Pesquisar este blog

domingo, 7 de junho de 2009


A paz que o Senhor Jesus oferece
Jo 14.27
Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.
O mundo busca uma paz, há passeatas pela paz, esportes pela paz, documentos pela paz. Mas o que esse mundo em sua maioria não percebeu ainda, que a Bíblia é um livro de paz.
No salmo 119.165 há uma palavra de Paz :”Grande Paz tem os que ama a tua lei; para eles não há tropeço”, revelando que a paz está atrelada ao amor a lei do SENHOR.
No versículo que lemos, Jesus está com seus discípulos dando as ultimas palavras antes da sua oração sacerdotal ,antes de ser preso e ser levado à Cruz.
Ele está falando:“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou” . Mas ele fala de uma paz que é maior e diferente da paz que o mundo prega e espera pois diz: “ não vo-la dou como a dá o mundo. “
Que Paz é essa diferente da paz que o mundo espera?
De que tipo de Paz o Senhor Jesus está falando?
Você já Experimentou essa paz?
Que paz é essa que o Senhor Jesus oferece?
1)O Senhor Jesus oferece paz com Deus.
Rm 5.1: 1 “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo;”
A paz com Deus é algo muitíssimo precioso. O custo dela foi pago por Jesus Cristo. É exatamente sobre isto que o apóstolo Paulo escreveu no versículo lido. Nossa fé em Jesus nos habilita a desfrutarmos do que Ele pagou por nós e o resultado disso é a paz com Deus.
E o que, exatamente, Jesus pagou? Em Isaías 53.5, temos a resposta: Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniqüidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados.
Para você ter paz com Deus é preciso compreender que um preço foi pago por Jesus. O preço da sua dívida, da dívida de pecados que você tinha contra Deus. Observe o que o apóstolo Paulo escreveu sobre a paz que custou o sangue de Jesus em Colossences 1.20: “e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus.”
É importante compreender que o sacrifício de Jesus Cristo no Calvário não foi um acidente. Foi necessário para que nos fosse possível ter paz com Deus. Sem aquele sacrifício não haveria nenhuma possibilidade de recebermos esta paz.
Para ter paz com Deus é preciso reconhecer seus pecados. Há dois textos em Isaías que nos ajudam a entender que os pecados impedem a pessoa de ter paz com Deus.
· Isaías 59.2 “Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.”
· Isaías 64.6: “Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo da imundícia; todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades, como um vento, nos arrebatam.” Uma pessoa salva é alguém que compreende sua condição enquanto pecadora, que se arrepende dos seus pecados e que entende que Jesus morreu com um propósito. A fé em Jesus é garantia de perdão e paz.
Esta paz que Jesus nos dá, o mundo não tem e não conhece. O mundo que, de acordo com Tiago 4.4, se mantém em inimizade contra Deus. Este mundo tem suas “cápsulas de paz”. Você sabia que os remédios mais vendidos nas farmácias do Brasil hoje são tranqüilizantes? Quem são as pessoas que tomam toneladas de tranqüilizantes todos os dias no mundo? Há outros tipos de “cápsulas” de paz: ideologias políticas, filosofias, futilidades diversas e até religiões. Porém, basta observar um pouquinho mais atentamente e perceber que o mundo não tem paz. Basta ligar a televisão e assistir um noticiário.
2) O Senhor Jesus oferece paz com o próximo. Ef 2. 13-18
“13 Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo. 14 Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, 15 aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz, 16 e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade. 17 E, vindo, evangelizou paz a vós outros que estáveis longe e paz também aos que estavam perto; 18 porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito.”
Se você tem paz com Deus, deve também ter paz com seu próximo.
Todos os que têm paz com Deus formam uma grande família. Este era o tema abordado por Paulo em Efésios 2. Agora, não importa de que etnia você é, se é judeu de nascimento ou se é de outra nacionalidade.
Os homens sem Deus constroem muros de separação social, moral e política.
Quando Filipe contou a Natanael que encontrará o Messias e que este era de Nazaré, Natanael demonstrou todo o seu preconceito dizendo: “pode vir alguma coisa boa de lá?” Perguntou-lhe Natanael: De Nazaré pode sair alguma coisa boa? Respondeu-lhe Filipe: Vem e vê. (Jo 1.46). Natanael não nutria simpatia pelos habitantes de Nazaré. Outro exemplo de “muro” é relatado em João 4, na história da mulher samaritana que foi surpreendida com a iniciativa de Jesus, sendo judeu, conversar com ela (mulher Samaritana) “por que os judeus não se dão com os Samaritanos” , e pedir-lhe água (Jo 4.9).
Note que em Efésios 2.14, o apóstolo Paulo afirma que não há mais muros ou barreiras que nos separem dos nossos irmãos em Cristo. Os filhos da paz formam a família de Deus (Ef. 2.19). Como irmãos em Cristo, temos o mandamento de viver em paz uns com os outros (I Ts 5.13 b)” Vivei em paz uns com os outros.”.
Para viver em paz com o próximo é preciso amar intensamente e, por vezes, perdoar. Sobre isto o apóstolo Pedro advertiu: Sobretudo, amem-se sinceramente uns aos outros, porque o amor perdoa muitíssimos pecados. (I Pe 4.8).
Uma das razões para que Deus nos desse um mandamento como este é esta: saúde. Sim, a medicina comprova que mágoa, ressentimento, ódio e ansiedade são sentimentos por demais nocivos para a saúde de uma pessoa. Portanto, aproveite este momento para abrir seu coração diante do Senhor e limpar sua alma de todo sentimento nocivo que porventura tenha sido nutrido. Hoje é dia de você estabelecer paz nos seus relacionamentos.
3) O Senhor Jesus oferece o ministério da paz.
II Co 5.18-20: Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, 19 a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da reconciliação. 20 De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus.
O versículo lido resume tanto a Obra de Jesus Cristo, enviado por Deus Pai com a finalidade de estabelecer a PAZ conosco. Ou seja, havia uma inimizade entre nós e Deus. Através de Jesus Cristo, nos reconciliamos. Tudo foi planejado e executado por Deus para que nos reconciliássemos com Ele. Há ainda um detalhe muito importante: todos que já temos paz com Deus recebemos dele um ministério.
Você sabe o que é um ministro? “Aquele que executa os desígnios de outrem” ou “um intermediário”. Ou seja, Deus nos legou uma incumbência, de representá-lo no trabalho de anunciar às pessoas a intenção dele de dar PAZ. Assim, cabe a cada um de nós, filhos da paz, ajudarmos Deus nesta busca pelas pessoas que ainda estão longe dele.
Observe o verso seguinte, II Co 5.19: Ou seja, que Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não levando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação. Está muito claro aqui nas palavras do apóstolo Paulo que Deus nos deu um “sermão” que devemos pregar para todas as pessoas:
1º. Que o propósito de Jesus ter vindo ao mundo foi o de “reconciliar” Deus com os homens (fazê-los amigos, estabelecer paz entre ambos);
2º. Que Deus já providenciou uma maneira de os pecados não serem mais obstáculos a esta reconciliação (Jesus morreu pelos nossos pecados!);
3º. Nossa parte é entregar o “recado” de Deus às pessoas. Cada um é livre para decidir o que fará.
Portanto, vemos assim um esboço da mensagem do Evangelho, das boas notícias que Deus quer que todas as pessoas saibam. No verso 20 de II Co 5, Paulo ainda acrescenta que Deus nos fez “embaixadores de Cristo”. Você sabe que um embaixador é alguém que representa seu governo num país estrangeiro. Quer dizer que hoje você é um “representante legal” de Deus, do Céu, aqui na Terra, às pessoas que Ele quer salvar.
Em II Co 5.20, Paulo assevera que através de nós, Deus “faz um apelo” às pessoas, uma súplica: “reconciliem-se com Deus!”.
A Bíblia contém exemplos de pessoas que exerceram este papel, de auxiliar outros a se achegarem a Deus. André foi quem levou Simão Pedro até Jesus (Jo 1.40-41). Filipe apresentou Natanael ao Messias (Jo 1.45). A samaritana levou o povo de sua cidade a Jesus (Jo 4.28-29 e 39).
Este é o nosso papel, ajudar as pessoas a aproveitarem a oportunidade de se reconciliar com Deus. Em II Co 6.1, Paulo diz que nosso papel de “cooperadores de Deus” nos leva a insistir a que as pessoas não desperdicem a graça ou a oportunidade que Deus lhes dá.
Infelizmente há pessoas que deixam de aproveitar a oportunidade. Houve um rei chamado Agripa, cuja esposa se chamava Berenice. O apóstolo Paulo pessoalmente pregou a mensagem da reconciliação a eles, estando preso na cidade de Cesaréia, na Palestina. Ao final da mensagem, a reação de Agripa foi de dizer: “Paulo, você quase me convenceu a me tornar um Cristão” (At 26.28).
Conclusão
Embora o mundo esteja ansioso por paz, só existe uma paz verdadeira, a Paz do Senhor Jesus. Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo.
A paz de Jesus é diferente da paz do mundo.
Que paz é essa que o Senhor Jesus oferece?
1)O Senhor Jesus oferece paz com Deus.
2) O Senhor Jesus oferece paz com o próximo.
3)O Senhor Jesus oferece o ministério da paz.
A Paz que o Senhor Jesus oferece é a reconciliação com Deus, com o próximo, e é um ministério.
Que Deus nos abençoe !


Nenhum comentário:

Postar um comentário