Pesquisar este blog

sábado, 25 de abril de 2009

Nas asas da águia
Êxodo -19.4 Tendes visto o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre asas de águia e vos cheguei a mim.
Dt 32.9-12
9 Porque a porção do SENHOR é o seu povo; Jacó é a parte da sua herança. 10 Achou-o numa terra deserta e num ermo solitário povoado de uivos; rodeou-o e cuidou dele, guardou-o como a
menina dos olhos. 11 Como a águia desperta a sua ninhada e voeja sobre os seus filhotes, estende as asas e, tomando-os, os leva sobre elas, 12 assim, só o SENHOR o guiou, e não havia com ele deus estranho.”
Nós não temos muito contato com as águias de perto, só em fotos e filmes. Não entendemos muito sobre águias, sabemos que é uma grande ave. E quando a bíblia fala “como a águia”, isto não nos chama muito atenção. Mas, para Moisés e Israel as águias eram comuns, e ilustrar a vida deles com a águia era algo que se podia compreender.
Para entendermos um pouco mais estes versículos vamos ver algumas coisas:
“Os filhotes da águia são quem voam em suas asas. Na hora em que precisam aprender a voar, a mãe águia os tira do ninho com sua asa e os leva para um passeio; lá pelo meio do passeio ela sacode a asa e joga o filhotinho para o alto, que no susto, no desespero, começa a bater suas asas, e é assim que aprende a voar. Geralmente o filhotinho não consegue voar no primeiro susto e despenca em direção ao solo; nestas ocasiões a águia mãe, dá um vôo rasante e vai buscá-lo; leva-o de volta ao ninho e tempos depois vai repetir o processo até que ele aprenda voar. Este vôo nas asas da águia não é panorâmico, é um momento quando a maturidade é imposta.”
Logo ao referir-se a Deus levando o seu povo nas asas da águia, Moisés, não falava de um passeio, mas de um tempo onde o SENHOR estava exigindo deles maturidade.
O primeiro texto lido trata-se de quando Israel é tirado do Egito, por Deus, e o Senhor Deus está falando com Moisés no monte Sinai, onde daria a Israel os dez mandamentos, e o Senhor chama atenção para como os havia tirado do Egito e os havia trazido para o deserto, como estivessem carregados nas asas da águia. E, irmãos, durante quarenta anos, eles estariam nessa condição do cuidado de Deus, em sustentá-los no meio do deserto.
O segundo texto que lemos, é parte do cântico de Moisés, que ele cantou antes de morrer, foi seu ultimo cântico e foi proferido no limite da terra prometida. Israel havia chegado bem próximo de Canaã, porém ainda não havia entrado na terra, e Moisés não chegou a entrar na terra apenas a avistou de longe. E numa retrospectiva, ele olha para trás e vê a forma que Deus os havia conduzido desde que deixaram o Egito, e a forma que isto é ilustrado e no cuidado que a águia tem com os seus filhotes, mas agora Israel teria que enfrentar um novo momento, aonde Deus, como a águia, iria sacudir as suas asas e Israel teria que aprender a voar. Ou seja, Israel entraria em Canaã, e em Canaã, não teriam o mesmo cuidado que Deus lhes havia dado no deserto. A partir de Josué, substituto de Moisés, Deus iria cuidar de forma diferente de Israel, teriam que enfrentar a realidade de formas diferentes. Até então Deus tinha feito tudo pelo povo, mas agora eles haviam chegado a um ponto onde teriam que crescer. Querendo ou não, teriam mesmo que crescer.
Deus agiu assim com Israel e age assim conosco. Esta é uma crise pela qual cada cristão passa, sem distinção. Esta não é uma hora agradável, ninguém gosta de deixar o ninho.
As vezes, não entendemos o que está se passando nas nossas vidas. Dificuldades, em vez de diminuir, aumentam. Passamos por coisas que nunca gostaríamos de ter passado. A verdade é que muitos cristãos não chegam a entender isso nunca. Culpam a Deus, achando que Ele os rejeitou e acabam não crescendo nunca. Acabam não voando em sua vida de fé, e comunhão com Deus.
Mas, essa crise de aparente abandono e rejeição é inevitável, é parte integrante da vida Cristã, se ainda não aconteceu com você, vai acontecer, é apenas uma questão de tempo. É o amor de Deus nos forçando a amadurecer.
Por isso é importante entendermos, o que é estar nas asas da águia.
O que significa estar nas asas da águia?
1-Significa o tempo de deixar a meninice.
1 Co 13.v11 nos diz: ”Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino.”
Precisamos crescer ! Quando somos lançados para cima, no meio das provações, é que chega esse crescimento. Porém, sabemos que enquanto estamos crescendo, tentando voar com as próprias asas, Deus está nos observando, pronto a nos socorrer.
Mas, ninguém deve rejeitar o seu próprio crescimento, ou amadurecimento. A bíblia fala do crescimento e espiritual o comparando ao crescimento físico. O apóstolo Paulo mostra em seu exemplo, que quando somos crianças nos comportamos como tal, e as outras pessoas também nos tratam assim; mas ao crescermos, não somente temos que deixar de agir como crianças, mas as pessoas a nossas volta, e em especial os pais, também que deixar de nos tratar como crianças.
Quem se converteu a pouco tempo, nem sempre será novo convertido, terá que crescer, amadurecer. E a medida da permissão de Deus, e que estamos, talvez, nos sentindo sozinhos, que na verdade não estamos, é que vamos aprendendo e crescendo. E não podemos rejeitar esse aprendizado e esse crescimento.
O que significa estar nas asas da águia?
2-Significa um processo de mudanças significativas.
Basicamente, a diferença no agir de Deus para com os Israelitas, entre a fase de voarem nas asas da águia, e a fase do amadurecimento forçado ao entrarem em Canaã, são três:
· Provisão especial – O maná diário, as codornizes, a água da rocha, as vestes e calçados que não se envelheciam.
· Direção especial – O Senhor adiante deles numa coluna de nuvem de dia, e de fogo à noite.
· Proteção excelente . O livramento da primeira guerra no caminho, e a vitória na primeira guerra que enfrentaram.
Há um tempo em nossas vidas em que ocorrem as seguintes mudanças:
1ª Mudança: O maná se finda para dar lugar ao produto da terra.
Ex 16.35. E comeram os filhos de Israel maná quarenta anos, até que entraram em terra habitada; comeram maná até que chegaram aos limites da terra de Canaã.
Durante quarenta anos foram sustentados desta forma milagrosa pelo Senhor, mas ao entrarem em Canaã e comerem do fruto da terra cessou o alimento especial.
Josué 5.12- No dia imediato, depois que comeram do produto da terra, cessou o maná, e não o tiveram mais os filhos de Israel; mas, naquele ano, comeram das novidades da terra de Canaã.
A aplicação disto, é que no começo da nossa caminhada de fé, Deus nos alimenta (com o alimento da palavra) de uma forma especial, até nas genealogias temos a experiência de ouvir a voz de Deus (isto é o maná, é a provisão especial). Mas chega a hora de começar a estudar e meditar de fato na Bíblia, é hora de nos aprofundarmos no conhecimento e buscarmos as antigas “novidades” de Deus para nós.
Também, há um tempo em nossas vidas, em que ocorre uma segunda mudança:
2ª Mudança: A coluna de nuvem e a de fogo cessam, para dar lugar a fé:
Êxodo 13. Vers. 21 e 22 nos contam o seguinte:
21 O SENHOR ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para os alumiar, a fim de que caminhassem de dia e de noite. 22 Nunca se apartou do povo a coluna de nuvem durante o dia, nem a coluna de fogo durante a noite.
Mas, quando chegaram em Canaã, tudo mudou. Nem sequer ouvimos falar mais da coluna de nuvem e de fogo. Quando Deus dá instruções a Josué para atravessarem o Jordão, ele diz que o povo deveria seguir a arca carregada pelos sacerdotes. Eles deveriam com fé, acreditar na palavra de Deus, pois a manifestação do poder de Deus, agora dependia disso.
Vejamos Josué capitulo 3.vers. 1 ao 4:
Levantou-se, pois, Josué de madrugada, e, tendo ele e todos os filhos de Israel partido de Sitim, vieram até ao Jordão e pousaram ali antes que passassem. 2 Sucedeu, ao fim de três dias, que os oficiais passaram pelo meio do arraial 3 e ordenaram ao povo, dizendo: Quando virdes a arca da Aliança do SENHOR, vosso Deus, e que os levitas sacerdotes a levam, partireis vós também do vosso lugar e a seguireis. 4 Contudo, haja a distância de cerca de dois mil côvados entre vós e ela. Não vos chegueis a ela, para que conheçais o caminho pelo qual haveis de ir, visto que, por tal caminho, nunca passastes antes.
No início de nossa caminhada cristã, muitos de nós passamos por experiências tremendas, onde vemos sobrenaturalmente Deus dirigindo as nossas vidas, até mesmo, sonhos, visões e palavras proféticas acontecem. Mas chega o momento que nossas ações serão dirigidas simplesmente por acreditar naquilo que Deus disse na sua palavra.
É o momento que aprendemos voar.
Também, há um tempo em nossas vidas, em que ocorre uma terceira mudança:
3ª Mudança: A proteção excelente é substituída pela batalha para conquista.
É um tempo, que temos que aprender a guerrear no mundo espiritual.
Quando Israel saiu do Egito, Deus os livrou de ver a guerra, conforme Êxodo 13. 17-18:
17 Tendo Faraó deixado ir o povo, Deus não o levou pelo caminho da terra dos filisteus, posto que mais perto, pois disse: Para que, porventura, o povo não se arrependa, vendo a guerra, e torne ao Egito. 18 Porém Deus fez o povo rodear pelo caminho do deserto perto do mar Vermelho; e, arregimentados, subiram os filhos de Israel do Egito.
Pela intercessão de Moisés, Deus deu vitória a Israel, contra Amaleque. Conforme Ex 17.8-13:
8 Então, veio Amaleque e pelejou contra Israel em Refidim. 9 Com isso, ordenou Moisés a Josué: Escolhe-nos homens, e sai, e peleja contra Amaleque; amanhã, estarei eu no cimo do outeiro, e o bordão de Deus estará na minha mão. 10 Fez Josué como Moisés lhe dissera e pelejou contra Amaleque; Moisés, porém, Arão e Hur subiram ao cimo do outeiro.11 Quando Moisés levantava a mão, Israel prevalecia; quando, porém, ele abaixava a mão, prevalecia Amaleque. 12 Ora, as mãos de Moisés eram pesadas; por isso, tomaram uma pedra e a puseram por baixo dele, e ele nela se assentou; Arão e Hur sustentavam-lhe as mãos, um, de um lado, e o outro, do outro; assim lhe ficaram as mãos firmes até ao pôr-do-sol. 13 E Josué desbaratou a Amaleque e a seu povo a fio de espada.
A primeira batalha Israel desbaratou Amaleque, Deus os estava abençoando através as mãos de Moisés. Quando saíram do Egito Deus os livrou de passar pela guerra. Mas agora havia chegado a vez de Israel entrar em Canaã e conquistar a terra da promessa, e para isso teriam que guerrear.
Teriam que cercar Jericó, e derrubar suas muralhas com o toque das trombetas. Teriam que conquistar Ai, e perderam a primeira batalha devido ao pecado de Acã, mas depois da santificação conquistaram Ai, e a partir daí, para conquistar e defender a terra, a vida de Israel foi marcada por momentos de guerra e de vitória.
Isso nos mostra que a batalha espiritual é um fato, não uma fantasia; vemos essa realidade nas Escrituras e no dia a dia.
Efésios 6.10-13, nos mostra uma grande realidade:
10 Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder. 11 Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; 12 porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. 13 Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis.

Assim como o Senhor poupou a seu povo no início de sua caminhada, também nós somos poupados até que tenhamos maturidade suficiente para entrar em batalha. Entendo por minha experiência que há um tempo em nossas vidas que não enfrentamos batalhas tão grandes e até, somos poupados de ver a guerra, pois não estamos preparados para enfrentar as ações do inimigo; mas, depois de estarmos mais consolidados o Senhor nos ordenará que batalhemos contra o inimigo.
Porém, não devemos desanimar nas horas de guerra, mas saber que é um sinal de que estamos no limite para entrarmos na terra prometida. A terra prometida é o período de plenitude, avivamento e onde seremos usados por Deus.
Conclusão.
Embora às vezes pareça que Deus age de maneira incerta ou imprevisível, sabemos que ele na verdade sabe o que faz. Ele está nos levando a maturidade.
Como no caso da águia a “mãe águia tira seus filhotes do ninho com sua asa e os leva para um passeio; lá pelo meio do passeio ela sacode a asa e joga o filhotinho para o alto, que no susto, no desespero, começa a bater suas asas, e é assim que aprende a voar”, nosso Deus está muitas vezes nos forçando ao amadurecimento.
As vezes, não entendemos o que está se passando nas nossas vidas. Dificuldades, em vez de diminuir, aumentam; passamos por coisas que nunca gostaríamos de ter passado. Essa águia simboliza Deus, que com seu amor está nos forçando a amadurecer.
Estamos assim : Nas asas da águia.
O que significa estar nas asas da águia?
1-Significa o tempo de deixar a meninice.
2-Significa um processo de mudanças significativas
.
Há um tempo em nossas vidas em que ocorrem as seguintes mudanças:
1ª Mudança: O maná se finda para dar lugar ao produto da terra.
Hora de começar a estudar e meditar de fato na Bíblia, é hora de nos aprofundarmos no conhecimento
2ª Mudança: A coluna de nuvem e a de fogo cessam, para dar lugar a fé:
3ª Mudança: A proteção excelente é substituída pela batalha para conquista.
Se você está sendo forçado a amadurecer, a guerrear, é porque está chegando o tempo da sua herança, o tempo de receber todas as promessas de Deus para sua vida. É hora de bater as asas e voar como águia.

Welinton Mehret
Baseado no livro “O agir invisível de Deus”, de Luciano Subirá.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Pessoas a quem Deus procura

Os meus olhos procurarão...
Sl 101.6-7
6 Os meus olhos procurarão os fiéis da terra, para que habitem comigo; o que anda em reto caminho, esse me servirá. 7 Não há de ficar em minha casa o que usa de fraude; o que profere mentiras não permanecerá ante os meus olhos.

Você é um procurado?
A Palavra de Deus refere-se em pelo menos três textos acerca de pessoas a quem Deus procura. São as pessoas com quem Deus se propõe a ter comunhão e a usar poderosamente na sua obra.
O Sl 101, revela as palavras de Deus na vida de Davi, Davi expressa a sede de Justiça que Deus tem. E os Vrs 6 e 7, revelam a pessoa que Deus está procurando vr 6:” 6 Os meus olhos procurarão os fiéis da terra”, Deus procura pessoas fiéis. O interessante é vermos que Deus não está desinteressado em ter amizade com o homem, ele procura pessoas para o servirem, pessoas para serem seus amigos.
Veja o exemplo de Moisés
Ex 33 7-12:
7 Ora, Moisés costumava tomar a tenda e armá-la para si, fora, bem longe do arraial; e lhe chamava a tenda da congregação. Todo aquele que buscava ao SENHOR saía à tenda da congregação, que estava fora do arraial. 8 Quando Moisés saía para a tenda, fora, todo o povo se erguia, cada um em pé à porta da sua tenda, e olhavam pelas costas, até entrar ele na tenda. 9 Uma vez dentro Moisés da tenda, descia a coluna de nuvem e punha-se à porta da tenda; e o SENHOR falava com Moisés. 10 Todo o povo via a coluna de nuvem que se detinha à porta da tenda; todo o povo se levantava, e cada um, à porta da sua tenda, adorava ao SENHOR. 11 Falava o SENHOR a Moisés face a face, como qualquer fala a seu amigo; então, voltava Moisés para o arraial, porém o moço Josué, seu servidor, filho de Num, não se apartava da tenda".
Como era o relacionamento de Deus com Moisés? O versículo 11nos diz : “seu amigo” ;“como qualquer fala a seu amigo”
Deus veio ao encontro de Moisés, quando este pastoreava o rebanho de Jetro, seu sogro, e o chamou para si.
Êxodo 3 - 1 Apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote de Midiã; e, levando o rebanho para o lado ocidental do deserto, chegou ao monte de Deus, a Horebe. 2 Apareceu-lhe o Anjo do SENHOR numa chama de fogo, no meio de uma sarça; Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo e a sarça não se consumia. 3 Então, disse consigo mesmo: Irei para lá e verei essa grande maravilha; por que a sarça não se queima? 4 Vendo o SENHOR que ele se voltava para ver, Deus, do meio da sarça, o chamou e disse: Moisés! Moisés! Ele respondeu: Eis-me aqui! 5 Deus continuou: Não te chegues para cá; tira as sandálias dos pés, porque o lugar em que estás é terra santa.
Deus veio procurar Moisés, pois via nele um coração disposto a servi-lo, e os dois se tornaram grandes amigos.
A verdade, é que Deus está á procura de pessoas. Mas, quem são as pessoas a quem Deus procura?

1) Deus procura os fiéis:
“Os meus olhos procurarão os fiéis da terra, para que habitem comigo; o que anda em reto caminho, esse me servirá.” Sl 101.6

O que é ser fiel?
É quando não quebramos alianças estabelecidas.
Deus procura o marido que é fiel a sua esposa;
Deus procura a esposa que é fiel ao seu marido;
Deus procura jovens e adolescentes que são fiéis ao mandamento de honrar o seu pai e sua mãe.
Deus procura o empregado que não defrauda o seu patrão; e o patrão que não explora seu empregado.
Deus procura pessoas fiéis.

Mas, temos uma aliança com o Pai Celeste. O sacrifício de Jesus é a aliança, o elo, estabelecido entre nós e o Pai. Deus é fiel em sua parte na aliança, e nós somos fiéis?

Qual é a parte de Deus e qual é a nossa parte?
Parte de Deus:
Jr 32.40
Farei com eles aliança eterna, segundo a qual não deixarei de lhes fazer o bem; e porei o meu temor no seu coração, para que nunca se apartem de mim.

Nossa parte:
Dt 10.12
Agora, pois, ó Israel, que é que o SENHOR requer de ti? Não é que temas o SENHOR, teu Deus, e andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração e de toda a tua alma,

Essa é a nossa parte, e Deus está em procura de pessoas fiéios a aliança.
Deus procura os fiéis

2) Deus procura intercessores:
Em Ezequiel 22:30:
“Busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brecha perante mim, a favor desta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei.”
Nosso Deus está em busca de pessoas que se disponham a interceder (orar com fervor) pelos países, nações, igrejas e cidades.
Intercessão é a chave que move ou retém a mão de Deus.O apóstolo Paulo declarou que interceder é uma prática que deve ocupar o primeiro lugar em importância na vida da igreja. Ele falou: “Antes de tudo,pois,exorto que se use a prática de suplicas,orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens”
Antes de tudo –
1o Lugar , em tudo que formos realizar devemos primeiramente buscar a Deus em oração.
Não há registro de Jesus ter ensinado os seus discípulos a pregar ou a adorar... mas ensinou-os a orar.

Interceder significa literalmente “mediar”, significa fazer mediação.Interceder é você se colocar no lugar do outro e pleitear, defender, a causa dele.O intercessor levanta as mãos para Deus e coloca-se a pedir, a sentir a necessidade espiritual de outra pessoa, colocando-a diante do SENHOR. Portanto, o intercessor é alguém que, com humildade, mas com ousadia, “compra causa do outro com Deus”, por assim dizer, em favor de seu semelhante.E aí é que entra a necessidade do intercessor... a necessidade de alguém que se apresente diante do Senhor para fazer com que venha mais graça do que juízo sobre a pessoa pecadora. A mão de Deus pesa sobre o pecador, mas ela pode também ser estendida para abençoar o pecador... Portanto, o ministério do Intercessor é precisamente fazer isto: que a mão de Deus venha sobre o pecador para o abençoar.Se não houver o intercessor, então o que ocorre é que o pecador fica só e debaixo do juízo de Deus.
3)Deus procura adoradores verdadeiros

Jo 4.23 e 24
23 Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. 24 Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.
A falsa adoração é denunciada, por exemplo, pelo profeta Isaías (Is 1:10) e pelo profeta Malaquias (Ml 1:10); a falsa adoração é quando se oferece a Deus um culto com lindas palavras, mas não se vive o que é proclamado:
· Quando dizemos que amamos a Deus, mas na verdade não fazemos nada que o agrade, ou até fazemos o contrário do que sabemos que é o certo
· Quando dizemos que amamos a Deus e odiamos ao próximo.
· Tiago 4.20: 4 - 20 Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.
· A falsa adoração é aquela expressa para homens, mas para Deus não tem valor, é mera religião.
Em João 4:23, Jesus declara que Deus busca por pessoas que O adorem de verdade: Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Os adoradores a quem Deus procura são pessoas que têm suas vidas consagradas e submissas a Ele.

Conclusão
Você é um procurado?
Sl 101.6 “Os meus olhos procurarão os fiéis da terra”, Deus procura pessoas fiéis. O interessante é vermos que Deus não está desinteressado em ter amizade com o homem, ele procura pessoas para o servirem, pessoas para serem seus amigos.
Deus veio procurar Moisés, pois via nele um coração disposto a servi-lo, e os dois se tornaram grandes amigos.
A verdade, é que Deus está à procura de pessoas. Mas, quem são as pessoas a quem Deus procura?
PESSOAS A QUEM DEUS PROCURA
Deus procura os fiéis
Deus procura intercessores:
Deus procura adoradores verdadeiros
Será que em você Deus tem satisfeito a Sua procura?
Que o Deus de misericórdia encontre no nosso meio: servos fiéis, intercessores e adoradores verdadeiros,e assim, grandes amigos.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

O 1ª Corintios 13 da oração
Se eu pregar sermões sobre oração e der aulas sobre oração, mas não interceder, serei como bronze que soa ou como o címbalo que retine. Se eu cantar hinos sobre oração, e corinhos sobre oração; se eu organizar multidões de reuniões de oração e pedir que as pessoas orem; se eu mesmo ler livros sobre oração e assistir seminários sobre oração, e não lutar, pessoalmente em oração, nada serei e nada conseguirei. Se eu me regozijar no poder da oração e almejar uma vida de oração mais profunda, mas não interceder, nada ganharei. A intercessão liberta o poder de Deus. Não se glorifica; não é egocêntrica; não atrai para si mesmo. Sempre é apropriada, sempre recebida no céu, e sempre urgentemente necessária. A intercessão pode alcançar qualquer lugar, ela pode tocar qualquer pessoa. A intercessão pode alcançar o trono de Deus. Ela sempre deseja, sempre espera, sempre ama. A intercessão nunca é em vão. Mas havendo cultos, acabarão; havendo ministérios, serão esquecidos; havendo sermões, também eles não serão lembrados. Pois os cultos logo terminam; ministérios chegam acabar; mas a oração vive para sempre. Quando o irmão prega, fala como pregador, pensa como pregador, age como pregador. Mas quando intercede, o irmão se torna semelhante a Cristo. Quando você prega, toca os corações dos homens; mas quando intercede, toca o coração de Deus. Quando ministra, tem comunhão com os irmãos; mas quando intercede está participando no verdadeiro trono de Deus com Cristo mesmo. E agora permanecem estas três: adoração, louvor e intercessão. Porém, a maior e mais semelhante a Cristo é a intercessão.
Wesley Duewel (extraído)

Uma palavra para os jovens

Josias, uma vida de persistência por amor
2 Cr. 34:1-8 e 14,15 depois 29-31

1 Tinha Josias oito anos de idade quando começou a reinar e reinou trinta e um anos em Jerusalém. 2 Fez o que era reto perante o SENHOR, andou em todo o caminho de Davi, seu pai, e não se desviou nem para a direita nem para a esquerda. 3 Porque, no oitavo ano de seu reinado, sendo ainda moço, começou a buscar o Deus de Davi, seu pai; e, no duodécimo ano, começou a purificar a Judá e a Jerusalém dos altos, dos postes-ídolos e das imagens de escultura e de fundição. 4 Na presença dele, derribaram os altares dos baalins; ele despedaçou os altares do incenso que estavam acima deles; os postes-ídolos e as imagens de escultura e de fundição, quebrou-os, reduziu-os a pó e o aspergiu sobre as sepulturas dos que lhes tinham sacrificado. 5 Os ossos dos sacerdotes queimou sobre os seus altares e purificou a Judá e a Jerusalém. 6 O mesmo fez nas cidades de Manassés, de Efraim e de Simeão, até Naftali, por todos os lados no meio das suas ruínas. 7 Tendo derribado os altares, os postes-ídolos e as imagens de escultura, até reduzi-los a pó, e tendo despedaçado todos os altares do incenso em toda a terra de Israel, então, voltou para Jerusalém. 8 No décimo oitavo ano do seu reinado, havendo já purificado a terra e a casa, enviou a Safã, filho de Azalias, a Maaséias, governador da cidade, e a Joá, filho de Joacaz, cronista, para repararem a Casa do SENHOR, seu Deus.
14-16 - 14 Quando se tirava o dinheiro que se havia trazido à Casa do SENHOR, Hilquias, o sacerdote, achou o Livro da Lei do SENHOR, dada por intermédio de Moisés. 15 Então, disse Hilquias ao escrivão Safã: Achei o Livro da Lei na Casa do SENHOR. 16 Hilquias entregou o livro a Safã. Então, Safã levou o livro ao rei e lhe deu relatório, dizendo: Tudo quanto se encomendou a teus servos, eles o fazem
29-31 - 29 Então, deu ordem o rei, e todos os anciãos de Judá e de Jerusalém se ajuntaram. 30 O rei subiu à Casa do SENHOR, e todos os homens de Judá, todos os moradores de Jerusalém, os sacerdotes, os levitas e todo o povo, desde o menor até ao maior; e leu diante deles todas as palavras do Livro da Aliança que fora encontrado na Casa do SENHOR. 31 O rei se pôs no seu lugar e fez aliança ante o SENHOR, para o seguirem, guardarem os seus mandamentos, os seus testemunhos e os seus estatutos, de todo o coração e de toda a alma, cumprindo as palavras desta aliança, que estavam escritas naquele livro.

Você já pensou em escrever a bíblia toda a mão? ( a caneta?)
Um homem que viveu antes de Martinho Lutero, antes da reforma teve essa idéia, seu nome era John Wycliffe, no seu tempo apenas os padres podiam ler a bíblia, e ela estava taduzida apenas para o latim.
Wycliffe trabalhou duro para dar para ao mundo uma tradução inglesa da Bíblia. Ele quis uma Bíblia que qualquer um pudesse ler, não só os padres. Foi declarado um bandido e um herege por causa dos seus esforços. Os seus inimigos não fizeram nenhum segredo do fato que buscavam matá-lo, e Wycliffe teve que terminar o seu trabalho se escondendo. Quando terminou, não havia como imprimir, assim cada cópia teve que ser feita à mão. Era um projeto lento e caro. Então, em menos de dois anos depois, a primeira cópia foi completa, Wycliffe morreu. Anos depois ele continuava sendo odiado e seus inimigos desenterraram os seus ossos, e os queimaram, suas cinzas foram espalhadas no Rio de Thames. Hoje, nós somos os ceifeiros da colheita de Wycliffe; depois disso Martinho Lutero teve a mesma atitude traduzindo a bíblia para o Alemão Nós temos a Bíblia em nossas mãos porque eles não desistiram em face a oposição e ao desânimo. Nem tudo o que vamos fazer é fácil, mas temos que fazer o que Deus nos confiou a fazer.
E por isso, é preciso algo que chamamos de persistência. Persistir é não desistir.
Só que persistimos somente naquilo que gostamos. Só há persistência em uma causa que amamos.
Foi assim na vida do rei Josias. Vr 1 e 2: “1 Tinha Josias oito anos de idade quando começou a reinar e reinou trinta e um anos em Jerusalém.
2 Fez o que era reto perante o SENHOR, andou em todo o caminho de Davi, seu pai, e não se desviou nem para a direita nem para a esquerda.”
Josias começou a reinar em Jerusalém com 8 anos de idade, e reinou até o fim de sua vida, quando foi morto em combate. Em nenhum momento desistiu de seu reinado, mesmo sendo uma criança. E durante seu reinado ele traçou um objetivo importante, pelo qual ele lutou toda a sua vida. Vrs. 3 “Porque, no oitavo ano de seu reinado, sendo ainda moço, começou a buscar o Deus de Davi, seu pai; e, no duodécimo ano, começou a purificar a Judá e a Jerusalém dos altos, dos postes-ídolos e das imagens de escultura e de fundição”.
Se ele começou a reinar com oito anos, no oitavo ano do seu reinado ele era um adolescente, e na adolescência começou a buscar ao Deus de Davi, com 16 anos de idade, mas ele não desistiu, diz aqui no décimo segundo ano começou a purificar juda e Jerusalém, com 20 anos; o adolescente de 16, agora tinha 20 anos e não desistiu de seu propósito.vr 8 8 No décimo oitavo ano do seu reinado, havendo já purificado a terra e a casa, enviou a Safã, filho de Azalias, a Maaséias, governador da cidade, e a Joá, filho de Joacaz, cronista, para repararem a Casa do SENHOR, seu Deus.
No décimo oitavo ano de reinado , com 26 anos, ele ainda estava persistindo e resolveu reformar o templo de Deus que estava abandonado.
Josias era um adolescente com um propósito, quando se tornou jovem, não desistiu de seus propósitos. Pois seus propósitos não eram dele, mas eram de Deus na vida dele. Há jovens que quando na adolescência, tinham propósitos de servir a Deus, mas quando chegam na juventude, e na vida adulta desistem dos propósitos de Deus, e vão buscar seus próprios propósitos, e acabam caindo no que chamamos de “mundão”.
Mas Josias deu um exemplo que devemos seguir, um exemplo de persistência por amor a Deus.
Vemos na vida de Josias três lições para nossas vidas:
1-Josias persistiu por amor a Santidade (v.3 e v 7)

3 Porque, no oitavo ano de seu reinado, sendo ainda moço, começou a buscar o Deus de Davi, seu pai; e, no duodécimo ano, começou a purificar a Judá e a Jerusalém dos altos, dos postes-ídolos e das imagens de escultura e de fundição.
v.7-Tendo derribado os altares, os postes-ídolos e as imagens de escultura, até reduzi-los a pó, e tendo despedaçado todos os altares do incenso em toda a terra de Israel, então, voltou para Jerusalém.
Josias teve uma das atitudes mais corretas entre os reis de Jerusalém e Judá, retirar a idolatria do meio do povo, pois entendia que aquele povo pertencia ao Senhor Deus. E que o Senhor detesta a idolatria. E vemos que só depois que destruiu todo objeto de idolatria é que voltou para a sua casa,para Jerusalém ( vrs. 7).
Deve haver em nós persistência por querermos uma vida de santidade.
2-Josias persistiu por amor a casa de Deus (v.8)
. 8 No décimo oitavo ano do seu reinado, havendo já purificado a terra e a casa, enviou a Safã, filho de Azalias, a Maaséias, governador da cidade, e a Joá, filho de Joacaz, cronista, para repararem a Casa do SENHOR, seu Deus.
Josias não se contentou em tirar a idolatria do meio do povo. Ele tinha amor também pela casa de Deus que estava em ruínas e mandou com que reformassem a casa de Deus
Você tem amor pela casa de Deus?
Você persiste em freqüentar a casa de Deus?
Você gosta dos cultos, das reuniões, do lugar?
Tem prazer em estar na casa de Deus?
Isso, é uma atitude de amor, pois muitos jovens tem trocado a casa de deus, pelas boates e bares.
3-Josias persistiu por amor a palavra de Deus (v.14)
14 Quando se tirava o dinheiro que se havia trazido à Casa do SENHOR, Hilquias, o sacerdote, achou o Livro da Lei do SENHOR, dada por intermédio de Moisés.
As coisas estavam tão ruins em Israel, Jerusalém e Judá que o templo estava em ruínas e a palavra de Deus, o livro da lei do Senhor ( Torá) (Gênesis – Deuteronômio, )estava perdido. Mas agora havia sido encontrado
(v.29-31)
29 Então, deu ordem o rei, e todos os anciãos de Judá e de Jerusalém se ajuntaram. 30 O rei subiu à Casa do SENHOR, e todos os homens de Judá, todos os moradores de Jerusalém, os sacerdotes, os levitas e todo o povo, desde o menor até ao maior; e leu diante deles todas as palavras do Livro da Aliança que fora encontrado na Casa do SENHOR. 31 O rei se pôs no seu lugar e fez aliança ante o SENHOR, para o seguirem, guardarem os seus mandamentos, os seus testemunhos e os seus
Josias restaurou em seu povo a aliança com a palavra do Senhor
Há muitos jovens que não tem persistido no amor a santidade, no amor a casa de Deus e nem sequer no amor a palavra de Deus. Basta perguntar aonde está a bíblia do irmão, as vezes ela está lá no meio de revistas, ou empoeirada em alguma canto atrás dos livros. E a pessoa não vive a bênção do Senhor. Pois não perseverou.

Conclusão
Wycliffe trabalhou duro para dar para ao mundo uma tradução inglesa da Bíblia. Ele quis uma Bíblia que qualquer um pudesse ler, ele persistiu em seu propósito de levar a palavra de Deus.
Josias começou a reinar em Jerusalém com 8 anos de idade, e reinou até o fim de sua vida, quando foi morto em combate. Em nenhum momento desistiu de seu reinado, mesmo sendo uma criança. E durante seu reinado ele traçou um objetivo importante, pelo qual ele lutou toda a sua vida: buscar ao Senhor.
Vemos na vida de Josias três lições para nossas vidas:
Ele:
• persistiu por amor a Santidade
• persistiu por amor a casa de Deus
• persistiu por amor a palavra de Deus.
Que aprendamos a arte de persistir sempre na vontade de DEUS.
Welinton

Experimentando mais de Deus



IS 6.1-8
“1 No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de suas vestes enchiam o templo. 2- Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava. 3 E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória. 4 As bases do limiar se moveram à voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça. 5 Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos! 6 Então, um dos serafins voou para mim, trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; 7 com a brasa tocou a minha boca e disse: Eis que ela tocou os teus lábios; a tua iniqüidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado. 8 Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim.”





Cremos que o caminho para um mover de milagres de Deus, é a forma correta de nos relacionarmos com ele. A vida cristã é progressiva e Deus quer que provemos cada vez mais de sua presença. Quer que a cada dia experimentemos mais dele.



Esta experiência de Isaías foi um momento em que ele subiu um degrau a mais em seu relacionamento com Deus. O impacto em Isaías foi tão grande que ele declarou ser um homem de lábios impuros no meio de um povo de impuros lábios. Quando lemos os cinco capítulos anteriores do livro vemos um forte combate contra o pecado. Não enxergamos esse Isaías de lábios impuros, apenas vemos o Isaías “profeta”. Isaías recebeu um toque purificador em seus lábios, pois foi justamente aí que ele confessou ser falho; e passou a ter uma nova conciência do chamado de Deus para o seu serviço.(vrs 7,8) - com a brasa tocou a minha boca e disse: Eis que ela tocou os teus lábios; a tua iniqüidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado. 8 Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim.”
A grande questão é por que Isaías refere-se ao ano da morte do Uzias, seria apenas uma referência cronológica? Uzias foi um líder respeitado e admirado por Isaías. Ele poderia ter citado apenas que era o ano do reinado de Jotão filho de Uzias. Vemos que Uzias era admirado por Isaías, e somente quando morreu esse rei, é que ele conseguiu ver o SENHOR como rei em um alto e sublime trono. Para que consigamos ter a revelação de Jesus, do SENHOR como nosso rei. Todos os outros reis, e ídolos tem que cair. Nossa admiração e louvor deve estar em torno da expectativa de que veremos o Rei da Glória.
Isaías pode experimentar mais de Deus em uma visão. E você quer experimentar mais de Deus?
A questão de experimentar mais de Deus é uma questão de visão.
É uma questão de revelação da vontade de Deus. Foi essa experiência de Isaías que o levou a submeter-se ao chamado do Senhor e desfrutar mais de Deus.
Quando nós temos uma visão, isso move a nossa vida e tudo o que fazemos gira em torno da visão que recebemos, a visão determina as nossas atitudes, os livros que lemos, os lugares que freqüentamos as pessoas com quem andamos os filmes que assistimos e assim vai... mas não basta ter apenas a visão, precisamos ter também uma missão. “Ter uma visão nos torna visionários, ter uma missão nos faz trabalhar demais, mas termos uma visão e uma missão, faz de nós missionários”.
Aprendemos experimentar mais de Deus através da visão de Isaías; que apresenta três aspectos:
1) A visão da santidade de Deus IS 6:1-3 “1 No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de suas vestes enchiam o templo. 2- Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava. 3 E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória.”
Os vs 2,3 dizem que Serafins estavam por cima dEle....dizendo: Santo,Santo,Santo, é o Senhor dos Exércitos.
1) Estes seres não aparecem em nenhum outro lugar na bíblia. É uma classe especial de anjos.
2) Eles declaram três vezes que Deus é Santo. Isso é uma revelação do caráter de Deus, a sua santidade
3) Quando Isaías viu a santidade de Deus, notou que precisava se santificar também.

Sl 24 . 3-6: 3 Quem subirá ao monte do SENHOR? Quem há de permanecer no seu santo lugar? 4 O que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à falsidade, nem jura dolosamente. 5 Este obterá do SENHOR a bênção e a justiça do Deus da sua salvação. 6 Tal é a geração dos que o buscam, dos que buscam a face do Deus de Jacó.

Vejamos a pergunta no vrs.3” Quem subirá ao monte do Senhor” – a pergunta é referente ao ir a casa de Deus ( templo) para adorar. A versão NVI deixa essa questão mais clara, pois traduziu da seguinte forma: “Quem poderá subir o monte do Senhor” . entendemos que a única autorização que temos para podermos prestar um culto verdadeiro a Deus é buscar o que está no versículo quatro deste salmo 24 4 O que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à falsidade, nem jura dolosamente.
A NVI traduziu da seguinte forma:” Aquele que tem as mãos limpas e o coração puro, que não recorre aos ídolos, nem jura por deuses falsos”
Então o que é a visão da santidade de Deus? É o reconhecimento de que ele é santo e devemos ser santos também. Como seremos santos? A) com mãos limpas b) coração puro; c) não recorrer os ídolos d) não jurar por deuses falsos.
Experimentar mais de Deus é questão de santidade. É abandono do pecado, é abandono de nossa própria vontade de pecar, é colocar fora de nossas vidas e casas todo objeto de idolatria, é valorizar mais a vontade do Pai do que nossa própria vontade. Dizendo eis-me aqui.
O que acontecerá conosco se tivermos a visão da santidade de Deus, e nos apresentarmos em verdadeiro culto ? Sl 24.5-6:” 5 Este obterá do SENHOR a bênção e a justiça do Deus da sua salvação. 6 Tal é a geração dos que o buscam, dos que buscam a face do Deus de Jacó.” A visão de Isaías foi uma visão da santidade de Deus, e para experimentarmos mais de Deus devemos ter essa visão, o resultado é a bênção de Deus .” Este obterá do SENHOR a bênção e a justiça do Deus da sua salvação.”

2) A visão de nossa iniqüidade.Is 6.v5



5 Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos!
Depois de ter visto a santidade de Deus, Isaías viu a sua iniqüidade, ele se viu impuro e viu também, o meio em que vivia e teve medo pois achava que iria morrer, e disse: “ ai de mim! Estou perdido!”( is.6:5 ).




Quantos de nós estamos precisando olhar para nós mesmos e reconhecer o nosso real estado, às vezes estamos lindos por fora mas podres por dentro, mas quando nos deparamos com a santidade de Deus, Ele nos mostra o nosso verdadeiro estado, não para nos acusar, mas para nos mostrar, que nós precisamos dele !
A visão de nossas iniqüidades exige nossa sinceridade Ser sincero com alguém é falar a verdade, não esconder nada e se mostrar como realmente somos. Quase sempre temos vergonha de falar para Deus quem nós somos de verdade. Queremos parecer limpos e puros diante do Senhor, mas esquecemos que é Ele quem nos limpa e purifica. Precisamos chegar a Deus sujos e mostrar a Ele nossa sujeira, para que Ele possa nos lavar e, aí sim, estaremos limpos. Foi exatamente o que Isaías fez! Ele mostrou a Deus quem ele era: "... sou um homem de lábios impuros..." Deus conhece o nosso coração, por isso não devemos esconder nossas falhas diante Dele. Seja qual for o nosso erro, devemos declará-lo para Deus, pois só depois que Isaías assumiu a sua falha é que ele foi transformado.Ser sincero com Deus também é ser simples. Isaías podia ter dito muitas palavras bonitas ao Senhor, mas ele foi simples e expressou o que realmente estava em seu coração: "Ai de mim, estou perdido!" (vers. 5) Diante da grandeza de Deus, não adianta querermos falar bonito e tentar impressionar a Deus. Deus quer simplicidade e sinceridade e não palavras bonitas!
Podemos experimentar mais de Deus através da visão de nossas iniqüidades.
3) A visão da nossa PURIFICAÇÃO Is 6.6,7
6 Então, um dos serafins voou para mim, trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; 7 com a brasa tocou a minha boca e disse: Eis que ela tocou os teus lábios; a tua iniqüidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado.



O texto fala no v.6” brasa viva” – isso nos dá idéia de uma brasa em chamas. Essa brasa fala da ação purificadora do fogo do Espirito Santo.
Deus não expulsou Isaías por causa do seu pecado, mas o purificou com fogo.
O fogo é descrito como um elemento purificador.
> Nm 31:23 diz: “Toda a coisa que pode resistir ao fogo, fareis passar pelo fogo, para que fique limpa...”
Para ser totalmente limpo tem que passar pelo batismo de fogo. Mt 3:11 “...Ele vos batizará com Espírito Santo, e com fogo”.
Nós podemos nos relacionar melhor com Deus e experiemntar mais de Deus, através do perdão, e o perdão traz consigo purificação. Esse perdão com purificação vem do reconhecimento sincero de nossa parte” ai de mim estou perdido” quando há esse reconhecimento, Deus vem ao nosso encontro com o perdão e limpeza produzida pelo Espirito Santo.
Precisamos dessa purificação, precisamos hoje reconhecer a nossa necessidade, precisamos dizer “ ai de mim”, e reconhecer a necessidade do Espirito do Senhor operar em nós.
· Comece a clamar que o Espirito Santo venha queimar todas as impurezas;
· Comece a pedir ao Senhor que o Espirito Santo Trabalhe em seu coração;
· Queimando o pecado e a vontade de pecar.
· Queimando as opressões e as brechas dadas aos demonios,
· Queimando toda influência maligna que ainda está em sua vida.
Experimentaremos mais de Deus através da visão da nossa purificação.
Experimentaremos mais de Deus através:



4)Visão do nosso chamado Is 6.8



“8 Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim.”



Depois da visão da santidade de Deus, de suas próprias iniqüidades e da sua purificação recebida de Deus; Isaías recebe seu chamado, e foi no exercício de seu chamado que pode experimentar mais de Deus. A pergunta de Deus foi e é: “A quem enviarei, e quem há de ir por nós” e Isaías não pode resistir e respondeu diante da glória de Deus:” Eis-me aqui , envia-me a mim”. Isaías teve a visão da missão que deveria ser cumprida, só que até então não tinha ninguém para executar essa missão, pois o povo estava cego e até que os olhos de Isaías fossem abertos...
1) Deus nos chama para o serviço.
2) Deus não empurra ninguém para sua obra, Ele chama. “A quem enviarei?”
> Mt. 4:18-22 “..18 Caminhando junto ao mar da Galiléia, viu dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, que lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores. 19 E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens. 20 Então, eles deixaram imediatamente as redes e o seguiram. 21 Passando adiante, viu outros dois irmãos, Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam no barco em companhia de seu pai, consertando as redes; e chamou-os. 22 Então, eles, no mesmo instante, deixando o barco e seu pai, o seguiram.
Ao chamar os seus discípulos eles imediatamente o seguiram, foram fazer a sua obra, depois parou na frente da coletoria e chamou também a Mateus dizendo segue-me. Mt.9:9.
Mt9. 9 - Partindo Jesus dali, viu um homem chamado Mateus sentado na coletoria e disse-lhe: Segue-me! Ele se levantou e o seguiu.
O senhor está te chamando a assim como seus discípulos a experimentar mais dele, através de seu chamado, como ele parou em frente a Mateus o cobrador de impostou e disse-lhe segue-me; ele pára diante de ti e fala segue-me; que sua resposta seja positiva. Que diante do chamado de Deus você responda: “ Eis-me aqui”, e através de sua obediência grandes coisas Deus fará em sua vida.

Conclusão
Cremos que o caminho para um mover de milagres de Deus, é a forma correta de nos relacionarmos com ele. A vida cristã é progressiva e Deus quer que provemos cada vez mais de sua presença. Quer que a cada dia experimentemos mais dele.
Isaías pode experimentar mais de Deus em uma visão;. Nosso tema foi:Experimentando mais de Deus
Aprendemos experimentar mais de Deus através da visão de Isaías:
Que apresenta quatro aspectos:
1)A visão da santidade de Deus
2) A visão de nossa iniqüidade
. 3)A visão da nossa PURIFICAÇÃO Is 6.6,7.
4) Visão do nosso chamado
Que resposta você dará ao Senhor? Você quer experiementar mais de Deus?
Pr. Welinton










Batalha Espiritual

Jz 6.11-22
11 Então, veio o Anjo do SENHOR, e assentou-se debaixo do carvalho que está em Ofra, que pertencia a Joás, abiezrita; e Gideão, seu filho, estava malhando o trigo no lagar, para o pôr a salvo dos midianitas. 12 Então, o Anjo do SENHOR lhe apareceu e lhe disse: O SENHOR é contigo, homem valente. 13 Respondeu-lhe Gideão: Ai, senhor meu! Se o SENHOR é conosco, por que nos sobreveio tudo isto? E que é feito de todas as suas maravilhas que nossos pais nos contaram, dizendo: Não nos fez o SENHOR subir do Egito? Porém, agora, o SENHOR nos desamparou e nos entregou nas mãos dos midianitas. 14 Então, se virou o SENHOR para ele e disse: Vai nessa tua força e livra Israel da mão dos midianitas; porventura, não te enviei eu? 15 E ele lhe disse: Ai, Senhor meu! Com que livrarei Israel? Eis que a minha família é a mais pobre em Manassés, e eu, o menor na casa de meu pai. 16 Tornou-lhe o SENHOR: Já que eu estou contigo, ferirás os midianitas como se fossem um só homem. 17 Ele respondeu: Se, agora, achei mercê diante dos teus olhos, dá-me um sinal de que és tu, SENHOR, que me falas. 18 Rogo-te que daqui não te apartes até que eu volte, e traga a minha oferta, e a deponha perante ti. Respondeu ele: Esperarei até que voltes. 19 Entrou Gideão e preparou um cabrito e bolos asmos de um efa de farinha; a carne pôs num cesto, e o caldo, numa panela; e trouxe-lho até debaixo do carvalho e lho apresentou. 20 Porém o Anjo de Deus lhe disse: Toma a carne e os bolos asmos, põe-nos sobre esta penha e derrama-lhes por cima o caldo. E assim o fez. 21 Estendeu o Anjo do SENHOR a ponta do cajado que trazia na mão e tocou a carne e os bolos asmos; então, subiu fogo da penha e consumiu a carne e os bolos; e o Anjo do SENHOR desapareceu de sua presença. 22 Viu Gideão que era o Anjo do SENHOR e disse: Ai de mim, SENHOR Deus! Pois vi o Anjo do SENHOR face a face.
Quem de nós nunca passou por lutas?
Existem muitas lutas que são corriqueiras, do dia-a-dia, comuns; mas muitas vezes não nos damos conta de que a nossa luta é no reino espiritual, vai além do que vemos e atinge as regiões celeste.
Na verdade a vida cristã, nunca foi fácil; mas sempre foi vitoriosa. Ao mesmo tempo que é uma batalha, é uma vitória. Em Ef.6.12:” 12 porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.
Paulo fala de uma luta. Porém já temos a vitória.
Rm 8.378 - 37 Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou.
Cl 2.15 - e, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz.Então no ato da Cruz, Jesus derrotou o plano de satanás, então todo principado e potestade, toda hierarquia demoníaca foi vencida.
E olhando para o texto de juízes nós vemos Deus Chamando Gideão para a batalha.
Gideão tem em si, como muitas vezes carregamos dentro de nós uma pergunta: : (vr.13)Ai, senhor meu! Se o SENHOR é conosco, por que nos sobreveio tudo isto?
A pergunta dele era referente ao que estava acontecendo: Jz 6vrs.1-6
Os israelitas estavam oprimidos pelos amalequitas e midianitas; tudo que plantavam, estes castigavam. Então o Senhor , atendeu o clamor de Israel e chamou Gideão para ser um Juiz, os juízes foram instituídos por Deus, antes de Israel ter reis, eram chamados por Deus para guerrear por Israel, Gideão foi chamado para a batalha para restabelecer a forçada nação e para que vivessem novamente a bênção de Deus.
A luta de Gideão era contra a idolatria, pois por causa da idolatria, vinha a maldição, assim destruiu o altar de Baal, da casa de seu pai. Depois de destruir o altar de Baal, foi chamado pelo seu pai de Jerubaal- aquele que contende contra Baal.
Baal era para os fenícios um deus responsável pelas chuvas e fenômenos da natureza , mas o culto a Baal era oferecido com prostituição sexual e sacrifícios de crianças. Atrás da imagem de um ídolo esconde-se um demônio de prostituição e idolatria, para receber a glória que não é dele.
Através da batalha de Gideão podemos ter um discernimento ( entendimento) espiritual.
Sete discernimentos na Batalha Espiritual
1- Discernimento do inimigo (vr.11e12)
11 Então, veio o Anjo do SENHOR, e assentou-se debaixo do carvalho que está em Ofra, que pertencia a Joás, abiezrita; e Gideão, seu filho, estava malhando o trigo no lagar, para o pôr a salvo dos midianitas. 12 Então, o Anjo do SENHOR lhe apareceu e lhe disse: O SENHOR é contigo, homem valente.

· Gideão estava malhando o trigo no lagar para salvá-lo dos midianitas. Ele sabia que os midianitas poderiam ,a qualquer momento, roubar o trigo colhido. Então apressou o serviço.
· Gideão estava atento em relação ao inimigo.Discernimento do inimigo é a base da verdadeira vigilância tão recomendada por Jesus. Gideão não deixou o inimigo roubar a sua colheita.
· Se você discerne o inimigo, saiba que Deus está com você. “ O senhor é contigo homem valente” e é você que ele vai querer usar. Se você não percebe quem é o inimigo, e não vigia em oração, você vai continuar sendo roubado.
· 1 pe 5.8 “Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar;”
· Discernimento do inimigo
2-Discernimento dos grandes feitos de Deus (Jz 6.13).
13 Respondeu-lhe Gideão: Ai, senhor meu! Se o SENHOR é conosco, por que nos sobreveio tudo isto? E que é feito de todas as suas maravilhas que nossos pais nos contaram, dizendo: Não nos fez o SENHOR subir do Egito? Porém, agora, o SENHOR nos desamparou e nos entregou nas mãos dos midianitas.
Gideão pergunta o porquê da situação. E lembra das maravilhas de Deus operou no passado, quando Israel foi liberto do Egito.
Só que ao mesmo tempo vê-se em uma situação de dúvida e chega a afirmar que o Senhor os havia desamparado: “Porém, agora, o SENHOR nos desamparou e nos entregou nas mãos dos midianitas.”
Porém vemos em Gideão uma grande vontade de ver o poder de Deus se manifestando , como no passado. Gideão queria o agir de Deus, o poder de Deus. A nação já havia esquecido o poder de Deus, mas ele não. Ele entendia que o problema da nação não era a presença do inimigo, mas ausência da manifestação do poder de Deus.
O grande problema nas nossas batalhas, não são os demônios, mas é que em muitas áreas da nossa vida já demos ao Espírito Santo “ cartão vermelho”. E sem a presença de Deus perdemos toda a sustentação espiritual.
Gideão não esqueceu de Deus, não se atreveu a entrar na batalha sem o Senhor dos Exércitos. Não diminuiu o padrão da manifestação de Deus de que precisava, e com que contava. Tinha grandes expectativas de Deus e não foi frustrado.
· 2- Discernimento das nossas limitações ( Jz 6.14-16)
14 Então, se virou o SENHOR para ele e disse: Vai nessa tua força e livra Israel da mão dos midianitas; porventura, não te enviei eu? 15 E ele lhe disse: Ai, Senhor meu! Com que livrarei Israel? Eis que a minha família é a mais pobre em Manassés, e eu, o menor na casa de meu pai. 16 Tornou-lhe o SENHOR: Já que eu estou contigo, ferirás os midianitas como se fossem um só homem.
Gideão sabia da sua condição em si mesmo; reconheceu suas limitações. Foi humilde, não confiou na sua força e na sua capacidade.
Pois o poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza. ( como Paulo entendeu).
O reconhecimento de nossas fraquezas, não tem pór objetivo nos levar a timidez, mas sim a vermos o quanto precisamos da ajuda de Deus para vencermos as batalhas. Gideão tentou esconder-se na inferioridade “eu sou o menor na casa de meu pai”; porém o Senhor falou que era com ele.
Só quando você reconhece a incapacidade humana, você vê que Deus está no comando.
4-Discernimento familiar Jz 6.24-26 24
Então, Gideão edificou ali um altar ao SENHOR e lhe chamou de O SENHOR É Paz. Ainda até ao dia de hoje está o altar em Ofra, que pertence aos abiezritas. 25 Naquela mesma noite, lhe disse o SENHOR: Toma um boi que pertence a teu pai, a saber, o segundo boi de sete anos, e derriba o altar de Baal que é de teu pai, e corta o poste-ídolo que está junto ao altar. 26 Edifica ao SENHOR, teu Deus, um altar no cimo deste baluarte, em camadas de pedra, e toma o segundo boi, e o oferecerás em holocausto com a lenha do poste-ídolo que vieres a cortar.
Deus mandou Gideão derrubar o altar que era de seu pai, e ele obedeceu, tirou o altar de idolatria de sua família., e edificou uma altar para Deus. E assim ,colocou novamente sua família debaixo da mão de Deus. Se queremos a bênção de Deus em nossa família temos que tirar o altar de idolatria de dentro das nossas casas.
· O que você e sua família tem servido em lugar do Senhor?
· Ídolos de barro?
· Ganância?
· Imoralidade?
· Adultério ?
· Adultério visual (TV) ?
Tire esse altar e construa o altar de Deus
· Palavra
· Oração
· Louvor
· Gratidão
Seja um intercessor retire toda idolatria de dentro de sua casa.
5- Discernimento da Natureza da batalha (vr 24)
24 Então, Gideão edificou ali um altar ao SENHOR e lhe chamou de O SENHOR É Paz. Ainda até ao dia de hoje está o altar em Ofra, que pertence aos abiezritas
Esse jovem de Deus levantou um altar de paz em sua casa, em sua família, entrou em guerra contra o inferno, e não contra a família. Gideão comprou briga com o demônio que assolava a nação, escondido atrás de uma estátua, E LIBERTOU SUA FAMÍLIA DESSA POTESTADE.
Grandes vitórias sempre começam com a restauração familiar.
Há problemas dentro da sua casa? Você tem que entender que a briga não é contra seus familiares, e sim contra o diabo. E contra ele você é mais do que vencedor pelo sacrifício de Jesus na cruz.
·6-Discernimento da vontade de Deus (36-40)
36 Disse Gideão a Deus: Se hás de livrar a Israel por meu intermédio, como disseste, 37 eis que eu porei uma porção de lã na eira; se o orvalho estiver somente nela, e seca a terra ao redor, então, conhecerei que hás de livrar Israel por meu intermédio, como disseste. 38 E assim sucedeu, porque, ao outro dia, se levantou de madrugada e, apertando a lã, do orvalho dela espremeu uma taça cheia de água. 39 Disse mais Gideão: Não se acenda contra mim a tua ira, se ainda falar só esta vez; rogo-te que mais esta vez faça eu a prova com a lã; que só a lã esteja seca, e na terra ao redor haja orvalho. 40 E Deus assim o fez naquela noite, pois só a lã estava seca, e sobre a terra ao redor havia orvalho.
Gideão teve a prudência de alcançar uma certeza absoluta da vontade de Deus. Buscou a confirmação da vontade de Deus. Pois a lã no orvalho para molhar, enquanto a grama permaneceu seca , e depois para permanecer seca, enquanto a grama estava molhada de orvalho.
Temos que ter essa prudência de buscar a vontade de Deus, em tudo o que formos orar, empreender ou realizar
7-Discernimento das estratégias de Deus.( cap 7.1-8)
Apenas com trezentos homens Gideão venceu os midianitas.
Nem sempre temos que batalhar conforme o nosso conhecimento, mas uma coisa temos que saber, quem guerreou na verdade não foram Gideão e os trezentos , mas sim o Senhor e seus anjos.
Não importa a batalha que vc está vivendo. Se vc tem condições de vencer ou não. Pois quem te dará vitória é o SENHOR DOS EXÉRCITOS.
A estratégia é dele, o modo de ganhar a guerra é depender dele.
A estratégia, é que Gideão não precisava de um grande exército. Mas acreditar na promessa: 12 Então, o Anjo do SENHOR lhe apareceu e lhe disse: O SENHOR é contigo, homem valente.

Conclusão:
Vimos que:
Que existem muitas lutas que são corriqueiras, do dia-a-dia, comuns; mas muitas vezes não nos damos conta de que a nossa luta é no reino espiritual, vai além do que vemos e atinge as regiões celestes.
Na verdade a vida cristã, nunca foi fácil; mas sempre foi vitoriosa. Ao mesmo tempo que é uma batalha, é uma vitória. Em Ef.6.12:” 12 porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Rm 8.37 - 37 Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou.Cl 2.15 - e, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz.
Então no ato da Cruz, Jesus derrotou o plano de satanás, assim todo principado e potestade, toda hierarquia demoníaca foi vencida.e através da vida e do chamado de Gideão temos:
Sete discernimentos na Batalha Espiritual

-Discernimento do inimigo
· Discernimento dos grandes feitos de Deus
· Discernimento das nossas limitações.
· Discernimento familiar
· Discernimento da Natureza da batalha
· Discernimento da vontade de Deus (36-40)
· Discernimento das estratégias de Deus.( cap 7.1-8)

O SENHOR é contigo, homem valente