Pular para o conteúdo principal

Bíblia Viva

Bíblia na Linguagem de Hoje
Assunto: Qual a sua versão da Bíblia?
Ele se chama João. Usa um cabelo desalinhado, uma camiseta cheia de buracos e jeans. Na verdade, este foi, literalmente, seu guarda-roupa durante os quatro anos de faculdade. É um rapaz brilhante, profundo e muito inteligente; um filósofo, um pesquisador.
Do outro lado da rua do campus da universidade há uma igreja muito conservadora. Eles inclusive já tentaram desenvolver um ministério com estudantes, mas sem sucesso. Um dia, movido por curiosidade, João decide ir à igreja. Ele vai como sempre: jeans, camiseta furada e cabelo louco. O culto já havia começado e João começa descer o corredor central em busca de um lugar para sentar-se. A igreja está completamente lotada e ele não consegue achar uma cadeira. As pessoas já parecem um pouco desconfortáveis, mas ninguém diz coisa alguma. João vai chegando cada vez mais perto do púlpito e ao perceber que não há mesmo nenhum lugar, ele se senta no carpete em frente e prepara-se para ouvir a mensagem. Neste momento as pessoas já estão realmente irritadas. A tensão é grande. O ambiente ficou pesado. Ninguém sabe como agir ou falta iniciativa para fazer algo. Felizmente, o pastor percebe que um diácono está vindo desde o fundo da igreja. O homem tem uns 80 anos, cabelo branco prateado e veste um terno completo. Ele é um cristão realmente piedoso, elegante, digno e muito educado. Ele caminha equilibrando-se com ajuda de uma bengala, e enquanto caminha, todos pensam para si mesmos que ninguém, afinal, pode culpar o velho por aquilo que ele vai fazer. Como esperar que um homem desta idade e desse background compreenda um jovem universitário sentado no chão diante do púlpito?
O velho leva um tempo quase interminável para alcançar a frente do templo. Todos prendem a respiração. A igreja está em silêncio absoluto, quebrado apenas pelas pequenas batidas metálicas da bengala.Todos os olhos estão fitos no velho. O silencio é fúnebre. O pastor levantou-se, mas não começou o sermão esperando até que o diácono fizesse o que ele teria que fazer. E assim, todos vêem quando o velho homem deixa cair sua bengala no chão, e com grande dificuldade, se abaixa e se senta perto de João para que ele não estivesse sozinho no culto. Todos se emocionam. Lágrimas aparecem nos olhos de muitos. Quando o pastor consegue se controlar, ele diz: "O que eu vou pregar agora, vocês nunca lembrarão. Mas o que acabaram de ver, isto vocês jamais esquecerão".Preste atenção como você vive. Você pode ser a única Bíblia na Linguagem de Hoje que as pessoas terão oportunidade de ler.

(traduzido e adaptado de um texto recebido pela internet) Postado no site do Instituto Haggai / Dezembro 2009

"Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros." - João 13: 35
Que Deus nos dê, sempre, muita sabedoria e amor no lidar com os outros!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trazendo a Arca da Aliança

Como trarei a mim a arca de Deus? Leonard Ravenhill(1907-1994) foi um escritor e evangelista cristão britânico que focalizava em assuntos como oração e avivamento. É mais conhecido por desafiar a igreja moderna e seu mais notável livro é “Por Que Tarda o Pleno Avivamento?” Através de seu ensino e de seus livros, Ravenhill abordou as disparidades que ele percebia entre a Igreja do Novo Testamento e a Igreja moderna e apelou para a adesão aos princípios do avivamento bíblico, transcrevo um dos capítulos do Livro “Por Que Tarda O Pleno Avivamento: “Na igreja moderna, a reunião de oração é uma espécie de Cinderela. Essa serva do Senhor é desprezada e desdenhada porque não se adorna com as pérolas do intelectualismo, nem se veste com as sedas da Filosofia; nem se acha ataviada com o diadema da Psicologia. Mas se apresenta com a roupagem simples da sinceridade e da humildade, e por isso não tem receio de se ajoelhar. O “mal” da oração é que ela não se acha necessariamente associada a grandes f…

Resgatando os valores perdidos no lar

Lucas 15.8-10
8 Ou qual é a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma, não acende a candeia, varre a casa e a procura diligentemente até encontrá-la?
9 E, tendo-a achado, reúne as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque achei a dracma que eu tinha perdido.10 Eu vos afirmo que, de igual modo, há júbilo diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.
A parábola (ilustração) da dracma perdida faz parte do conjunto de parábolas que Jesus contou em Lucas 15 para ilustrar o amor de Deus pelos pecadores, a parábola da ovelha perdida, do dracma perdida e do filho pródigo. Nas três parábolas, Deus busca o que estava perdido, encontra o que estava perdido e celebra com grande alegria a recuperação do que estava perdido. Uma Dracma era uma moeda. Observa-se que a mulher descrita é uma camponesa pobre, e as dez moedas de prata, "provavelmente representam a poupança da família." [2] As moedas também poderião ser o dote da mulher, vestida como um ornamento, como u…

Mantendo o fogo de Deus aceso.

1 Samuel 3.1-4
3.1 O jovem Samuel servia ao SENHOR, perante Eli. Naqueles dias, a palavra do SENHOR era mui rara; as visões não eram freqüentes.
2 Certo dia, estando deitado no lugar costumado o sacerdote Eli, cujos olhos já começavam a escurecer-se, a ponto de não poder ver,
3 e tendo-se deitado também Samuel, no templo do SENHOR, em que estava a arca, antes que a lâmpada de Deus se apagasse, 4 o SENHOR chamou o menino: Samuel, Samuel! Este respondeu: Eis-me aqui!
Existia no tabernáculo, onde se adorava a Deus, um candelabro , com sete lâmpadas que deveriam sempre estar acessas. E também havia o altar de holocaustos, onde o fogo não poderia se apagar.
· Ex 27.20“Ordenarás aos filhos de Israel que te tragam azeite puro de oliveiras, batido, para o candeeiro, para manter uma lâmpada acesa continuamente” (Êxodo 27:20). –falando do candelabro
· Lv6 .12 e 13:“O fogo que está sobre o altar arderá nele, não se apagará; mas o sacerdote acenderá lenha nele cada manhã, e sobre ele porá em ordem o h…