as provas e aceitar o tratamento de Deus, e de maneira aprovada aceitar o processo da humilhação. O processo de sujeitarmos a Deus é o caminho correto para vencermos toda a opressão de Satanás. Nos sujeitando a Deus, aceitando o seu agir, estamos resistindo ao Diabo e ele fugirá de nós.
Porém, quando não entendemos as provas de Deus e nos revoltamos, ao invés do Diabo fugir, nós é que fugimos.
Este texto fala de uma mulher que tinha uma filha miseravelmente endemoninhada. E ela vem clamando e insistindo atrás de Jesus, para que sua filha fosse liberta, e Jesus a ignora, nega-lhe a bênção e a humilha, até que enfim ele declara a libertação da sua filha. Pois essa mãe estava na posição onde o Diabo é resistido e foge: HUMILHAÇÃO.
O texto lido no inicio, narra uma difícil situação familiar, a principio nos parece que Jesus estava sendo injusto com essa mulher, e que não queria libertar sua filha dos demônios que a tomavam. Mas, Jesus está agindo totalmente ao contrário do que imaginamos, pois está trazendo libertação a essa filha através do processo de humilhação. O orgulho dessa mãe foi quebrado, dando espaço para a humilhação.
O que acontece quando o nosso orgulho precisa ser quebrado por Jesus?
1)O silêncio de Jesus confronta nosso desespero (22 e 23ª)
22 E eis que uma mulher cananéia, que viera daquelas regiões, clamava: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de mim! Minha filha está horrivelmente endemoninhada. 23 Ele, porém, não lhe respondeu palavra.
Aquela mulher veio gritando por socorro e simplesmente Jesus a ignorou. Ele não lhe respondeu palavra. Ele, aparentemente, a despreza num momento de angustia e perplexidade. O silêncio de Jesus confrontou seu desespero.
Quando isso acontece conosco e Deus se cala, aquela sensação de vazio e de dor atravessa o nosso coração. A única resposta que temos diante de nosso clamor é a solidão. Você ora, faz campanhas, chora, consagra-se mais e nada acontece!
Aí , o sentimento é claro: Deus virando as suas costas e se distanciando no mesmo passo que o sentimento de abandono vem se aproximando. Então diante de nossa fragilidade o orgulho vem e fala: “Deus não ama você, ele não se importa com você, Deus te abandonou na hora em que você mais precisa dele. “ é a mentira do nosso orgulho , mas nessas horas até parece que é verdade. Para não acreditar nisso é preciso muita humildade e perseverança.
Jesus de fato criou um clima muito constrangedor. Tamanho foi o constrangimento que os discípulos tentaram melhorar a situação. Por um momento eles estavam sendo mais espirituais que o próprio Jesus . Verso 23:” os seus discípulos, aproximando-se, rogaram-lhe: Despede-a, pois vem clamando atrás de nós. “ , quem sabe tenham comentado :” olha o constrangimento, o escândalo, “ despede-a pois a situação está constrangedora.
Mas o silêncio de Jesus confrontava o desespero dessa mulher.
Quando nosso orgulho precisa ser quebrado por Jesus, o silêncio de Jesus confronta nosso desespero
2) A resposta de Jesus quebra o nosso preconceito .(v.24)
“24 Mas Jesus respondeu: Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.”
Quando os discípulos tentam amenizar o constrangimento inicial da situação, vem uma resposta ainda mais agressiva. Jesus impetra um outro golpe fortíssimo contra a insistência daquela mulher. Ele a discrimina racialmente.
Em Marcos, a bíblia explica melhor a nacionalidade dessa mulher. Marcos 7.26:” Esta mulher era grega, de origem siro-fenícia, e rogava-lhe que expelisse de sua filha o demônio”. Ela era grega, da elite cultural do seu tempo. Pessoa que vivia em meio a cultura e a riqueza da época . Os gregos consideravam-se superiores por causa de sua filosofia e riqueza. A cidadania grega era símbolo do orgulho intelectual, cultural e espiritual. Até hoje a Grécia é tida como berço da civilização. As pessoas mais sábias, cultas e civilizadas estavam lá. Todo o conceito de superioridade e moda, o padrão de beleza, fora ditado pela filosofia grega.
Jesus precisou tocar nesse ponto. Aquela mulher era grega em cultura e língua. Nesse ponto se alojava a raiz do orgulho que abrira espaço para atuação demoníaca na sua família.
Todo preconceito revela uma idolatria em relação à nossa reputação. Isso precisa ser tratado. Ao tratar preconceituosamente aquela mulher, Jesus estava confrontando o sentimento de superioridade que os gregos tinham em relação ao resto do mundo.
Essa resposta de Jesus é uma provocação racial, mas no nosso contexto poderia ser uma provocação denominacional. Apenas imagine se você como bom presbiteriano estivesse clamando a Jesus e ele falasse com você: ”Nesse momento só estou abençoando os batistas”.
O orgulho denominacional é uma das maiores brechas no corpo de Cristo, onde Satanás tem se infiltrado com todo o tipo de disputas, invejas, inimizades e ciúmes.
Aquela mulher teve que reconhecer que não importava se ela era grega, ela precisava da libertação de sua filha. Ser grega, não significava nada diante do problema que estava vivendo.
Mas, mesmo assim, aquela mulher ainda numa posição de intercessão o adora dizendo:”Senhor socorre-me!” Assim ela derrota o preconceito grego e seu orgulho nacionalista.
Quando nosso orgulho precisa ser quebrado por Jesus, o silêncio de Jesus confronta nosso desespero 2)A resposta de Jesus quebra o nosso preconceito.
3) A atitude de Jesus aplaca nossa dignidade. (v.26)
26 Então, ele, respondendo, disse: Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos.
Jesus estava agora tocando na dignidade humana daquela mulher. Aquela mulher foi ignorada, discriminada e, agora, ofendida pelo próprio Jesus!
Jesus desconsiderou aquela mulher como filha, e ainda por cima a chamou de cachorra, como um animal imundo.
Havia um ditado em Israel que dizia:”Não jogueis aos cães e aos porcos vossas pérolas”.
Então essa mulher, surpreendentemente responde: 27”Sim, Senhor, porém os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos.”
Ela se humilhou tanto que naquele momento, todo o seu orgulho deu seu ultimo suspiro de vida! Satanás teve um ataque cardíaco naquele momento!
Ela deixou bem claro que Jesus não era apenas seu Salvador, mas seu Dono e seu Senhor!
Naquele momento, Jesus focou aliviado e surpreendido por ouvir tamanha declaração de humildade! Ele havia conseguido levá-la ao ponto da libertação absoluta.
Aqui percebemos que Jesus não havia perdido a cabeça, mas todo esse processo fazia parte de um mapeamento espiritual preciso que produziu um das libertações mais espetaculares da Bíblia!
Quando nosso orgulho precisa ser quebrado por Jesus, o silêncio de Jesus confronta nosso desespero 2)A resposta de Jesus quebra o nosso preconceito.3)A atitude de Jesus aplaca nossa dignidade.
4) a humilhação de Jesus nos levanta do pó. (28)
Então, lhe disse Jesus: Ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se contigo como queres. E, desde aquele momento, sua filha ficou sã.”
Depois que essa mulher foi colocada no pó por Jesus , ele mesmo a levanta de maneira diferente, exaltando sua fé e decretando sua vitória na vida de sua filha.
Através da humilhação, uma prova de fogo, todas as cadeias demoníacas romperam-se, toda maldição se foi.
Fé tem tudo a ver com a capacidade de humilhação. Onde existe humildade, existe fé. Onde existe orgulho, muitas fortalezas demoníacas serão levantadas.
Mas , este é o tipo de sujeição que Deus espera de nós antes que combatamos os demônios . A verdade é que freqüentemente Deus está nos submetendo a provas como essa.
Quando cogitamos que Deus está sendo muito duro conosco, na verdade, nós é que estamos sendo muito duros com Ele; não nos humilhando ao ponto que ele quer de nós!
1 Pedro 5.6 : “Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte, “
Deus vai te exaltar, mas primeiro você tem que se submeter ao processo de humilhação, onde a soberba e o orgulho são totalmente quebrados
Conclusão
“Toda vez que uma pessoa é quebrantada por Deus, o ego perde o grande controle sobre a vida.” Quando não quebramos nosso orgulho, alguém terá que quebrá-lo.
A soberba e o orgulho nos barram de recebermos as bênçãos de Deus.
O texto lido no inicio, narra uma difícil situação familiar, a luta de uma mulher pela libertação de sua filha. A principio nos parece que Jesus estava sendo injusto com essa mulher, e que não queria libertar sua filha dos demônios que a tomavam. Mas, Jesus está agindo totalmente ao contrário do que imaginamos, pois está trazendo libertação a essa filha através do processo de humilhação. O orgulho dessa mãe foi quebrado, dando espaço para a humilhação.
O que acontece quando o nosso orgulho precisa ser quebrado por Jesus?
1) O silêncio de Jesus confronta nosso desespero 2)A resposta de Jesus quebra o nosso preconceito.3)A atitude de Jesus aplaca nossa dignidade.4) a humilhação de Jesus nos levanta do pó.
Então, lhe disse Jesus: Ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se contigo como queres. E, desde aquele momento, sua filha ficou sã.”
Baseado em Marcos de Souza Borges (Coty) “Avivamento do Odre Novo” Cura e libertação da família.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Aonde irei para que minhas necessidades sejam supridas?



“Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, faz da carne mortal o seu braço e aparta o seu coração do SENHOR! 6 Porque será como o arbusto solitário no deserto e não verá quando vier o bem; antes, morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável. 7 Bendito o homem que confia no SENHOR e cuja esperança é o SENHOR”(Jeremias 17:5-7)

Toda pessoa tem necessidades. Muitos de nós, porém, sentem-se culpados por tentar supri-las por meio de outras pessoas. Com muita freqüência, espera­mos que outros supram as necessidades que só Deus pode preencher. Então, ficamos decepcionadas quando não conseguem fazê-lo. Esperamos demais de outros quando deveríamos colocar nossas expe­ctativas em Deus.
É isso que Deus está nos falando através de Jeremias: O homem que confia no homem, não encontra a bênção de Deus, pelo contrário, tem sua força naquele que é mortal e limitado, esquecendo-se de recorrer a Deus, distanciando-se de Deus.
A luta por conseguir auxílio humano no final, não passa de um processo exausti­vo e sem sentido no qual ambas as partes saem perdendo. A culpa não é das pessoas; elas não podem nos dar as bênçãos que buscamos. Devemos aprender que as bênçãos das quais real­mente precisamos vêm somente de Deus. “Lança o teu cuidado sobre o SENHOR, e ele te susterá; nunca permitirá que o justo seja abalado.”Sl 55.22 É sobre o Senhor que devemos lançar nossas ansiedades, preocupações e deixar que ele cuide de nós.
Não seremos felizes até que façamos de Deus a fonte de nossa realização e a resposta a nossos anseios. Ele é o único que deve ter poder sobre nossa alma.
Precisamos colocar nossas expectativas sobre o Senhor e não sobre outras coisas ou pessoas. Sei que é mais fácil dizer do que fazer. As­sim, comecemos pela parte fácil. Vamos dizer a Deus: "Senhor, bus­co em ti tudo de que preciso em minha vida. Ajuda-me a colocar todas as minhas expectativas sobre ti". Sempre que você se decepcio­nar porque suas necessidades não estão sendo supridas, converse con­sigo mesmo e diga: "Somente em Deus, ó minha alma, espera silen­ciosa, porque dele vem a minha esperança" (Sl 62:5).
Então, conte para Deus todas as suas necessidades e tudo que está em seu coração. Não se preocupe. Ele não vai ficar surpreso ou chocado. Ele já sabe. Só quer ouvir você dizer.
Deus o abençoe muito!
Pr.Welinton Mehret

Vivos!

Vivos! O site da fé Cristã!

sábado, 12 de junho de 2010

A Triplice missão

A tríplice missão
Estamos organizados como Igreja Presbiteriana do Brasil em Nova Aurora há 44 anos . Vários desafios já foram enfrentados e vencidos com a graça de Deus. Mas, nossa missão não terminou, os desafios continuam. Vários desafios cercam a Igreja nestes dias marcados pela ansiedade coletiva, diluição dos paradigmas sociais e profunda solidão humana. Para enfrentá-los é preciso refletir, estudar e finalmente por a mão no arado. Sem olhar para trás. A primeira Missão da Igreja não é proclamar o evangelho, não é se expandir nem mesmo conquistar a mídia ou impactar a sociedade. A primeira Missão da Igreja é morrer. Perder os valores da carne e ser revestida com os valores de Deus. É se “desglorificar” para glorificar o seu Deus.
Quando perguntaram a George Müller sobre o segredo do seu ministério, a sua resposta imediata foi: “O segredo de George Müller é que George Müller morreu já há alguns anos atrás”. É preciso reafirmar em nossos dias o motivo da nossa existência: a glória de Jesus, Senhor da Igreja.
No capítulo 5 de Apocalipse nos é revelada o que chamo de “A Tríplice Missão”. A missão de Deus está centrada no verso 1. A missão de Cristo, do verso 5 ao 10 e a missão da Igreja do verso 11 ao 14.
1)A Missão de Deus é Reinar (Ap 5.1) “Vi, na mão direita daquele que estava sentado no trono, um livro escrito por dentro e por fora, de todo selado com sete selos.”
No primeiro verso Deus está sentado em um trono. Em sua mão direita segura o livro da História Humana, a história completa, pois está escrito por dentro e por fora. Isto quer dizer que os nossos caminhos, nossas micro-histórias e nossos anseios estão seguros pela mão direita de um Deus que Reina soberanamente. A História do Brasil e desta igreja está na poderosa e inabalável mão de Deus. E Ele está entronizado. Fica claro que na visão de João a missão de Deus e reinar.
Quando olhamos para a história de nossa Igreja nos últimos anos em nossa cidade e em nosso país houve sobressaltos e surpresas. Entretanto Deus jamais se surpreendeu por coisa alguma, jamais perdeu o controle, jamais deixou de ser o dono da história, senhor absoluto de cada detalhe da existência do universo.
2)A Missão de Cristo é pagar o preço (v9). " e entoavam novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação".
O centro do ministério de Cristo não foi sua encarnação nem sua ressurreição. O centro do seu ministério foi sua morte. Em suas últimas palavras Ele bradou: “Está consumado”. Literalmente a expressão grega possui significado mais denso. “Tetelestai” era o carimbo colocado sobre o documento de compra de um escravo quando todo o preço já havia sido pago. “Tetelestai” era o registro legalmente reconhecido de que está pago. O Escravo foi comprado e jamais alguém poderá cobrar novamente o seu preço. O que assegura-nos a vitória ? Baseado em quê estamos aqui reunidos falando de um Deus o qual não vemos face a face e de um Cristo que viveu encarnado entre nós 2.000 anos atrás? No verso 5 o texto nos diz que o Cordeiro está vivo. “Todavia, um dos anciãos me disse: Não chores; eis que o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, venceu para abrir o livro e os seus sete selos.”Tinha aparência de morto mas está “de pé”. Jesus está Vivo ! E é esta maravilhosa verdade que enche de sentido o Cristianismo e diferencia a falsa religiosidade da experiência de um encontro com Deus. E Cristo então, com o seu sangue, compra, no versículo 9, homens de “toda língua, tribo, povo e nação”. O africano distante, o indígena no meio da mata, o vizinho ao lado da rua. Jesus pagou, o preço por pessoas de todos os segmentos sociais humanos: língua, tribo, povo e nação.
3)A Missão da Igreja é Servir ao Cordeiro( v12). “ proclamando em grande voz: Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor.”
Há 7 elementos que o Cordeiro, Jesus, receberá. A pergunta é: quem os dará ? De quem Ele receberá ? Há aqui certamente 3 elementos teocráticos, que o Cordeiro receberá de Deus, e 4 elementos antropomórficos, que o Cordeiro deverá receber da Sua Igreja, cada um de nós. O primeiro é a riqueza e refere-se a nossa riqueza, nosso dinheiro, nosso ouro, prata e reais. Isto leva-nos a crer que o dinheiro dos santos tem como função prioritária servir ao Cordeiro Jesus. Como Ele deseja que eu use o meu dinheiro ? Esta deve ser uma pergunta levantada por cada um dos santos. O segundo elemento é a sabedoria e aponta para a nossa inteligência humana, capacidade mental de raciocinar e processar pensamentos. Isto significa que nossa inteligência não possui como finalidade maior fazer-nos passar no vestibular ou conseguir uma promoção no emprego, mas sim servir ao Cordeiro em tudo aquilo que for prioritário para o reino. O terceiro elemento é a força . Nossa energia física e nosso suor. Devemos usar nosso corpo e capacidade de trabalho físico sobretudo para servir ao Cordeiro Jesus. Nossa musculatura, saúde e suor devem estar a disposição de Cristo. O último elemento aqui registrado é o louvor. Não se refere necessariamente aos nossos cânticos e adoração litúrgica mas ao nosso louvor com palavras. Põe nossa atenção naquilo que falamos seja em casa, no trabalho ou ainda aquilo que murmuramos sem que ninguém ouça. Devemos colocar nossas palavras a serviço do Cordeiro. A Missão da Igreja é Servir ao Cordeiro com tudo aquilo que tem de melhor. É cumprir os seus desejos mais profundos. E o Cordeiro possui muitos desejos. Ele deseja ser conhecido aqui em Nova Aurora e por toda a terra. Que o Espírito Santo nos ajude a cumprir nossa missão.

Pr Welinton Mehret
Baseado em Ronaldo Lidório “A tríplice Missão”.